Convite 12/03/2017 – Ultréya Diocesana – Araçatuba (setor Araçatuba)

Destacado

imagem-1A criação é obra prima das mãos de Deus (Sl 8)

“Enchei a terra e submetei-a” (Gn 1,28)

imagem-2

O Papa Francisco na encíclica “Laudato SI” explica que “cultivar” quer dizer proteger, cuidar, preservar, velar. Isso implica uma relação de reciprocidade responsável entre o ser humano e a natureza. A criação pertence a Deus  (Sl 24; Lv 25,23). O homem, que é imagem e semelhança de Deus, recebeu a vocação de cuidar e guardar com atenção dos seres que dela fazem parte.imagem-3

Araçatuba, 20 de fevereiro de 2017. 

Saudações DE COLORES, aos Irmãos e Irmãs de todos os Setores do MCC da Diocese de Araçatuba. É com grande satisfação e entusiasmo, que o GED da Diocese de Araçatuba convida a todos para a Ultréya Diocesana que se realizará em Araçatuba (setor de Araçatuba).

Local: Casa de São Paulo
Dia: 12/03/2017 (Domingo)
Horário: 10:00 h
Tema:Cultivar e Guardar a Criação”.
Mensageira: Orestilha Ilda Liberati de Souza, da cidade de Coroados (setor de Birigui)

Obs: Ao término da Ultreya será servida uma deliciosa macarronada

imagem-4

Que a Santíssima Trindade derrame suas bençãos a nossa irmã Ilda ao compartilhar suas experiências cristo-vivenciais com os demais irmãos comprometidos no trabalho de Evangelização, e que nós membros do MCC perseveremos na grande peregrinação da pesca de homens e mulheres para Deus, sempre com os corações cheios de esperança.

Abraços De Colores.

Luiz Antonio e Carlos Renato (Caca)
Coordenadores de Ultreyas do GED de Araçatuba

Campanha da Fraternidade – 2017 – cartaz / oração

Destacado

A Campanha da fraternidade 2017 será sobre: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”, tendo como lema “Cultivar e guardar a Criação”.

cartaz_campanha_da_fraternidade_2017

Deus, nosso Pai e Senhor,
nós vos louvamos e bendizemos,
por vossa infinita bondade.

Criastes o universo com sabedoria
e o entregastes em nossas frágeis mãos
para que dele cuidemos com carinho e amor.

Ajudai-nos a ser responsáveis e zelosos pela
Casa Comum.
Cresça, em nosso imenso Brasil,
o desejo e o empenho de cuidar mais e mais
da vida das pessoas,
e da beleza e riqueza da criação,
alimentando o sonho do novo céu e da nova terra
que prometestes.

Amém!

Escola Vivencial MCC – Coroados – 23/02/2017

Escola Vivencial MCC – Coroados

Olá. A Paz de Jesus esteja com todos vocês!

Nesta quarta-feira (23/02) iniciamos o encontro semanal lembrando que celebramos a Cátedra de Pedro.

img_3016

Os escritos nos evangelhos de Jesus Cristo evidenciam que Pedro era o protagonista entre os apóstolos. A missão que Jesus confiou a Pedro exigia muita solidez, assim como a casa que é construída sobre a rocha, a qual nenhum vento destruirá. 

Deste modo, como Pedro, qualquer um de nós que decide assumir o protagonismo na igreja, precisa ser sólido, capaz de enfrentar as dificuldades sem vacilar. No evangelho, em Mt 16,18,  Jesus Cristo – fundador da Igreja católica, disse:

“…tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;”

Portanto, sejamos essa pedra e que nossa fé seja suficiente para sermos transformados pelo fogo do Espírito Santo.

Encerramos o encontro com a lembrança do Sermão da Montanha, o qual indica consequências e possibilidades da presença do Reino de Deus. Mostra, também, que o mundo humano pode e deve ser diferente do que era antes de Cristo, onde agora todos podem ter um coração cheio de amor para com o próximo, sem exagerar no uso egoisticamente dos bens.

Assim, com ajuda de Jesus, comecemos a mudança de dentro para fora e sejamos como Pedro nas nossas ações, na vida, com o irmão que está ao lado.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo … para sempre seja louvado.

Eliana Marques

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 21/02/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Nessa terça-feira, 21.02.2017, o jovem cursilhista Guilherme, membro da nossa Escola Vivencial, falou-nos sobre o tema: ERA ESTRANGEIRO E ME ACOLHESTE: REFÚGIO E DIGNIDADE HUMANA.

img_20170221_194510880

ERA ESTRANGEIRO E ME ACOLHESTE: REFÚGIO E DIGNIDADE HUMANA, tema da mensagem do jovem cursilhista Guilherme

Porque as pessoas procuram refúgio?

O que acontece de tão grave que as levam até essa situação?

Trata-se de um problema que o mundo enfrenta há bastante tempo e nos dias atuais, tem se intensificado de forma assustadora e preocupante, devido ao aumento da violência causado pelo desejo desenfreado dos poderosos de governar, segundo seus preceitos.

Conceito de refugiado, segundo a convenção de 1951, relativo ao Estatuto do Refugiado: São pessoas que se encontram fora de seus países temendo perseguições por motivos de raça, religião, nacionalidade, conflitos armados, violência generalizada, violação massiva dos direitos humanos e opinião política ou participação em grupos sociais e que não possam ou não querem voltar para as suas pátrias de origem.

A situação é mais grave do que as nossas mentes conseguem imaginar. Imagem exibidas pelos meios de comunicação mostram que o marco da guerra civil é a cidade Síria de Alepo, causada pela intolerância religiosa que tem acarretado várias formas de conflitos em todo mundo, não apenas no oriente médio, mas também no continente africano, como também nos Estados Unidos, onde os imigrantes tem enfrentado grande descaso por parte dos governantes.

