Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 17/04/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“Antes de formar você no ventre de sua mãe, eu o conheci; antes que fosse dado à luz, eu o consagrei, para fazer de você profeta das nações.” (Jr 1, 5)

Nesta terça feira, 17/04/2018, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo. Alice fez a leitura da relação dos cursilhos que ocorrerão no final da semana, no Brasil e no mundo, oferecendo em alavanca a esses cursilhos orações e partilha do evangelho do dia. As orações também foram oferecidas em ação de graças aos aniversariantes da semana.

O Evangelho de Jesus Cristo, segundo João, capítulo 6 – versículos 32-33, nos ensina que o pão que nos dá vida veio do Céu, e que temos de nos aproximar d’Ele, Jesus Cristo, com fé e com discernimento da Sua presença real e verdadeira na Eucaristia.

Foi apresentado o cursilhista Gilcesar, fruto do 43º cursilho de homens, que testemunhou sua experiência do cursilho e sua vivência de 4º dia que, embora vivida há pouco dias, revela profundamente seu comprometimento com o seguimento de Jesus Cristo em seus ambientes, principalmente o de sua família.

DSC02782

Na sala de mensagens, Rodrigo informou que para a Romaria do Movimento de Cursilhos do Brasil ao Santuário de Aparecida, no dia 30 de junho, o Setor de Birigui contratou um ônibus e disponibilizou vagas para irmãos e irmãs do Setor de Araçatuba. Os interessados podem procurar a Sílvia.

A comunicação “Acolhida” foi feita pela Ana Paula Batajelo de Atayde, que a iniciou com uma música para o acolhimento de todos e um vídeo que traz a cena de um filme de muito sucesso, o qual utilizou para nos mostrar que Deus nos acolhe com amor e nos apresenta ao mundo como filhos seus.

DSC02808

Com fundamento em textos bíblicos, Ana Paula nos falou da acolhida que devemos ter para com todas as pessoas, a começar pelos membros da nossa família.

Importante, ela ressaltou, é a acolhida que fazemos a nós mesmos. Por sermos acolhidos por Deus e se Ele nos acolheu em nosso batismo, temos que acolher a nós mesmos e gostar de nós mesmos.

Jesus Cristo é acolhedor, conforme tantos encontros que teve com muitas pessoas:

Com Simão e André:

Andando à beira do mar da Galileia, Jesus viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Eles estavam lançando redes ao mar, pois eram pescadores. 19 E disse Jesus: “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens”. (Mt 4, 18)

Com a sogra de Pedro:

Jesus saiu da sinagoga e entrou na casa de Simão. A sogra de Simão estava sofrendo, com muita febre. Intercederam a Jesus por ela. Então, Jesus se inclinou sobre ela e, com autoridade, mandou que a febre a deixasse. A febre a deixou, e ela, imediatamente, se levantou e passou a servi-los. (Lc 4, 38-39)

Com a família de Lázaro:

Após Jesus encontrar Marta e Maria, perto de Betânia, eles vão ao túmulo de Lázaro, uma caverna com uma pedra que cobre a entrada. Jesus ordena: “Retirem a pedra.” Marta está preocupada, pois não entende o que Jesus vai fazer. Ela diz: “Senhor, ele já deve estar cheirando, porque faz quatro dias.” Mas Jesus diz: “Eu não lhe disse que, se você acreditasse, veria a glória de Deus?” (Jo 11, 39-40)

Com a samaritana:

Jesus, cansado do caminho, assentou-se junto da fonte. Era isto quase à hora sexta. Veio uma mulher de Samaria tirar água; disse-lhe Jesus: Dá-me de beber…. Disse-lhe a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conhecesses o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber: tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. (Jo 4, 6-7.9-10)

O encontro das pessoas com Jesus aconteceu de diferentes formas e Ele fez a acolhida das pessoas, transformando-as em seu interior e na convivência com os outros, em suas comunidades. O mesmo deve acontecer conosco. No encontro com o outro, com as pessoas que estão ao nosso lado, vamos transformando a elas e a nós próprios.

