Escola Vivencial MCC – Bilac – 19/06/2018

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 19.06.2018, iniciamos o encontro invocando a presença do Espírito Santo para fortalecimento da nossa fé, orações do Pai Nosso e Ave Maria, leitura e breve reflexão do evangelho da liturgia do dia em Mt 5,43-48.

“Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim? Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus”.

Na sequencia, o Luiz Henrique, da cidade de Araçatuba, acolhido com muito carinho por todos os presentes, falou-nos sobre o tema: O Cursilho por Dentro.

298

O mensageiro começou apresentando a história do Movimento de Cursilhos e Cristandade, seu surgimento e primeiros passos evangelizadores.

Destacou os documentos para estudos disponibilizados pelo MCC, dando maior ênfase para a edição atualizada do documento “O Cursilho Por Dentro – Ambientação e Esquemas”.

De forma clara e objetiva, apresentou individualmente as mensagens que são proferidas nos três (ou dois) dias de cursilho e a dinâmica da apresentação das mesmas, bem como a importância que cada uma representa para o MCC.

No final, lembrou a necessidade de formação de novos mensageiros e incentivou a todos a preparem mensagens para apresentação no cursilho.

Paz e bem a todos!

Saudações De Colores.

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 19/06/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Não leveis bolsa nem mochila, nem calçado e a ninguém saudeis pelo caminho. (Lc 10,4)

Nesta terça feira, 19/06/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com orações em alavanca aos cursilhos que se realizam no Brasil e no mundo. Oramos também pelos venezuelanos, pelo Brasil, pelas crianças, pelos desempregados e pelos doentes.
DSC03021

Nelson dirigiu as orações e foi proclamado o Evangelho de Jesus Cristo na liturgia do dia em Mt 5, 43 – 48, por Valdeci e em seguida houve a partilha da Palavra.

Na sala de mensagens, foram dados recados sobre a Festa Junina pela Sílvia.

A mensagem feita por Ana Paula, de Gabriel Monteiro, que esteve acompanhada de seu marido Carlos Renato, cujo tema foi “Desapego – para o bem de si e do próximo“.

DSC03034

Desapego significa- perder a afeição, desprendimento diante das coisas superficiais. A comunicadora apresentou três tipos de desapego:

  • coisas
  • pessoas
  • situações

Coisas: desapegar-se de roupas, sapatos, livros, etc… com uma visão mais equilibrada e saudável, libertando-se dos excessos que os prendem.

Pessoas: ser livre não nos impede de criar vínculos com os outros. Ex. “esse é o meu namorado”, devemos lembrar que a outra pessoa não é posse dela. Tem que haver discernimento sobre os relacionamentos, ter consciência que nenhuma pessoa nos pertence.

Situações: guardar na memória traumas, situações difíceis. Ficar apegado a uma situação difícil do passado. Devemos assumir o passado sem apego. A depressão muitas vezes está ligada a uma situação difícil do passado.

Citou 5 coisas boas que o desapego traz.

  1. faz a gente parar de olhar para o nosso umbigo e olhar para o mundo ao redor.
  2. sensação de generosidade – ser generoso.
  3. reduz o consumo.
  4. diminui a poluição e o descarte desnecessário.
  5. ajuda na prática do desapego material.

Desapego é uma virtude cristã.

Apego excessivo gera sofrimento e medo. Afeta a saúde do corpo. Desapegar-se é um ato de amor, afirmando que:

“Apego é um falso amor; o amor nos deixa livres; o apego diz eu te possuo”.

Entregando-se a Deus, o homem renuncia a si próprio. Nossa vida não dura para sempre. Temos que enfrentá-la com coragem e fé e amor. O amor tem de ser: a Deus, a si próprio e aos outros.

Aparecida Ribeiro da Silva
32º Cursilho de Mulheres da Diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Murutinga do Sul – 19/06/2018

Escola Vivencial MCC – Murutinga do Sul

Comunicação: “Ideias Fundamentais do MCC”
Mensageiro: Jacomelli

  • O Cursilho
  • Pós Cursilho

WhatsApp Image 2018-06-20 at 08.14.58

Também, apresentado um vídeo que demonstra a importância de se dar testemunho ao mundo por ações conformadas à vocação de Deus, em socorro aos desamparados em todo mundo.

“…Você foi chamado por Deus! Vá ao mundo e anuncie que Jesus está vivo e pode salva-los das trevas.”

Após o vídeo entregue uma vela abençoada a cada um, para dar a alguém que precise LUZ em sua vida.