O medo é o único resultado desses conflitos, despertando nas pessoas a necessidade incontrolável de se protegerem de suas causas que, na maioria das vezes, a única forma de conseguir isso é fugindo, buscando abrigo, proteção e refúgio.

O refúgio é uma forma de proteção às pessoas de condições que venham reduzir a possibilidade de exercícios dos direitos humanos, em especial os da liberdade, vida e expressão.

Os direitos humanos são situações previstas em leis internacionais que buscam assegurar que todos os membros da família humana tenham condições mínimas e dignas de vida.

Os países oficialmente procurados pelos refugiados eram o Líbano, Iraque, Jordânia e Turquia, sendo que tal condição resultou também em crise humanitária nos mesmos, pois ficaram sobrecarregados e  sem a possibilidade plena de mantê-los com as mínimas condições necessárias.

Os direitos humanos e sua ampla proteção, em especial a da dignidade da pessoa humana, carecem de diálogo e compreensão entre os povos para o fim do correto e ideal progresso da humanidade para tempos de ampla prosperidade e equilíbrio social, onde os indivíduos buscarão em comum o bem de todos e a proteção da casa comum, como bem chama o Papa Francisco em sua encíclica Laudo SI.

O Brasil assegura este direito básico à população do planeta, os recebendo, vindo de diversos locais, por razões diversas.

Vejamos o que diz o evangelho de Jesus cristo segundo Mateus, 25,31-40.

″Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me rece­bestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’. Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?’ Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo, que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vivificados e reunidos no seu espírito, caminhamos em direção à perfeição final da história humana., que corresponde plenamente ao seu desígnio de amor: :recapitular todas as coisas em Cristo, tanto as do céu como as da terra” (EF. 1,10).

À luz dessas mensagens, devemos interpretar a condição do homem contemporâneo, a sua vocação e dignidade, assim como os objetivos da sua vida: a família, a cultura, a economia, a política e a comunidade internacional.

Esta é a missão da igreja, ontem, hoje e sempre: anunciar e dar testemunho de Cristo, para que o humano, toda a família humana, possa realizar plenamente a sua vocação.

Papa Francisco: Alegria do evangelho: A comunidade missionária experimenta que o Senhor tomou a iniciativa, precedeu-a no amor; por isso, ela sabe ir à frente, tomar a iniciativa sem medo, ir ao encontro, procurar os afastados, chegar às encruzilhadas dos caminhos para convidar os excluídos (EG 24).

Para reflexão

O quanto estamos sendo sal da terra e luz do mundo? O quanto útil estamos sendo?

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Pastoral Familiar

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Pastoral Familiar

No comentário inicial da santa Missa, presidida por Padre Fernando, intencionamos esta em Alavanca, bem como os trabalhos do dia, aos cursilhos que acontecerão neste próximo fim de semana, no Brasil e no mundo, destacando-se aos novos cursilhistas, que também acontecerá retiro na Ilha de Maiiorca (Espanha) – local do primeiro cursilho no mundo. Lembramos dos aniversariantes.

Na sala de mensagens, Luis Henrique informou que:

  • Os responsáveis pelo Pré-Cursilho no setor de Araçatuba já estão recebendo as fichas do próximo cursilho para homens;
  • Dos 90 carnês de manutenção da casa de São Paulo referente ao nosso setor, 39 já foram entregues restando portanto 41.
  • Pediu disponibilidade de trabalho para preparação da ultreya de Araçatuba, que acontecerá dia 12/03, onde após será servida uma macarronada.
  • Dia 19/03, haverá uma manhã de espiritualidade, promovida pelo GED e dirigida por Padre Jailson da cidade de Santo Antonio de Aracanguá (diocese de Jales)
dsc01912

Casal Waldir e Cida – responsáveis pela Pastoral Familiar na diocese de Araçatuba

Para comunicação, convidado o casal de cursilhistas Waldir e Cida, atualmente como responsáveis da Pastoral Familiar na diocese de Araçatuba.

Informaram que estava como Assessor Espiritual Diocesano Padre Argemiro, ora Monsenhor e que será ordenado bispo no próximo dia 25/02. Para o seu lugar ficará padre Mauro da paróquia Imaculado Coração de Maria.

A primeira intenção desta comunicação na escola vivencial é a proposta que os cursilhistas possam conhecer os trabalhos de outras pastorais e movimentos que estão presentes em nossa diocese e, interessando-se, talvez possam ajudar nos trabalhos destas.

O casal iniciou com um histórico, lembrando que a formação de nossa diocese se deu em 23/03/1994, na vigência do Bispo de Roma João Paulo II. 

Lembrou que:

  • O atual bispo da Igreja Particular de Araçatuba é Dom Sérgio Krzywy.
  • A diocese divida em quatro regiões pastorais (Araçatuba, Birigui, Guararapes e Andradina)
  • Possui uma população atual de 502 mil habitantes, donde se considera no censo que 50% destes são católicos, entre os católicos 50 mil são frequentadores assíduos da igreja.
  • Existe um número expressivo que podem ser considerados afastados.

Assim, pastoral é a ação da Igreja Católica no mundo ou o conjunto de atividades pelos quais a Igreja realiza a missão que consiste primariamente na ação de Jesus Cristo. Pastoral  deriva de pastor. Na simbologia bíblica Deus é comparado ao pastor, aquele que tem ao mesmo tempo, “autoridade e solicitude” com suas ovelhas. “Jesus é o bom pastor”. 

Como instituição, a igreja atua  não só na transmissão da doutrina, mas também no serviço à comunidade.

As prioridades diocesanas, aprovadas em assembleia, são:

  • Eclesial – Evangelização das Famílias
  • Social – Valorização da Juventude e das Pessoas Idosas.

Objetivos da Igreja no Brasil:

  • A partir de Jesus Cristo, na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida, rumo ao Reino definitivo.