A acolhida envolve tudo e todos. Nosso Mestre Jesus, acolhedor, seja nosso modelo de vida.

Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar.

… Em verdade eu vos digo, que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes. (Mt 25, 35-36.40)

Cada cristão, com suas atitudes cristãs, deve ser acolhedor direto e indireto de Nosso Senhor Jesus Cristo. Há muitas pessoas necessitadas da nossa acolhida.

Quantos batizados afastados aguardam o anúncio da Boa Nova?

Quantas pessoas ainda não conhecem Jesus e anseiam por nossa ação planejada?

Finalizando, Ana Paula conduziu uma dinâmica que nos possibilitou o exercício da acolhida.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 10/04/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“Porque onde estiver vosso tesouro, aí também estará vosso coração.” (Mt 6, 21)

Nesta terça feira, 10/04/2018, iniciamos os trabalhos na capela interna das Casa de São Paulo, oferecendo atividades do dia em Alavanca aos cursilhos que acontecerão na semana, no mundo e no Brasil, destacando-se o 43º Cursilho para Homens de nossa diocese (13 a 15 do corrente mês).

DSC02774

Alice lembrou dos aniversariantes. Realizamos a partilha do evangelho de Jesus Cristo em Jo 3, 7b-15.  

DSC02758

Na sala de mensagens, Sílvia agradeceu a todos pelo empenho no trabalho do Almoço Tradicional De Colores do setor MCC Araçatuba (08/04/2018), servido a 267 convidados.

E, lembrou:

DSC02767

  • 13/04 – 19:00h – Entrada do cursilho.
  • 14/04 – 07:30h – Terço em alavanca, na paróquia Imaculado Coração de Maria.
  • 15/05 – 19:00h – Missa encerramento cursilho.  

A comunicação do dia sobre o tema “Catecismo da Igreja Católica – CIC” foi feita por Nelson Lemos que a iniciou com um breve esclarecimento sobre a sua estrutura e divisão em quatro partes: o Credo, a Liturgia e os Sacramentos, os Mandamentos, a Oração e o Pai Nosso.

O valor doutrinal do CIC está expresso nas palavras do então papa João Paulo II, no ano 1992, que declarou:

“O Catecismo da Igreja Católica é uma exposição da fé da Igreja e da doutrina católica, testemunhadas ou iluminadas pela Sagrada Escritura, pela Tradição Apostólica e pelo Magistério da Igreja… Vejo-o como um instrumento válido e legítimo a serviço da comunhão eclesial e como uma norma segura para o ensino da fé”.

DSC02772.jpgRelatando sua experiencia Cristo vivencial, Nelson disse que o catecismo da sua infância foi aquele necessário para a preparação para a Primeira Eucaristia.

Naquele tempo, bastava decorar algumas questões para estar pronto. Na época, considerava três questões e suas respostas importantes para quem está iniciando a catequese:

  1. Por que Deus criou o homem?
  2. Deus é Amor?
  3. Jesus é o Salvador?

Essas questões, em diversas ocasiões, trouxeram-lhes outros questionamentos e a busca de novas respostas, exemplificando:

Como podemos superar a consciência ingênua ao nos defrontarmos com os questionamentos e suas respostas?

Com a caminhada e o aprofundamento na fé, vamos organizando nosso pensamento e conseguimos responder às três questões de maneira mais racional, portanto, passamos a analisá-las partindo da nossa consciência crítica cristã.

Assim, podemos voltar às questões:

1. Por que Deus criou o homem?

Se no nosso catecismo de infância aprendemos que “Deus criou o homem neste mundo para conhecê-Lo, amá-Lo, servi-Lo neste mundo”, hoje entendemos que a resposta é simples: não podemos amar o desconhecido, e quem ama o próximo, o que faz em relação à pessoa amada? Simplesmente vive para servi-la.

2. Deus é Amor?

Na Bíblia, no livro do Gênesis, Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Diversos textos da Bíblia apontam para a explicação de que Deus é Amor. Por sermos a imagem do amor, precisamos de três qualidades essenciais para amar: a inteligência, a liberdade e a vontade.