Drieli Oliveira Fioravante Araújo
4º Cursilho para Jovens da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Piacatu – 18/06/2018

Escola Vivencial MCC – Piacatu

Nesta segunda-feira, 18/06/2018, na Escola Vivencial nossa irmã em Cristo Adriana cursilhistas também de Piacatu fez a comunicação com o tema “Evangelização: Vocação e missão da Igreja”.

35643403_1622479697869652_5678060646369853440_n

Adriana falou que Evangelizar significa é “dar a boa notícia” e é a grande tarefa daqueles que formam a Igreja.

Vocação é um chamado de Deus para a prática, é louvar e servir a Deus e ao próximo.

Pelo batismo o ser humano é chamado por Deus em nome de Jesus e do Espírito Santo, que lhe dá uma missão própria indelegável.

Missão na revelação bíblica está intimamente relacionada à história da salvação, ao desejo de Deus de que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade. (1Tm 2,4) Por isso a missão da Igreja está ligada ao envio.

“Ide, fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-os a observar tudo quanto vos mandei.” (Mt 28,19-20) 

Igreja é o conjunto de fiéis unidos pela mesma fé e que celebram as mesmas doutrinas religiosas. Portanto, Igreja somos todos nós. Os leigos precisam ter uma consciência clara, não somente de pertencerem à Igreja, mas de serem Igreja.

Nossa missão hoje, mais do que nunca, pelo poder do Espírito Santo é sermos testemunhas de Jesus Cristo e mostrar ao mundo que sem Ele não há salvação eterna e nem felicidade terrena.

Como o apostolo Paulo devemos dizer:

“Ai de mim se não evangelizar.”  Cor 9,16

De Colores!

José Roberto Gomes (Beto)
69º Cursilho para Homens da diocese de Lins

Elizabeth de Lima Lacerda Gomes (Beth)
65º Cursilho para Mulheres da diocese de Lins

Este slideshow necessita de JavaScript.

GED – Reunião Escola Vivencial – 16/06/2018

Reunião da Escola Vivencial

(MCC da Diocese de Araçatuba)

Na tarde do sábado (16/06/2018) realizou-se na Casa de São Paulo o encontro da Escola Vivencial do Movimento de Cursilhos, com a orientação do Grupo Executivo Diocesano – GED aos Setores Diocesanos e cidades que os compõem.

WhatsApp Image 2018-06-16 at 18.15.47

O GED foi representado pelo responsável da Escola Vivencial – Nelson Lemos e pelo Vice-coordenador do GED Joaquim Benício Peruzzo. Do Setor de Birigui compareceram os responsáveis: Carine Cancian Valente (Birigui), José João Ricardo e Osvaldo Gomes da Silva (Bilac), Jovânia Bassi da Silva e Marcos Antônio da Silva (Gabriel Monteiro) e José Roberto Gomes (Piacatu). Do Setor de Guararapes compareceram: Patrícia Barbosa Pátaro Tesin (Guararapes) e Manoel Messias da Silva (Valparaíso).

A reunião iniciou-se com a oração Invocação ao Espírito Santo e com o Pai Nosso.  Foi feita a leitura e partilha do evangelho da liturgia do dia – Mateus 5, 33-37.

Após, cada representante fez um relato sobre como está a Escola Vivencial em sua cidade (VER).

No geral, a programação da EV foi cumprida; todavia, algumas cidades não encaminham para o GED o calendário semestral ou atrasam para entregá-lo. É dado apoio aos novos cursilhistas que também são motivados a fazer sua mensagem na EV. Patrícia falou de um casal que veio de Mato Grosso, que fez o cursilho naquele estado e que estão muito empolgados com o cursilho e estão frequentando a EV semanalmente. Também falou que têm dado atenção às atividades do cursilho na Escola, preparando as alavancas na semana de cursilho e cuidam dos que vão fazer o cursilho. Uma vez por mês é celebrada a missa na EV. Jovânia relatou que em Gabriel Monteiro uma cursilhista estava afastada há muito tempo, mas que retornou e já fez uma comunicação sobre a história do MCC. Disse que a cursilhista fez o cursilho em 1982 e que desenvolveu muito bem a comunicação, dando testemunho de quarto dia, pois mesmo afastada do movimento sua caminhada na Igreja e comunidade tem como motivação o que recebeu no cursilho. Osvaldo falou que fez o cursilho no ano passado e que está frequentado a EV em Bilac com muita alegria e vontade. Encontra na Escola o impulso para sua formação. Frequenta semanalmente a EV porque a considera o espaço muito profícuo para estudar, refletir, participar das atividades. Disse que a Escola tem preenchido plenamente suas expectativas de crescimento na fé. Carine comunicou que a partir do segundo semestre a EV em Birigui será novamente às quartas-feiras. O padre da paróquia pediu que mudassem de quarta para segunda-feira, mas agora quer que a EV funcione às quartas-feiras. Disse que há um núcleo de jovens que se reúne aos domingos de manhã e que a coordenadora do grupo coloca-os a par do que acontece nas comunicações semanais da EV. Carine também lembrou que a EV centraliza-se na paróquia do Bairro Alto e que se há cursilhistas de outras paróquias ou bairros distantes fica difícil sua frequência. O mesmo acontece em Guararapes com a centralização na Paróquia São Pedro Apóstolo e Araçatuba na Casa de São Paulo.