Com exemplos de ação evangelizadora em nossa diocese temos ações:

  • Pastoral da acolhida
  • Pastoral  da segurança
  • Pastoral da comunicação
  • Pastoral da musica
  • Pastoral da criança
  • Pastoral do batismo
  • Pastoral do dizimo
  • Pastoral vocacional
  • Pastoral da pessoa idosa
  • Pastoral liturgica
  • Pastoral catequética
  • Conselho paroquial de pastoral
  • Pastoral da juventude  – grupo de jovens
  • Pastoral da sobriedade
  • Pastoral carcerária
  • Pastoral da saude
  • Pastoral do matrimonio

E, entre os movimentos encontramos:

  • MCC – Cursilhos de cristandade
  • Legião de Maria
  • Apostolado da oração
  • Equipes de nossa senhora
  • E C C – Encontro de Casais em Cristo
  • Vigilia de mães
  • Vicentinos
  • Renovação carismática católica
  • Apostolado do oratório
  • Grupo eucarístico de adoração
  • Cebs – com. Eclesial de base
  • Encontro de noivos
  • Escolinha

Já a origem da missão Pastoral Familiar é indicada pelo Estudo 104 da CNBB e se destina a todas as famílias e a todas as situações familiares, para ajudá-las e para servi-las. Observando-se que destina-se às famílias que já estão bem constituídas, mas também às famílias desestruturadas e também àquelas a que chamamos “casos difíceis” e, também, às famílias que, ainda, vão ser constituídas.

imagem-1

Neste sentido, Waldir lembrou que é importante que outros movimentos, bem como outras pastorais, se abram para entender como funciona a Pastoral Familiar, indicando que apesar de cada movimento ter sua metodologia própria e foco específico na ação evangelizadora, necessário se faz com uma interação entre movimentos (e pastorais), vindo a Pastoral Familiar possibilitar essa integração, pois quando se fala em família, lembra-se do casal (pai e mãe), filhos (jovens e crianças), idosos (solitários ou doentes), etc.

Nos slides em anexo, informações mais aprofundadas.

Da comunicação destaca-se ensinamento do papa João XXIII (chamado de Papa Bom ou Papa da Bondade), considerado inicialmente um Papa de transição, depois do longo pontificado de Pio XII, ele convocou, para surpresa de muitos, o Concilio Vaticano II (iniciado em 1962 e concluído em 1965), que visava a renovação da Igreja e à formulação de uma nova forma de explicar pastoralmente a doutrina católica ao mundo moderno, .

João XXIII , no fim de sua vida, disse que lembrava pouco de tudo que aprendeu nos bancos escolares, mas que lembrava tudo que aprendeu com seus pais.

Desta forma, todos os movimentos e pastorais devem olhar com muito carinho às crianças, que um dia se transformarão em jovens, depois noivos, então pais e caminharão para o envelhecimento natural. 

Item Material Utilizado LINK (s)
1 material em Powerpoint painel-cursilho

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 20/02/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 20/02/2017, nossa irmã Patrícia, partilhou conosco o Tema: “A VIDA EM CRISTO“.

100_9849

Patricia fala sobre “A vida em Cristo”

Para termos a vida em Cristo, temos que dar a Ele, todo o nosso ser, nosso corpo e todas as nossas atividades, toda a nossa alma, as nossas faculdades, tudo o que possuímos, tudo o que somos e seremos, tudo o que fazemos e faremos, dar a nós mesmos sem esperar recompensa, como Ele se deu ao Pai.

É dessa forma que podemos ter a nossa vida em Cristo, ouvindo, crendo, meditando, comunicando e cumprindo com a palavra de Deus, porque não basta lermos o evangelho, precisamos meditá-lo e vivenciá-lo.

Para estar completamente vivendo a nossa vida em Cristo, temos que segui-Lo, cumprindo fielmente as obrigações diárias, grandes e pequenas, por Amor a Ele, pedir muitas graças para podermos compreender mais firmemente, participando fielmente das missas, da Eucaristia e do Sacramento da Reconciliação.

Todo dia é preciso olhar nossas ações e refletir por que as fazemos, se realmente são da vontade de Deus ou, se somente, são para nosso amor próprio.

DE COLORES!

Jovania

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Piacatu – 20/02/2017

Escola Vivencial MCC – Piacatu

Nesta segunda-feira, 20/02/2017, na escola vivencial de Piacatu, Elizabeth de Lima Lacerda Gomes (Beth) fez a comunicação cujo tema foi “A importância da oração – alavanca”.

alavanca-beth-001

O que é Alavanca?

Substancialmente falando, é uma barra de material resistente, usada para mover (ou erguer) qualquer objeto pesado, com base num ponto de apoio.

Já para o MCC, ALAVANCA é uma manifestação (individual ou coletiva) de pedidos a Jesus Cristo, tais como, orações, renúncias e sacrifícios que oferecemos por nossos irmãos e irmãs, por exemplo, quando estão participando do retiro do cursilho, ultreya, encontro de formação, assembleia, etc.

Sabemos que a fé e a oração tem o poder de socorrer aqueles que amamos. Fazer nossas orações através de renúncias, sacrifícios, louvores, meditações, ações, etc. é um ato de Amor.

Neste plano, destaca-se a tradição pela qual durante a realização de um cursilho, comunidades de cursilhistas – do mundo inteiro – permanecem em oração, pedindo a Deus pelo sucesso das atividades daquele retiro.

Essa prática, conhecida como “alavanca”, tem a intenção de intercessão da comunidade orante, para que impulsione o ambiente em que se reúnem os participantes, a fim de que façam a experiência de um profundo encontro com Deus, transformador da sua própria vida e das realidades em que se vivem.

Pede-se pelo bom andamento do cursilho, conversão de todos os participantes, para que o Espírito Santo acenda em seus corações uma adesão por Jesus Cristo e se unam na construção de um mundo justo, fraterno e solidário.

Qualquer pessoa, em qualquer momento, pode fazer orações como forma de alavanca, mesmo quem não tenha feito à experiência de participar de um retiro do Movimento de Cursilhos de Cristandade.