  • Com a inteligência, raciocinamos e refletimos se queremos amar (ou não amar).
  • Com a liberdade, podermos querer amar (ou não amar), e Deus nos respeita sempre nessa decisão.
  • Com a vontade, agimos com amor (ou desamor).
  1. Jesus é o Salvador?

Jesus nos salvou ensinando-nos como devemos realizar o Plano de Deus. Ele não veio ao mundo para nos salvar de maneira mágica, milagrosa. Ele veio nos comunicar Deus e Seu Plano. Ele veio nos ensinar a realizar o Plano do Pai, que é amar. Diante do sofrimento, da dor e da morte, nossa ação será a do amor transformador.

Jesus pregado na cruz perdeu tudo o que tinha, sentiu-se abandonado pelos amigos, e até pelo próprio Pai.

Ele perdeu tudo que um homem pode perder, de sofrimento e dor não faltava nada para ser um nada. Ele estava nu, a sua humilhação era total. Só restava para Ele fazer a vontade do Pai. Ser obediente até a morte e esta obediência é a lição de amor infinito que ele nos deixou. Quem praticá-la terá o grande prêmio: a eternidade junto ao Pai.

A nossa esperança é a felicidade plena. Se temos a esperança de ressuscitar em Cristo, podemos dizer que somos felizes, a partir de agora.

Para finalizar, propôs uma dinâmica em quatro grupos, para leitura e reflexão de uma parte do Creio: O Filho de Deus foi concebido pelo poder do Espírito Santo e nasceu da Virgem Maria.

No parágrafo 1 encontramos a questão:

Por que é que o Verbo encarnou?

A partilha da reflexão dos grupos apontou as ideias centrais para responder à pergunta:

  1. Nossa Salvação: O Verbo se encanou para nos salvar.
  2. O nosso conhecimento sobre o amor de Deus: O Verbo se fez carne para que conhecêssemos o amor de Deus.
  3. O modelo de santidade: o Verbo se fez carne para ser nosso modelo de santidade.
  4. A nossa participação na natureza divina: o Verbo se fez carne para nos tornar “participantes da natureza divina”.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – Almoço Tradicional De Colores – 08/04/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Almoço Tradicional De Colores

DSC02686

Boa tarde, pessoal.

Em nome do setor de Araçatuba do Movimento de Cursilhos, queremos agradecer a todos que participaram dessa linda confraternização.

Obrigado, a todos que venderam convites, que trabalharam na equipe do churrasco, da cozinha, na música, no bingo, no bar, ora ajudando a levar e trazer cadeiras/mesas.

Enfim, queremos agradecer imensamente a todos que doaram um pouco de si para que o dia do Senhor, fosse maravilhoso.

Obrigado a todos e … que Deus nos ajude, a cada dia, a encontrar o Cristo que se revela através da comunidade.

De Colores.

Rodrigo José de Atayde
coordenador do MCC – setor de Araçatuba

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 03/04/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Na data de 03/04/2018, na escola vivencial de Araçatuba, iniciamos os trabalhos na capela e como de costume, fizemos as intenções de entrega das atividades em alavancas aos cursilhos que se realizarão no Brasil e no mundo nesta semana. Alice lembrou dos aniversariantes. Fizemos a leitura do evangelho do dia (Jo 20, 11-18) e uma rica partilha entre os presentes. 

Na sala de mensagens, Rodrigo lembrou:

  • 08/04 – Almoço Tradicional do setor de Araçatuba
  • 09/04 – 14:00 h – reunião preparatória candidatos 43º cursilho – homens
  • 13/04 – 19:00h – entrada do cursilho

Na sequência recebemos com muita alegria a psicóloga Ana Quintiliano e seu esposo Paulo Vitor que vieram falar sobre a doença da atualidade denominada “Depressão“.