Após a análise da EV, passou-se ao momento do DISCERNIR onde fizemos a leitura de trechos do texto “A Escola Vivencial e a dimensão comunitária da fé”, anexo III do livro Ano Nacional do Laicato, O MCC em estado permanente de missão – Dimensão Comunitária. A cada trecho lido, foram feitas comparações com o VER exposto anteriormente, verificando se as orientações contidas no texto correspondem às características da EV e quais são as situações que necessitam de serem melhoradas.

No terceiro momento, foram apresentadas as propostas do AGIR para a programação da EV no segundo semestre. As propostas foram lidas e foram feitos os esclarecimentos que se fizeram necessários.

Foram tomados as seguintes decisões:

  • Entrega do calendário da EV pelos Setores/cidades: até 20 de julho de 2018;
  • Apresentação de mensagens para apreciação do GED, com a finalidade de aprovação para os cursilhos do segundo semestre: devem ocorrer até o final do mês de julho.

A reunião foi encerrada com oração de agradecimento ao Senhor.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Item Material Utilizado LINK
ANEXO AGIR  AGIR

Escola Vivencial MCC – Castilho – 14/06/2018

Escola Vivencial MCC – Castilho

Hoje, 14/06/2018, na escola vivencial, tivemos a comunicação realizada pelo cursilhista Nelson Montalvão (Nelsinho), com muita simplicidade, conhecimento e o tema “Igreja Cristocêntrica, pluralidade religiosa“.

Comunicação que agradou a todos, com a passagens de novos conhecimentos e ensinamentos.

Também, tivemos a visita de Lourival Sorato, filho do casal de cursilhistas do nosso grupo, Sr. Valdemar e Dona Creuza, que vive na cidade de Osasco (SP), lá atuante movimento católico do E.C.C..

Ainda, por este coordenador, feito o agradecimento pela participação e adesão ao 3° Jantar Dançante dos Cursilhistas de Castilho, um evento elogiado por todos.

José Maria de Oliveira
34° Cursilho e Homens da Diocese de Araçatuba

Qual a origem da mitra e do solidéu usados pelos bispos?

solidéu

Na Igreja Católica, por meio da sagrada Ordenação, os bispos são constituídos pelo Espirito Santo como sucessores dos Apóstolos e pastores do povo de Deus, exercendo, em comunhão com o Papa e sob a sua autoridade, a missão de perpetuar a obra redentora de Cristo. Na verdade, foi a seus Apóstolos que Cristo confiou o mandato e o poder de ensinar, de santificar e de apascentar os homens, missão esta que os bispos, como seus sucessores, são chamados a exercer, sendo verdadeiros mestres, pontífices e pastores do povo de Deus (Cf. Decreto Christus Dominus, 2).

A fim de manifestar a grande dignidade do ministério episcopal, a Igreja estabeleceu certas insígnias que os bispos devem portar, sobretudo nas celebrações litúrgicas, para que se manifeste de maneira visível sua íntima participação no sumo sacerdócio de Cristo e a recepção da plenitude do Sacramento da Ordem. O Cerimonial dos Bispos – livro que apresenta e descreve todas as celebrações litúrgicas presididas pelo Bispo ou nas quais ao menos ele está presente – apresenta como insígnias episcopais o anel, o báculo pastoral, a mitra, a cruz peitoral e, ainda, o pálio se lhe for concedido pelo direito (Cf. Cerimonial dos Bispos, 57). No presente artigo, vamos conhecer a origem e o significado da mitra e do solidéu.

palavra mitra, em grego, pode significar touca, gorro ou cinta para a cabeça, à maneira de uma tiara ou diadema. Já no Antigo Testamento ela aparece, fazendo referência às vestes sacerdotais (Cf. Ex 29,9; 39,28-31). Embora de origem persa, foi adotada pelos romanos, sendo usada por pessoas distintas como sinal de nobreza. Tal como aconteceu com os paramentos litúrgicos, de maneira natural passou do uso profano ao uso eclesiástico, sendo, primeiramente, usada apenas pelo Papa e, a partir do século XI, também pelos bispos. A forma inicial da mitra se assemelhava a de uma taça, com pouca altura, assumindo, a seguir, a forma atual pontiaguda, com as duas faixas que caem pelas costas (ínfulas).