Ainda, para lembrar aos participantes do cursilho, que muitos outros estão em íntima sintonia com aquele retiro, envia-se orações de estímulo, de forma escrita (antes por carta, atualmente por e-mail), para que durante o retiro, sejam lidas aos novos cursilhistas.

Neste momento, espera-se que a partir da força da oração, eles entendam a importância que têm para suas famílias, amigos e até de pessoas que, talvez, eles nunca conhecerão, mas que, também, estão rezando pela sua conversão.

Portanto, numa pequena demonstração da grandiosidade, unidade e organização do MCC mundial, é importante que façamos e, também, enviemos nossas alavancas aos cursilhos, exatamente, como um dia fizeram por nós.

Em Jo 17,9 – Jesus reza pedindo ao Pai por nós:

“não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são seus”.

No Evangelho de Mc 9, 14-29 – Jesus, antes de realizar o milagre, conversou com o pai da criança e exigiu dele uma postura de fé. Depois, chamou a atenção dos discípulos sobre a necessidade da oração.

Devemos conhecer profundamente os desafios que nos são colocados no trabalho evangelizador.

De Colores!!!

Beth e Beto

Este slideshow necessita de JavaScript.

GED – Encontro de Formação – 18/02/2017

GED – Encontro de Formação

Então Pedro tomou a palavra e disse a Jesus: ‘Mestre, é bom ficarmos aqui. Vamos fazer três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias. ‘Pedro não sabia o que dizer, pois estavam todos com muito medo. Então desceu uma nuvem e os encobriu com sua sombra. E da nuvem saiu uma voz: Este é o meu Filho amado. Escutai o que ele diz!’ (Mc 9,5-7)

dsc01870

Nelson e Marina responsáveis das escolas vivenciais no GED.  

Nesta tarde de sábado, 18/02/2017, aconteceu na Casa de São Paulo, Encontro de Formação, preparado pelo GED do MCC da diocese de Araçatuba, com fins de avaliar, acompanhar e corrigir falhas no Cursilho que ora se realiza em dois dias (dois para homens e dois para mulheres).

A acolhida do encontro se deu pelo vice-coordenador Joaquim e a condução por Marina e Nelson, responsáveis pelas escolas vivenciais no Grupo Executivo Diocesano.

Pe Agnaldo, assessor espiritual do MCC na diocese, esteve presente e acompanhou os trabalhos, bem como a socialização dos três grupos formados por coordenadores de Cursilho (homens e mulheres) e de Cozinha, acompanhados por mensageiros e futuros mensageiros.

Em que pese atualização do cursilho em dois dias, como sinais dos tempos, ainda permanecerá toda a formação para a continuidade do cursilho em três dias para jovens (férias de julho).

dsc01877

Pe Agnaldo, atualmente pároco em Lavínia e há 17 anos como assessor espiritual do MCC na diocese de Araçatuba

Assim, o GED tem agido com muita atenção com todas as nuances que se encontram neste precioso retiro do MCC, contudo a retirada de um dia, obriga que algumas mensagens devam ser agrupadas e, ainda, diminutas no seu tempo originário.

Com fins de buscar o cristão afastado e para que surta o pleno exito, da entrega e recebimento da mensagem principal do cursilho, todos os cuidados estão sendo tomados pelos coordenadores e esta formação serve para uniformizar a condução dos mesmos.

É vero que a metodologia (própria do cursilho) não pode ser alterada (senão estaríamos criando um outro retiro de um novo movimento) vez que é a mesma é adotada em todos os países onde o MCC está presente.

Desta forma, o GED (com base nos documentos do GEN) vem orientando os coordenadores (cursilho e cozinha) além dos mensageiros como se adequar a este novo desafio, pois todos sabemos que Cristo conta conosco.

dsc01878

Socialização das propostas dos grupos (Ana Paula, Poliana e Rodrigo)

Para tanto, já segue o convite para os próximos trabalhos e coloquem em suas agendas, dando disponibilidades aos próximos cursilhos, sendo homens entre 31/03 à 02/04 e para mulheres de 19 a 21/05.  

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Coroados – 15/02/2017

Escola Vivencial MCC – Coroados

A paz de Jesus esteja com todos.

Nesta quarta-feira, 15/02/2017, nosso encontro foi uma reflexão para todos.

A mensagem foi: Como Bartimeu, peçamos ao Senhor que possamos ver.

img_2578

O tema nos remete a pensar que não podemos ficar parados diante da presença de Jesus.

Assim como Bartimeu, ouvimos falar muito de Jesus, sabemos quem Ele é. Mas estamos mais focados nos milagres que Ele pode vir a fazer em nossa vida, esquecendo de olhar para Jesus e ver o seu verdadeiro sentido. 

Bartimeu, muito embora fosse cego, ele não estava acomodado nessa situação. Portanto, devemos ser, também, pessoas de atitudes e não nos acomodar diante das dificuldades. Não ser limitado e que a cegueira do mundo não nos domine.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Para sempre seja louvado.

Eliana Marques

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Birigui – 15/02/2017

Escola Vivencial MCC – Birigui

Com muita alegria, no dia 15/02/2017, recebemos nosso irmão cursilhista João Geraldo, da cidade de Guararapes, que apresentou a comunicação: “Vinde alegrai-vos no Senhor

20170215_210832_resized

João Geraldo, fala sobre “Vinde alegrai-vos no Senhor

Seguir Jesus depende de cada um de nós, mas para se alegrar em Cristo é preciso: Acreditar em si mesmo, ter foco em Jesus Cristo e nos seus ensinamentos.

A partir do momento que eu me amo, me cuido, eu transmito isso ao outro, assim a felicidade começa de dentro e transborda!

Louvado seja nosso senhor Jesus Cristo!