WhatsApp Image 2018-04-03 at 8.42.00 PM

A psicóloga indicou que:

  • 2005 a 2015 os diagnósticos de depressão cresceram 18,4% no mundo.
  • 5,8% da população no Brasil sofre de depressão, sendo na América Latina o país que mais possui pessoas com esta doença.
  • Em 2015, a depressão deu causa maior ao número de suicídio entre os jovens.
  • Existe previsão que em 2020, a segunda maior causa de morte no mundo, ficando atrás apenas das doenças cardíacas

Ana, ainda, informou que existe um grande preconceito cultural sobre essa nova doença, impedindo sua aceitação como doença, indicando que muitos acreditam que trata-se apenas de uma “frescura” daquele que se mostra doente. Assim, para entender a doença é necessário um profundo silêncio pessoal, para compreender o que acontece com o corpo físico, psíquico e espiritual, lembrando que as dimensões físicas são tocadas, enquanto as dimensões psíquicas e espirituais não têm a mesma possibilidade.

Lembrou que neste período da passagem da vitória da vida sobre a morte (Páscoa), nos possibilita um resgate da vida que Deus nos entregou por total afeto, d’Ele por nós.

A depressão nos tira da normalidade da vida psíquica, fugindo da realidade, e essa atitude nos provoca uma profunda dor no coração (sentimento), muitas vezes levando as pessoas a se socorrerem do suicídio, não para tirar a própria vida, mas para tentar arrancar aquela grande dor, que se mostra totalmente insuportável. Neste sentido, observou que somente Deus pode nos tirar a vida que Ele próprio nos entregou.

Como superação da depressão, a psicóloga lembrou de Jó, que se viu perdendo tudo, as pessoas, as coisas e pensou em entregar sua vida. Contudo, ainda restava Deus diante de Jó, e O qual fez levantá-lo novamente para a vida. Lembrando, no cap. 42.

“Antes eu te conhecia só de ouvir falar, mas agora os meus olhos te vêem.” (Jó 42, 5)

Ainda, Ana lembrou que não existe causa única para a origem da depressão e devemos estar atentos, a complexidade de fatores que nos cercam e que podem nos levar a adquirir a doença.

Assim, na mesma atenção, quando resolvemos auxilar na cura daquele doente é preciso um grandioso ato de acolhimento, sem medidas, ou seja, a maior ajuda está no interesse de compreender o necessitado e compreendê-lo com todo o Amor.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 20/03/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; e não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus.” (Mt 1, 24-25)

Nesta terça feira, 20/03/2018, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo e fizemos o exercício espiritual da Via Sacra, oração que nos fez acompanhar de maneira profunda os passos de Jesus no caminho da cruz. A oração em intenção aos cursilhos que se realizam neste final de semana no Brasil e no mundo.

DSC02570

Exercício Espiritual da Via Sacra

Também, lembrados os aniversariantes da semana.

DSC02580

Osvaldo Carmona, aniversariante do dia

Na sala de mensagens, avisos da semana pela Sílvia, coordenadora do Setor de Araçatuba:

  • Entrega de fichas de indicação dos candidatos para os cursilho de homens (13 a 15.04) e de mulheres (23 a 25.05), bem como a manifestação da disponibilidade para o trabalho nesses cursilhos;
  • Promoção do almoço no dia 08.04 – necessidade de ajuda na venda dos convites e nos trabalhos no dia;
  • Romaria Nacional do MCC à Aparecida, dia 30.06 – há 10 vagas disponíveis para Araçatuba neste evento organizado pelo Setor de Birigui;
  • Na próxima 3ª feira não haverá o encontro da Escola Vivencial para propiciar aos cursilhistas a participação nas atividades religiosas da Semana Santa em suas comunidades/paróquias;
  • Dia 03/04 – a comunicação na EV terá como tema “Depressão”, tendo como mensageira a psicóloga Ana Quintiliano.
DSC02581

Lúcia, filho Mauro e nora Carla

Em continuidade, a comunicação “São José, fiel vocacionado”, pela irmã cursilhista Lúcia Cantareira, discorrendo sobre algumas considerações sobre a vida de São José:

Quem é São José?