Mitra

No Rito da Ordenação de um bispo, mais precisamente na oração que acompanha a imposição da mitra, aparece o sentido espiritual dessa insígnia, que evoca a nobreza da missão e a santidade com que deve ser exercida: 

“Recebe a mitra, e brilhe em ti o esplendor da santidade, para que, ao aparecer o príncipe dos pastores, mereças receber a coroa imperecível da glória”.

Durante as celebrações litúrgicas, o bispo usa a mitra “quando está sentado; quando faz a homilia; quando faz as saudações, as alocuções e os avisos, a não ser que logo a seguir tenha de tirar a mitra; quando abençoa solenemente o povo; quando executa gestos sacramentais; quando vai nas procissões. Por outro lado, o bispo não a usa “nas preces introdutórias; nas orações; na oração universal; na oração Eucarística; durante a leitura do Evangelho; nos hinos, quando estes são cantados de pé; nas procissões em que se leva o Santíssimo Sacramento, ou as relíquias da Santa Cruz do Senhor; diante do Santíssimo Sacramento exposto” (Cerimonial dos Bispos, 60).

É importante dizer, ainda, que a mitra é usada não somente pelos bispos, mas, também, pelos abades que a ela têm direito.

Dá-se o nome de solidéu – das palavras latinas soli Deo (só a Deus, isto é, só para Deus é tirado da cabeça) – ao barrete de seda ou pano leve que os bispos e alguns eclesiásticos trazem sobre a cabeça. A princípio, cobria toda a cabeça daqueles que o usavam, sendo reduzido, na época barroca, à atual forma redonda e pequena.

Ao contrário da mitra, o uso do solidéu não está limitado às celebrações litúrgicas. Porém, quando usado durante a Eucaristia, deve ser tirado ao início da Oração Eucarística e recolocado após a comunhão, bem como durante o rito da adoração à Santa Cruz, na Celebração da Paixão do Senhor.

cor do solidéu expressa o lugar que aqueles que podem usá-lo ocupam na hierarquia eclesiástica: o Papa usa solidéu branco; os cardeais, vermelho; os bispos, violáceo; abades e clérigos, preto.

Padre Jefferson Antônio da Silva Monsani
Formação:
Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Teologia pela Faculdade João Paulo II (Marília)
Assessor Diocesano da Catequese
Vigário Paroquial do Santuário São João Batista e São Judas Tadeu
Diocese de Araçatuba-SP
fonte: texto publicado no Portal “A2

Escola Vivencial MCC – Bilac – 12/06/2018

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 12.06.2018, através do método Lectio Divina, refletimos a Palavra da Sagrada Escritura, no capitulo 3 do evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos. Uma escala de quatro degraus espirituais: Leitura, Meditação, Oração e Contemplação.

284

A lei de Jesus é salvar o homem: A vida é dom de Deus, que fez o homem à sua imagem e semelhança. (Gênesis 1:26-27). Portando, nada pode ser mais importante do que este bem precioso e divino, como demonstrado por Jesus na sua ação e cura da doença do homem, mesmo sendo em dia de sábado. Contrário à posição e ação de Jesus, os lideres religiosos e políticos, mesmos sendo inimigos, se unem para tramar a sua morte.

A cegueira do mundo – Jesus e a multidão: Jesus acolhe a multidão, mas também vê a necessidade de se afastar para continuidade de sua missão. O Seu projeto não visa apenas o imediatismo, ou seja, é necessário agir para que haja mudança nas estruturas injustas que produzem todo tipo de sofrimento e necessidade na vida do povo.

A formação do novo povo de Deus: Em meio à multidão Jesus escolhe um grupo de doze para estar mais próximo Dele, dando-lhes responsabilidade e poder para pregar com autoridade e expulsar demônios, libertando os homens de todos os males que os escravizam e alienam; posteriormente, deram seguimentos à missão de Jesus. Nos tempos atuais, é responsabilidade de todos nós levarmos adiante essa missão.