Carine Valente

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 14/02/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Nesta terça-feira, 14.02.2017, iniciamos nosso encontro com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, no final dessa semana, pedindo orações em alavancas, para que todos eles sejam abençoados por Deus e alcancem os objetivos propostos.

Invocamos a presença do Espírito Santo e proclamamos o evangelho de Jesus Cristo segundo Mc 8-14,21.

Este que vos escreve, fez uma breve reflexão sobre a origem e a importância do MCC no seio da igreja, como também da Escola Vivencial, na preparação de cursilhistas, para os trabalhos e ações missionárias evangelizadoras.

img_20170215_084607120-copia-copia

Escola reunida para promover ações para trazer os cursilhistas afastados ao MCC

Na sequência, com a participação de todos os presentes, fizemos um balanço dos trabalhos realizados no ano de 2016, ouvimos propostas e sugestões visando a melhoria do conteúdo dos trabalhos e a participação mais efetiva dos cursilhistas nas reuniões semanais e nos eventos promovidos pelo Movimento de Cursilhos.

Como primeira proposta de pós-cursilho, elaboramos convites que serão entregues (pessoalmente) aos cursilhistas afastados, visando voltar a caminhar conosco, pois a messe é grande e os trabalhadores são poucos.

Jesus continua contando com todos nós!

Juntos, somos mais fortes!

Paz e bem!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 13/02/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 13/02/2017, a coordenadora Ana Paula, fez a acolhida aos cursilhistas, dando as boas vindas à escola vivencial. Depois da oração inicial, Ana fez uma breve explanação do calendário da escola.

100_9759

Ana Paula,  coordenadora da escola, apresentou o calendário do primeiro semestre 

Em seguida fez a reflexão do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 8, 11-13.

Esse evangelho nos mostra que existem pessoas que sempre estão tentando a Deus, pois, assim como os fariseus pediam um sinal do céu para por Jesus à prova.

Muitas pessoas fazem “chantagem” com Deus, numa série de exigências e pedidos mesquinhos para satisfazer seus desejos e fundamentam a sua fé não no amor a Deus, mas na satisfação de suas exigências.

Deus se fez homem, em seu Filho Jesus, que deu sua vida para nos salvar. Porque pedir prova de seu poder, ou de seu Amor por nós?

O grande sinal de Deus, que Jesus Cristo veio nos ensinar é o AMOR:

“Amai-vos uns aos outros, como EU vos amei”.

O amor verdadeiro é um “doar-se” constantemente sem esperar nada em troca, sem esperar retribuição. Este é o sinal de Deus: o AMOR.

Um amor que não se cansa, um amor de natureza humilde.

Entender os sinais de Cristo pode não ser compreensível a todos, principalmente, aqueles cristãos que seguem por seguir seus ensinamentos, para aparentar pertencer a uma religião.

Não basta somente dizer que é cristão, é preciso amar a Cristo, amar a Deus acima de tudo e dar a vida.

Mas o que é esse “dar a vida a Deus”?

É simplesmente viver a vida por esse amor a Deus.

Paz de Cristo!

Abraços

Jovania

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Piacatu – 13/02/2017

Escola Vivencial MCC – Piacatu

Nesta segunda-feira, 13/02/2017 na Escola Vivencial de Piacatu, com muita alegria tivemos a comunicação do irmão em Cristo, Paulo Navacchio, que fez a comunicação sobre “As bem-Aventuranças”.

16683934_1154136054704021_7146531514443843907_n

Paulo Navaccchio, cursilhista de Piacatu

A palavra chave das Bem Aventuranças é a “FELICIDADE” e a verdadeira resposta para a felicidade está na vivencia das bem-aventuranças, que está em Mt 5, 1-12.

Jesus Cristo quer que cada um de nós seja feliz. Não adianta só conhecermos as bem-aventuranças, temos que fazer uma reflexão sobre ela, vivenciá-las no dia a dia com mudanças pessoais.

Temos que sermos misericordiosos, generosos, fraternos, puros de coração, falando a verdade e vivendo o amor.

Promover a paz através da tolerância, diálogo e, sempre, manso de coração.

De Colores!!!

Beth e Beto

Este slideshow necessita de JavaScript.

GED – Comunicado – Encontro de Formação 18/02/2017

GED – MCC de Araçatuba

Comunicado: Encontro de Formação – 18/02/2017

Por determinação da última Assembleia Diocesana do MCC, ficou acertado o Encontro de Formação, para avaliação e acompanhamento do cursilho em dois dias, no dia 18/02/2017 (sábado),  no horário das 14 às 16 horas, na Casa São Paulo.

Para tanto, desde já, convocados todos os coordenadores de Cursilho, coordenadores de Cozinha, mensageiros e futuros mensageiros para participarem do encontro, sendo aberto aos demais cursilhistas.

A presença de todos é fundamental para os trabalhos que serão realizados e fortalecimento do Movimento de Cursilhos de Cristandade de nossa diocese.

Saudações De Colores.

Nelson / Marina
responsáveis pelas escolas vivencias no GED

Jubileu de prata do sacerdócio de Pe Sidnei da Silva Mendonça – 08/02/2017

Jubileu de Prata de Sacerdócio

Pe Sidnei da Silva Mendonça

Com surpresa recebi a comunicação do Jubileu de Prata da Ordenação Sacerdotal do Padre Sidney. Não tinha me dado conta de que já passara todo esse tempo.

Conheci Padre Sidney no seu primeiro ano de sacerdote, no Movimento de Cursilhos. Padre jovem, querido de todos, passou a ajudar o Padre Ariento Domenici, assessor espiritual do Movimento de Cursilhos, em algumas atividades. Ele fez algumas comunicações da Escola Vivencial do MCC em Araçatuba e todos o incentivavam a fazer o Cursilho. Padre Ariento o queria para assessor espiritual e, assim o estimulava e auxiliava para isso. E um dia, finalmente, ele fez a experiência do Cursilho Três Dias.