  • Santo que com sua vida (trabalho, sacrifício, amor) o aproxima da concepção de vida familiar;
  • O evangelho define sua essência de santidade: “era um homem justo”;
  • A Igreja deu-lhe o qualificativo “Santíssimo”.

São José – o grande desconhecido

  • Como explicar certa indiferença por parte de alguns diante da figura deste santo? Falta de conhecimento suficiente através de estudos e divulgações. Necessário realçar suas belezas interiores e exteriores. José foi o doce conforto da mãe de Deus; o provedor do necessário sustento do Salvador dos homens; cooperador único na terra do desígnio altíssimo da encarnação redentora.

Um simples carpinteiro:

  • não pertencia à classe dos saduceus, dos fariseus, dos escribas ou doutores da lei, dos zelotes, dos essênios.
  • Era homem justo, amava a Deus com todas as suas forças e também ao próximo.

O dia-a-dia de José:

  • José nasceu num clima político-social de pobreza, de sublevações e conflitos que perduraram por muito tempo. Aprendeu o ofício de carpinteiro, assim deduzimos que pertenceu à classe dos artesãos.
  • José se apresenta como um homem completo: personalidade rica, segurança em si e nos seus afazeres, inteligente e culto.

O casamento de José:

  • Diante da gravidez de Maria, José ficou confuso e num dilema penoso. Estava convencido da inocência da esposa e podia negar sua gravidez. Não sabia que Maria era a mãe do Filho de Deus. O anjo o tranquilizou, ele aceitou e tudo indica que fez com Maria um voto de castidade.

A paternidade de José:

  • José é esposo legítimo da mãe de Deus e o verdadeiro pai de Jesus. Teve verdadeiro amor paterno pelo Filho. Exerceu sua missão de pai não só defendendo o Filho dos perigos e o sustentando, mas toda a bagagem de sua vida influenciou profundamente a vida de Jesus.

imagem-de-so-jose-em-gesso-87-cm-D_NQ_NP_481601-MLB20356729348_072015-FOutras considerações:

Ainda, sobre a pessoa de São José: seus privilégios e virtudes e sua morte. Dentre as considerações, destacamos as sete dores e as sete alegrias de São José.

A mensageira, também, discorreu sobre as festas litúrgicas de São José. A cada ano, a Igreja apresenta em sua liturgia duas grandes festas em honra ao santo. Dia 19 de março – Festa de São José – e 1º de maio – festa de São José Operário. Esta última instituída pelo papa Pio XII.

Lúcia também apresentou o santo como José, o leigo. Deus poderia ter determinado um tutor de seu Filho humano: um mestre da lei, um sacerdote ou um levita. A escolha divina recaiu sobre um leigo que se assemelhou a Jesus manso e humilde de coração e, como o Filho, não veio para ser servido mas para servir.

O pai legal de Jesus, chefe da Sagrada Família, esposo da Virgem Maria, carpinteiro de profissão, participou como primeiro leigo da tríplice missão de Jesus. Missão que a Igreja reconhece a todos os leigos:

  1. Função sacerdotal e cultural;
  2. Função profética e de testemunho;
  3. Função real e de serviço.

São José, reconhecido hoje como leigo “qualificado”, deve ser imitado, invocado e venerado por nós de diferentes formas.

Arquivo anexo: Dores e Alegrias de São José. Fonte: www.josemariaescriva.info

Fonte de pesquisa: São José, Fiel Vocacionado – Pe. José Antônio Bertolin, OSJ – Editora Ave Maria

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Item Material Utilizado LINK
ANEXO 1 texto no PDF Doresealegrias

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 13/03/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Nesta terça-feira, 13/03/2018, iniciamos os trabalhos do dia na escola vivencial do MCC de Araçatuba, na capela interna oferecendo a Santa Missa celebrada por Padre Rudnei da paróquia São Sebastião em alavanca aos cursilhos que acontecerão no próximo fim de semana, no Brasil e no mundo. Lembramos dos aniversariantes e pedimos Graças pelos doentes.   