O pecado sem perdão: Os mestres da Lei alheios à obra de Jesus cujo propósito era libertar o homem de todos os espíritos malignos que impedia de ter uma vida com dignidade, O acusam de estar possuído por Belzebu, como também de expulsar os demônios pelo príncipe dos demônios.

Para os acusadores o bem é mal e o mal é bem. Com base nesse conceito eles tiram proveito do mal e não aceitam Jesus, blasfemando contra o Espírito Santo, que é presença certa no filho primogênito de Deus e em todos nós, levando-os ao pecado se perdão.

A verdadeira família de Jesus: Quem tem o propósito de continuar os preceitos de Jesus, através de ações e palavras, faz parte da Sua família e nada poderá conter a sua missão. O maior exemplo vem de Nossa Senhora que jamais deixou de acreditar no projeto de Deus. Caminhou ao lado do seu filho amado e, mesmo nos momentos mais angustiantes, se manteve em silêncio e firme na fé.  

Oração:

Senhor, que sejamos perseverantes na fé
para que nenhuma força maligna nos desvie da nossa missão
de evangelizar os ambientes e mostrar que,
somente em Ti, encontraremos a paz espiritual
e o caminho que nos leva a uma vida de santidade.

288

Paz e bem a todos!

Saudações De Colores!

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 12/06/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão ser lançado fora e calcado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, para que brilhe a todos os que estão em casa. Assim, brilhe vossa luz diante dos homens para que vejam as boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus”. (Mt 5, 13-16)

Nesta terça feira, 12/06/2018, mês dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, iniciamos as atividades do dia, na capela interna da Casa de São Paulo. Cecília fez a leitura da relação dos cursilhos que ocorrerão no final da semana, no Brasil e no mundo, oferecendo orações em alavanca a esses cursilhos. Foi proclamado o Evangelho da liturgia do dia, por esta que vos escreve, e após foi feita a partilha da palavra.

DSC02956

O Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus, capítulo 5º – versículos 13-16, nos ensina que devemos levar a luz para as pessoas que não têm o conhecimento da Palavra. Nós, cristãos batizados, temos a responsabilidade de ser sal e luz no mundo, onde é o lugar que devemos agir para a construção do Reino.

Na sala de mensagens, Sílvia falou da próxima comunicação no dia 19.06, que será feita por Ana Paula de Gabriel Monteiro, cujo tema será “O desapego para o bem de si e do próximo”.

A comunicação “Ano Nacional do Laicato – Cristãos Leigos” foi feita por Karina, também, da cidade de Gabriel Monteiro, que esteve acompanhada de seu marido Renato e do casal Ana Paula e Carlos Renato e sua filhinha Rafaela.

DSC02959

A comunicadora iniciou com uma dinâmica, distribuindo pipoca aos presentes e questionando o sabor, vez que esta estava sem sal, isto é, uma pipoca sem gosto. Tudo para que sentissem a necessidade do tempero para que o alimento tenha sabor.

Com fundamento no Documento nº 105 da CNBB e subsídios, na Bíblia e também na meio da internet, Karina iniciou falando que o Ano do Laicato teve seu início em 26 de novembro de 2017 (Festa de Cristo Rei) e encerra-se em 25 de novembro de 2018. Foi lançado pela Conferência Nacional dos Bispos no Brasil – CNBB.

DSC02969

Falou da importância dos cristãos leigos, como ramos da videira. A vitalidade dos ramos depende da sua ligação à videira: Jesus Cristo, conforme Jo 15, 1:

“Eu sou a videira, e meu Pai é o agricultor”.

Como discípulos missionários o cristão leigo deve ser a diferença na comunidade e não separar da vida a união com Cristo.

O perfil do cristão leigo se encontra nas virtudes teologais: Fé, Esperança e Caridade.

: confiança, credibilidade. A fé é inimiga da dúvida.

Esperança: acreditar que algo muito desejado vai acontecer. O profeta Jeremias (29, 11):

Conheço meus projetos sobre vocês – oráculo de Javé; são projetos de felicidade e não de sofrimento, para dar-lhes um futuro e uma esperança”.

Caridade: compaixão, amor, bondade, generosidade, solidariedade. Fazer o bem a todos, seguir Jesus com seu cuidado especial para com os pobres.

Cada cristão leigo é chamado a ser sujeito eclesial para atuar na Igreja e na comunidade.