2017-02-08-x-25-anos-pe-sidnei-003

Pe Sidnei completa 25 anos de sacerdócio

Com a criação da Diocese de Araçatuba em 1994, o Cursilho que já existia em Araçatuba desde o ano de 1969, pertencente à Diocese de Lins, realizou sua primeira assembleia, dando início ao Movimento de Cursilhos da Diocese de Araçatuba, cujas atividades se iniciaram em janeiro de 1995. Padre Sidney foi indicado pelo bispo diocesano Dom José Castanho de Almeida o primeiro assessor espiritual do Movimento da nova Diocese.

Então nosso primeiro cursilho para homens realizou-se no período de 19 a 22 de abril de 1995, tendo o Pe Sidney assumido também a sua primeira direção espiritual num cursilho, permanecendo nessa missão até o 12º cursilho que se realizou de 25 a 28 de abril de 2001. Nesse tempo de diretor espiritual dos cursilhos para homens e para mulheres, foi auxiliado pelos padres Ariento Domenici, Frei Clóvis Barbosa e pelo Padre Agnaldo Israel Ferreira (cursilhos 11 e 12). A partir de 2002, Padre Agnaldo assumiu a direção espiritual do Movimento de Cursilhos, bem como dos cursilhos para homens, para mulheres e para jovens.

As lembranças de Padre Sidney no Movimento de Cursilhos são as mais elevadas. Sua história de vida permanece no coração de todos os que com ele puderam compartilhar a experiência do cursilho. Em determinado tempo, dizíamos a respeito da metodologia do cursilho, do esquema de mensagens: sua mensagem, sua vida (Seu rollo, sua vida) ou ainda o esquema de mensagens é o esqueleto, a sua vida é a carne. A mensagem do Padre Sidney sempre foi a sua própria vida: pessoal, familiar, sacerdotal, comunitária. Mensagem de vida, de encontro, da presença de Cristo nos corações e mentes daqueles que sempre clamaram por este encontro. Padre Sidney soube ouvir os anseios, as necessidades, o clamor das pessoas.

Na celebração da missa em comemoração ao Jubileu de Prata de sua ordenação sacerdotal, na paróquia São Brás de Birigui, no dia 08 passado, ao encerrar a homilia, Padre Edgar pediu a Padre Sidney que caminhasse no meio do povo, que fosse ao encontro do povo. Foi um ato tocante, Pe Sidney caminhando pela igreja, cumprimentando o povo, abraçando pessoas. Estive nesta celebração, mas por não ter chegado mais cedo, participei da missa com uma multidão do lado de fora da igreja, no barracão ao lado. Quando Padre Sidney chegou até o barracão, a emoção foi geral: de alegria, de celebração, de gratidão, de amor… E a multidão aplaudiu e gritou, um grito de agradecimento, de reconhecimento. Como se todas as pessoas presentes pudessem lhe dizer: obrigado por tudo o que você tem feito, obrigado por todas as vezes que você veio ao nosso encontro, nos socorrer, nos trazer a sua vida, nos trazer o amor de Jesus. Obrigado porque você sempre esteve no meio do povo de Deus.

Cursilhistas de várias cidades estiveram lá, saudando o querido Padre Sidney.

As celebrações continuam, estão agendadas missas para celebrar o Jubileu de Prata da ordenação do Padre Sidney: dia 12 de março, na Paróquia São Pedro de Guararapes; no dia 18 de maio, na Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Araçatuba; no dia 20 de agosto, na Paróquia São José de Castilho.

Vamos levar a ele nosso abraço. Abraço que, infelizmente, não pude lhe dar na Igreja São Brás. Mas expresso meu carinho, minha gratidão, em nome da comunidade cursilhista.

Joaquim Benício Peruzzo
vice coordenador do GED no MCC de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Birigui – 08/02/2017

Escola Vivencial MCC – Birigui

Bom dia.

Seguem algumas fotos de 08/02/2017, do encontro da escola vivencial, com a celebração da Palavra feita pelo ministro Paulinho.

20170208_204016

Celebração da Palavra por Ministro Paulinho 

Houve oferta e como gesto concreto pedimos a todos que trouxessem leite para doarmos as famílias que tem sofrido com o câncer em nossa cidade, resultando em 162 litros para serem partilhados.

Abraço 

Adriano Valente

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 07/02/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 07.02.2017, com a graça de Deus, iniciamos nossos trabalhos do corrente ano, com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, no final dessa semana, pedindo orações em alavancas, para o bom êxito de todos eles.

É sempre uma alegria renovada compartilhar momentos de espiritualidade, de encontro com os irmãos e com Deus, onde  todos professam da mesma fé, do mesmo amor a Igreja e da mesma devoção à Nossa Senhora, que não se cansa de interceder por nós.

Como de costume, da mesma forma como encerramos 2016, começamos 2017 adorando o Santíssimo, momento de profunda intimidade com Deus, pedindo ao Senhor que sejamos perseverantes e firmes na nossa missão, não deixando nos abater pelos desafios, pois Jesus é nossa vida e nosso guia.

img_20170207_192127229

Momento de Adoração

Que no decorrer do ano de 2017, o Espírito Santo se faça sempre presente nos encontros das nossas Escolas Vivenciais, reinando a paz, a alegria e o desejo ardente de servirmos a Deus e aos irmãos.

Paz e bem!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 07/02/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Nesta terça-feira, 07/02/2017, retornamos os trabalhos na escola vivencial de Araçatuba, iniciando os trabalhos com a santa Missa em Ação de Graças aos cursilhos que se realizarão no próximo fim de semana, no Brasil e no mundo, presidida por Pe Fernando, que dia 02 de fevereiro, completou 15 anos de sacerdócio e, agora, está como pároco da paróquia Imaculado Coração de Maria. Lembramos dos aniversariantes.