Aparecida Ribeiro da Silva
32º Cursilho de Mulheres da Diocese de Araçatuba

Item Material Utilizado LINK
ANEXO Mensagem  Ano Nacional do Laicato

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Coroados – 06/06/2108

Escola Vivencial MCC – Coroados

0f98f97b-6c66-44ef-b416-7643785126db

Missa celebrada por Padre Roberto

Boa noite, a paz de Jesus esteja com todos vocês!

df4e20e2-9681-4bad-ae45-31e842245d2c

Nesta quarta-feira, 0/06/2018, o nosso encontro semanal aconteceu, junto da comunidade, rezando a trezena de Santo Antônio nosso padroeiro.

Os cursilhistas foram responsáveis pela acolhida e toda celebração.

Unidos no amor de Cristo juntamente com a intercessão de Santo Antônio, estamos repassando cada passo deste santo admirável.

Assim, mostramos que Santo Antônio é um exemplo de como chegar a conversão, amar o Cristo eucarístico, a repartir o pão e sermos misericordiosos para com nossos irmãos.

Viva Santo Antônio!!

Louvado seja nosso senhor Jesus Cristo … para sempre seja louvado

Eliana Marques
37º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 05/06/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Terça-feira, 05/06/2018, inicio dos trabalhos da escola vivencial na capela interna da Casa de São Paulo, com orações e partilha do evangelho na liturgia do dia em Mc 12,13-17 em intenção de Alavanca aos cursilhos que se realizarão no Brasil e no mundo, lembrando dos aniversariantes e dos doentes.

DSC02929

Na sala de mensagens Ana Paula informou:

  • A equipe do Pré-cursilho aguarda entrega de fichas do 16º Cursilho para Jovens.
  • 09/06 – 18:00h – saída do ônibus para Ultreya na cidade de Santópolis do Aguapeí.
  • 17/06 – 08:00h – inicio dos trabalhos de montagem da festa do 19º Arraiá de São Pedro na fazenda Cristo Redentor. 

DSC02934

Na sequência, Silvia Helena, realizou um Estudo Bíblico motivado pela “Dinâmica da Bexiga” (esquema segue em anexo).

Existem muitas formas de buscar na Palavra, respostas às nossas dúvidas do dia-a-dia.

Ali, partindo-se de uma simples bexiga vazia, que se enche, depois dado um primeiro comando para equilibrá-la com as mãos, um segundo para andar e por fim, trocar a sua bexiga com algum dos presentes, temos, ao fim, um ato de analogia da vivência diária com a lida de nossos problemas.

Para cada etapa a comunicadora apresentou uma passagem das escrituras que dão respostas ao ato vivenciado na dinâmica.

Item Material Utilizado LINK
ANEXO 1 Dinâmica das Bexigas dinamica da bexiga
ANEXO 2 Textos Bíblicos textos biblicos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 05/06/2018

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 05.06.2018, após invocarmos a presença do Espírito Santo para fortalecimento da nossa fé, orações do Pai Nosso, Ave Maria, leitura e reflexão da liturgia do dia (Mc 12,13-17), assistimos um vídeo sobre motivação, cujo conteúdo foi comentado pelo nosso irmão, carinhosamente chamado de Marcão, que esteve acompanhado da esposa Elaine e da encantadora filhinha Júlia.

073

A motivação faz a pessoa seguir em frente, sem medo e nada a impede de buscar os seus objetivos.

A falta de motivação, deixa a pessoa estagnada, sem objetivo e nada flui na sua vida.

Jesus é o maior exemplo de motivação, pois venceu todos os obstáculos, barreiras, oposições e tentações para cumprir na terra a missão que Lhe foi confiada pelo Pai Celeste.

Todo cristão, a partir do batismo, é chamado para dar continuidade à missão de Jesus.

A motivação se faz necessária em todo o tempo, lembrando que mesmo em face de Cristo, houve forças contrárias que tentaram impedir a sua Vitória.

Com Deus ao nosso lado, nada impede de seguirmos o nosso caminho e anunciar que o reino de Deus está próximo, conforme nos ensina a Sagrada Escritura:

“O tempo já se cumpriu, e o reino de Deus está próximo. Convertam-se e acreditem na boa notícia”. (Marcos 1:15)

Paz e bem!

Deus abençoe a todos!

Saudações De Colores!

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 04/06/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 04/06/2018, nossa irmã Cleusa, nos falou sobre: “A HISTÓRIA DO MCC“.