Na sala de mensagens, a comunicação ficou para Luís Henrique que, inicialmente, apresentou o calendário da escola para o primeiro semestre de 2017.

dsc01830

Calendário primeiro semestre de 2017

Na sequência, dividiu os presente em três grupos, para que elaborassem um plano de salvamento para um avião que caiu no deserto, morrendo todos os tripulantes,  restando apenas 100 passageiros vivos. Para tanto, ainda, indicou alguns materiais que foram encontrados juntos dos destroços do avião e que poderiam servir para a sobrevivência.

Cada grupo pode apontar, na sua visão, quais os materiais que eram mais imprescindíveis que os outros para ajudar na sobrevivência de todos até que houvesse o resgate.

Por fim, independente dos acertos, Luis apresentou uma sequencia indicada por especialistas em resgates, fazendo conotações do que acontece em nossa escola vivencial.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 06/02/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Inicio das atividades da Escola Vivencial de Gabriel Monteiro.

Celebração da Santa Missa, presidida pelo Frei Claudemir.

Paz e bem a todos!

Jovania

100_9639

Frei Claudemir, preside a Santa missa de retorno das atividades da escola vivencial de Gabriel Monteiro

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Coroados – 01/02/2017

Escola Vivencial MCC – Coroados

img_2033

Retorno das atividades, em 2017, da Escola Vivencial de Coroados 

Que a paz de Jesus esteja com todos.

Nesta quarta-feira, 01/02/2017, demos início aos nossos encontros em Cristo na escola vivencial, relembrando que Jesus é por nós, que ele é a luz, consolo e compaixão e, que Jesus Cristo sempre será necessário em nossas vidas, porque a sua presença é confortadora.

Neste ano de 2017 que sejamos para nossos irmãos o consolo, o conforto,a luz , assim como Jesus é em nossas vidas. Finalizamos com a leitura do Evangelho que nos alimenta e revigora.

Paz e  bem!

Saudações De Colores e feliz 2017 para todos.

Eliana Marques

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sou cristão, mas não sou religioso

Sou cristão, mas não sou religioso

Desde a minha conversão à Igreja, tenho observado um movimento entre os jovens cristãos que afirmam amar Jesus, mas rejeitam a “religião”.

Eu não acho que este movimento seja de todo ruim.

web-texting-church-millennial-antonio-gravante-shutterstock.jpg

Muitos cristãos da geração millennial que rejeitam a “religião” argumentam que as pequenas diferenças entre as denominações cristãs realmente não importam no final. E eles estão certos; Há pouca diferença real entre muitas das denominações cristãs que surgiram ao longo do tempo desde a Reforma. Quando eu estou no meu estado natal de Oklahoma, eu me deparo com o número absurdo de igrejas diferentes que afirmam estar voltando às raízes do cristianismo.

Porém, a fragmentação sem fim de denominações cristãs é um escândalo para a unidade à qual Cristo nos chama (Jo 17,21). Talvez a rejeição dessas diferenças religiosas entre os jovens cristãos possa ser o início de um movimento ecumênico para a unidade no Corpo de Cristo. Neste sentido, sim, vamos rejeitar as “religiões” baseadas em diferenças superficiais e enraizadas na divisão e no pecado.

Mas, como uma ex-ateia, eu tenho que dizer que há também algumas bandeiras sérias neste movimento para rejeitar a “religião”. Em uma recente tarde de domingo, a hashtag #EuNãoVouÀIgrejaPorque estava entre os top trends no Twitter. Para minha surpresa, muitos dos tuítes foram de cristãos que, orgulhosamente, proclamaram que eles não “precisam” de religião, eles só precisam de Jesus. Parece que a mentalidade sob a rejeição dos sacramentos entre alguns cristãos evoluiu naturalmente para uma rejeição de algo tão básico como celebrar a Eucaristia semanalmente.

Além do fato óbvio de que isso acontece sempre na milenar tradição cristã, há também a preocupação válida de que esta forma de “cristianismo”, baseada em nada mais que sentimento, vai se tornar, dentro de uma geração ou duas, em ateísmo.

E como esta nova forma de “Cristianismo” evoluiu: Muitas pessoas que estão neste movimento argumentam que separar o Cristianismo da “religião” nos ajuda a voltar às raízes do Cristianismo, às reais intenções de Jesus.

Mas a Bíblia e os escritos dos padres primitivos da Igreja revelam muito pouco para sustentar essa afirmação.

Aqui estão algumas evidências da Escritura e da história antiga da Igreja:

1. Os cristãos se reúnem para adorar: Deus nos deu uma orientação clara e as Escrituras deixam evidente que os primeiros cristãos se reuniam para uma refeição eucarística todos os domingos. Reuniões de domingo nunca foram uma prática opcional para os cristãos. Se acreditamos que Jesus morreu por nós, o mínimo que podemos fazer é adorá-lo por uma hora todos os domingos.

Tome cuidado, então, muitas vezes para se reunir para dar graças a Deus, e mostrar o seu louvor. Pois quando vocês se reúnem frequentemente no mesmo lugar, os poderes de Satanás são destruídos, e a destruição a que ele se propõe é impedida pela unidade de sua fé. – Inácio de Antioquia, Carta aos Efésios.

 No primeiro dia da semana, nos reunimos com a finalidade de partir o pão (Atos, 20:7)

2. Religião é o que nos liga a Deus: Há muito desdém pelas práticas exteriores de piedade nos dias de hoje. E certamente, é verdade que as práticas exteriores não levam sempre à caridade e santidade. Mas isso não é motivo para deixá-las para trás. Somos corpo e alma. A relação com Deus é alimentada por práticas exteriores; elas nos ligam a Deus e estamos ligados a ele através da nossa religião.

Estamos unidos e ligados a Deus por este vínculo de piedade. É disso que a religião toma seu nome. – Lactâncio, As Instituições Divinas

Pois assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras está morta. – Tiago 2:26

3O cristianismo é comunidade: Nossa fé não é apenas um relacionamento individual com Jesus. O Cristianismo envolve relacionamento com Deus (que é, Ele mesmo, uma comunidade de pessoas) e relacionamento com os outros em sua Igreja. É doloroso e difícil estar em relacionamento com outros pecadores. Mas nossa fé nos chama a estar em união não apenas com Deus, mas com outras pessoas.