WhatsApp Image 2018-06-05 at 16.27.02

Começou explicando que a palavra “Cursilho” deriva do espanhol e significa pequeno curso, é um encontro vivencial em que leigos e sacerdotes, testemunham sua vivência como cristãos.

O Movimento de Cursilhos de Cristandade, teve seu início na Espanha, na Diocese de Mallorca, nas décadas de 1930-1940. No início os Cursilhos eram só para jovens, mais tarde abriu-se para os homens e algum tempo depois para as mulheres.

O Movimento de Cursilhos chegou ao Brasil, através de alguns sacerdotes da Missão Católica Espanhola, que estava em franca atividade e fez com que , na Semana Santa de 1962, acontecesse o primeiro Cursilho de Cristandade do Brasil, realizado na cidade de Valinhos, estado de São Paulo.

No ano de 1968, com a chegada do cursilhista Jeová Oliver, na região de Araçatuba, foram dados os primeiros passos para o Movimento de Cursilhos na Diocese de Lins.

O marco inicial do Movimento, foi a realização, no período de 16 a 19 de julho de 1969 do primeiro Cursilho de Homens, cuja equipe, era formada por cursilhistas de São José do Rio Preto e de São Paulo, aconteceu no colégio Nossa Senhora de Fátima, na cidade de Guararapes.

Em 1973, quando ainda pertencíamos a Diocese de Lins, inaugurou-se a Casa de São Paulo, onde os cursilhos acontecem até hoje.

Em novembro de 1994, foi criada a Diocese de Araçatuba, o primeiro Cursilho de Homens realizado na Diocese de Araçatuba, aconteceu no período de 19 a 24 de abril de 1995 e o de Mulheres no período de 07 a 10 de junho de 1995.

Até maio de 2018, já realizados em nossa Diocese: 43 Cursilhos para Homens, 44 Cursilhos para Mulheres e 15 Cursilhos para Jovens.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Piacatu – 04/06/2018

Escola Vivencial MCC – Piacatu

Nesta segunda-feira, 04/06/2018, esteve presente na Escola Vivencial nossa irmã em Cristo, Ana Paula da cidade de Gabriel Monteiro que veio acompanhada de seu esposo Cacá e a filha para comunicação sobre “Desapego: para o bem de si e do próximo”.

34370763_1605784956205793_9006229683053789184_n

Ana iniciou falando o significado de desapego. Desapego significa saber amar, apreciar e se desenvolver nos relacionamentos com uma visão mais equilibrada e saudável, libertando-se dos excessos que o prendem.

Há momentos em nossa vida que é necessário desapegar de algumas coisas e o desapego não são só do material, temos que abrir mão de coisas, pessoas e situações, pois muito apego acaba por gerar sofrimento do próprio corpo.

Ana Paula deu exemplos de várias coisas, pessoas e situações que devemos as vezes desapegar. O apego e o amor é diferente, o apego destrói o amor. O amor é entrega e o apego é possessível, é excesso.

Em Lucas 10, 1-4 Jesus diz a seus discípulos:

“Não leveis bolsa nem mochila, nem calçado”.

Significa que para trabalhar para o Reino não é necessário ter bem materiais. Deus nos pede somente o Amor.

“Desapegar é um ato de amor de si e ao próximo”.

De Colores!!!

José Roberto Gomes (Beto)
69º Cursilho para Homens da diocese de Lins

Elizabeth de Lima Lacerda Gomes (Beth)
65º Cursilho para Mulheres da diocese de Lins

Este slideshow necessita de JavaScript.

Corpus Christi – tapete da procissão

Corpus Christi – tapete da procissão

(SANTUÁRIO SÃO JOÃO BATISTA E SÃO JUDAS TADEU)

DSC02907

Em Araçatuba, a presença de bispo Dom Sérgio Krzywy e Padre Messias acompanhando os trabalhos de confecção do tapete da procissão

Ouça a catequese por Padre Guabiraba sobre o Corpus Christi


MCC em GUARARAPES

33995717_174817823187369_1746725304786747392_n

MCC em PIACATU

33964476_10211830761433914_8546392385351843840_n

MCC em GUARAÇAÍ


Escola Vivencial MCC – Bilac – 29/05/2018

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 29.05.2018, com alegria, recebemos a Ellen e Maria, frutos do 44° cursilho para mulheres da Diocese de Araçatuba.

288

Iniciamos o encontro com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, recomendando orações em alavancas, para o bom êxito de suas propostas evangelizadoras.

Rezamos a oração do Espírito Santo para fortalecimento da nossa Fé.

Partilhamos e refletimos as palavras do evangelho na liturgia do dia (Marcos 10,28-31).

Então Pedro começou a dizer-lhe: “Olha, nós abandonamos tudo e te seguimos”. Jesus respondeu: “Eu vos asseguro: ninguém que deixou casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou terras por causa de mim e do Evangelho, deixará de receber já no tempo presente cem vezes mais casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e terras no meio de perseguições, e no mundo vindouro, a vida eterna. Mas muitos dos primeiros serão os últimos e dos últimos serão os primeiros”.

Para seguir Jesus é necessário livrar da soberba, do egoísmo, da inveja, da avareza, do pecado, do desejo desenfreado de juntar bens materiais e acumular-se das riquezas espirituais, da solidariedade, da fraternidade, da simplicidade, da partilha e do amor. É fazer-se humilde e colocar-se a serviço dos mais necessitados sem nada esperar em troca, a não ser a recompensa divina.

As neo-cursilhistas, ainda, emocionadas com os conhecimentos adquiridos na vivência dos dias do retiro do Cursilho na casa de São Paulo, testemunharam as suas experiências espirituais e, também, compartilharam com o grupo as expectativas para o 4° dia.

No final do encontro, houve uma pequena confraternização, preparada comunitariamente com muito carinho.

Paz e bem a todos!

Saudações De Colores.

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 29/05/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Cursilho por dentro – Parte II

“Muitos que agora são os primeiros serão os últimos. E muitos que agora são os últimos serão os primeiros.” (Mc 10, 31)

Nesta terça feira, 29/05/2018, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com a leitura e a reflexão do evangelho da liturgia do dia e oração do Terço dirigido por Nelson Lemos e dedicado em alavanca aos cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo.

DSC02876

Também, lembrado dos aniversariantes da semana. Também oferecemos as orações por nossa Pátria, para restabelecimento da ordem democrática, política, social e econômica onde preciso for.

Cinco novas 5 cursilhistas falaram sobre sua experiência no cursilho.

DSC02879

Na sala de mensagens Luis Henrique fez os avisos da semana:

  • Festa Junina – dia 30/06 na fazenda Cristo Redentor
  • Romaria Nacional do MCC para o Santuário de Aparecida no dia 30/06
  • Ultréia Diocesana em Santópolis do Aguapeí no dia 09/06
  • Indicação de candidatos para o Cursilho de Jovens de 19 a 22/07.

A mensagem do dia foi feita por Luis Henrique cujo tema foi “O Cursilho por Dentro -parte II.

DSC02888

O comunicador iniciou apresentando quadro panorâmico do cursilho, fazendo uma um comparação entre o cursilho de 3 e 2 dias, mostrando a sequencia cronológica e pedagógica e a dinâmica da conversão no cursilho.

A proclamação da mensagem tem uma sequencia pedagógica que são:

  • Mensagens doutrinário-vivenciais e
  • Mensagens de compromisso pastoral e inserção na comunidade.

Na dinâmica da conversão temos os encontros:

  • consigo mesmo;
  • com Cristo; 
  • com a comunidade.

Uma unidade, um fio condutor, uma ideia-mater faz das mensagens uma única mensagem.

De uma única mensagem fluem todas as demais, que são conduzidas por um eixo em torno do Reino de Deus, experimentado e vivido pela Graça, proclamado e vivido por Jesus de Nazaré que concretiza o plano salvífico do Pai em relação à humanidade.

O comunicador, por meio do quadro panorâmico, apresentou as mensagens do cursilho uma por uma, expondo suas ideias principais, seus objetivos e na alegria do testemunho de vida.

Finalizando convidou a todos para rezarem a oração do Cristão Leigo – Ano Nacional Laicato.

Aparecida Ribeiro da Silva
32º Cursilho de Mulheres da Diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Piacatu – 28/05/2018

Escola Vivencial MCC – Piacatu

33985726_1599575923493363_7918232454576472064_n

Acolhida no retorno à  cidade de Piacatu em 27/05/2018.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dia 28/25/2018, na Escola Vivencial, as novas cursilhistas que participaram do 44º cursilho para mulheres da diocese de Araçatuba puderam falar da experiência vivida, como foi o primeiro dia do 4º dia e como pretende vivê-lo daqui para frente.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Que Jesus e Maria abençoe a vida das nossas irmãs.

De Colores!

José Roberto Gomes (Beto)
69º Cursilho para Homens da diocese de Lins

Elizabeth de Lima Lacerda Gomes (Beth)
65º Cursilho para Mulheres da diocese de Lins