Somos um corpo unido como tal por uma profissão religiosa comum, pela unidade de disciplina e pelo vínculo de uma esperança comum. Nós nos reunimos como uma assembleia e congregação … Nós nos reunimos para ler nossos escritos sagrados … Em mente e alma, não hesitamos em compartilhar nossos bens terrenos um com o outro. – Tertuliano, Desculpa

Pois, como em um corpo temos muitos membros, e todos os membros não têm a mesma função, então nós, embora muitos, somos um corpo em Cristo, e membros individualmente um do outro. – Romanos 12: 4-5

4. O cristianismo tem sucessão apostólica: As Escrituras deixam claro que Paulo nomeou bispos, Timóteo e Tito, e lhes pediu que designassem presbíteros (1 Tm 2: 2). Quando as pessoas rejeitam a hierarquia e a autoridade legítima em favor do individualismo, rejeitam Jesus e a Igreja que ele fundou.

Quando nos referimos a essa tradição que se origina dos apóstolos e que é preservada por meio da sucessão de presbíteros nas Igrejas, eles se opõem à tradição, dizendo que eles mesmos são mais sábios não meramente do que os presbíteros, até mesmo os apóstolos, porque eles descobriram a verdade não adulterada. – Irineu, Contra todas as heresias

Não negligencie o dom que há em ti, que foi conferido através da palavra profética com a imposição das mãos do presbitério. –  1 Timóteo 4:14

Cristianismo é uma religião. Sempre foi. E o movimento para remover a “religião” de nossa fé é um movimento que, em última instância, poderia minar a transmissão da fé para as gerações vindouras.

Essas são apenas algumas coisas que você pode apontar da próxima vez que uma pessoa disser que ele ou ela acredita em Jesus, mas não acha que é necessário praticar a religião.

Fonte: http://pt.aleteia.org/2017/01/31/sou-cristao-mas-nao-sou-religioso/

GED – Retorno das Atividades nas Escolas Vivenciais (01/02/2017)

GED – Retorno das Atividades nas Escolas Vivenciais (01/02/2017)

“Depois disto, o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e enviou-os à sua frente de dois em dois a todas as localidades, vilas e aldeias que tencionava visitar mais tarde. Foram estas as instruções que lhes deu: Roguem ao Senhor da seara que envie mais trabalhadores, porque a seara é vasta e os trabalhadores são poucos.” (Lc 10,1-2)

volta-as-aulas-1

A última assembleia (nov/2016) do Movimento de Cursilhos de Cristandade programou para a primeira semana de fevereiro (2017) o retorno das atividades semanais das Escolas Vivenciais, presentes em quatorze cidades de nossa diocese, respeitando-se os dias da semana de encontro da escola na sua cidade:

  1. Araçatuba
  2. Bilac 
  3. Birigui (quarta
  4. Castilho
  5. Coroados
  6. Gabriel Monteiro
  7. Guaraçaí,
  8. Guararapes
  9. Lavínia
  10. Mirandópolis
  11. Murutinga do Sul
  12. Piacatu,
  13. Santópolis do Aguapeí 
  14. Valparaíso

mcctemposO MCC tem uma estratégia que se encontra em seus três tempos. O primeiro tempo trata do Pré Cursilho; o segundo visa o retiro do Cursilho Três (ou dois) dias e o terceiro é o Pós Cursilho.

No terceiro tempo é priorizado a formação integral do cristão e, por isso, a Escola Vivencial assume uma importância muito grande para o movimento. Entre os cursilhistas se diz que “sem a escola não existe o Movimento de Cursilhos, ela é a mola-mestra do MCC”.

Em nossa diocese, as quatorze escolas vivenciais estão sob a coordenação do GED – Grupo Executivo Diocesano do MCC, sendo responsável por orientá-las na escolha dos temas a serem estudados, auxiliando na elaboração/execução dos trabalhos. Por sua vez, o GED de cada diocese também recebe orientação do GER – Grupo Executivo Regional que recebeu orientação do GEN – Grupo Executivo Nacional.

Durante o ano, os estudos se dividem em quatro eixos:

  • Evangelização
  • Doutrina
  • Formação Social 
  • Formação para o próprio MCC

Dos eixos surgem comunicações específicas, exemplificadas pela Campanha da Fraternidade, estudos/documentos da Igreja (ex.: Comunidade de comunidades: Uma nova Paróquia), o Catecismo da Igreja Católica, sempre seguindo a caminhada com a Diocese em suas prioridades.

Algumas comunicações acontecem com a orientação e a colaboração dos sacerdotes da Igreja Particular de Araçatuba, bem como, com a participação efetiva do estimado Bispo Dom Sérgio Krzywy, sempre que sua extensa agenda permite.

Neste ano, dentro das comunicações sobre a Doutrina e/ou documentos da Igreja, com certeza estará presente o tema “Exortação Apostólica Pós-Sinodal do Santo Padre Francisco – Amoris laetitia”, além do tema sobre os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora – venerada no Brasil com o título de Aparecida e 100 anos de Nossa Senhora – venerada em Portugal sob o título de Fátima.

Para a interpretação dos “sinais dos tempos”, na medida do possível, são desenvolvidos temas sociais, fatos da atualidade, o que a Igreja nos orienta sobre determinadas questões presentes nas realidades sociais, como documento 105 da CNBB.

Para favorecer a unidade entre as escolas, alguns temas são comuns e apresentados por “intercâmbio” de comunicação e comunicadores. Com isso, exercita-se a interatividade e a missionaridade da Boa Nova.

Joaquim Benício Peruzzo
Vice Coordenador do GED do MCC da diocese de Araçatuba