DSC02554
Padre Rudnei da Congregação Claretiana, atualmente da Paróquia São Sebastião, assistido por Valdeci

Na sala de mensagens Luis Henrique, lembrou:

  • Fichas dos candidatos ao cursilho para homens
  • Disponibilidade de  mensageiros
  • Almoço do setor em 08/04
  • Distribuição dos carnes de manutenção da Casa de São Paulo
  • Romaria à Aparecida promovida pelo GEN

Para comunicação, Pe Rudnei que é natural da cidade de Campinas e pertence a Congregação Claretiana, atualmente como pároco na paróquia São Cristóvão em Araçatuba, trouxe aos presentes sua história de vida desde a atendimento ao chamado na vocação pessoal, passando por exemplos de vida na missão de outros padres que o ajudaram para que intensificasse seu empenho na caminhada e sua entrega na missão evangelizadora. 

O sacerdote, apresentou suas experiências, no período de oito anos no país de Moçambique (continente Africano), onde pegou 30 (trinta) malárias, que reduziu em muito suas hemoglobinas e capacidade física, sendo orientado pelos médicos a voltar ao Brasil sob a condição de permanecendo naquele país, morreria.

Visando continuar a sua missão, retornou ao Brasil, mas carreado de muita experiência pessoal, na formação daqueles que nada conheciam de Cristo e ajudou a firmar o legado em mais de 200 comunidades, em duas paróquias na região, quando enviado pela sua congregação.

DSC02553

Padre Rudnei, por meio de slides, mostrou as condições precárias de deslocamento (estradas) naquele país, lembrando com carinho de pessoas que chegavam a andar a pé 40 Km, para estarem debaixo de um pé de caju, sentados no chão (não existia prédio, cadeiras, ar condicionado, etc) para participar da Santa Missa, ter algumas horas de formação, receber uma refeição e retornar, novamente a pé, mais 40 km.

No seu testemunho, destacou que é possível ver em nosso país, que a cada ano diminuem os homens  que se entregam à vida do sacerdócio, e salientou que no futuro, a Igreja no mundo, poderá ser fomentada, por muitos homens vindos daquele continente. 

Do testemunho de vida, tiramos um pedido de orações para que mais homens ouçam o pedido de vocação para dar continuidade na missão que Cristo nos deixou como leigos, mas que precisamos exercê-la junto aos pastores, os quais só eles podem nos dar o alimento da Eucaristia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 06/03/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“Eu disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.” (Jo 16, 33)

Nesta terça feira, 06/03/2018, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com orações e partilha do evangelho (Mt 18, 21-35) em oferecimento ao Cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo, e aos aniversariantes da semana. E, também pelo dia internacional das mulheres (8 de março).

DSC02517

Parte de nossas mulheres da escola vivencial do MCC de Araçatuba

O evangelho nos fez refletir sobre a necessidade de perdoarmos as pessoas, perdoar sempre – até setenta vezes sete, como diz nosso Mestre Jesus; perdoar de coração, até chegarmos à perfeição desse gesto tão grande, assim como o Pai nos perdoa incondicionalmente.

DSC02519

Silvia recebe Tamires e Claudia do CRAVI

Na sala de mensagens, Sílvia – coordenadora do Setor Diocesano de Araçatuba – lembrou:

  • Ultréya em Guararapes, próximo sábado (10/03) e informou que sairemos da Casa de São Paulo as 18:30h.

Em seguida, apresentou Tamires e Cláudia, respectivamente Assistente Social e Psicóloga que vieram fazer a comunicação no contexto da Campanha da Fraternidade 2018, cujo tema é Fraternidade e Superação da Violência e tendo como lema:

“Em Cristo somos todos irmãos” (Mt 23, 8).

Na comunicação sobre Violência, em perspectiva social, Tamires nos apresentou o Centro de Referência e Apoio à Vítima – CRAVI, programa da Secretaria Estadual da Justiça e da Defesa da Cdadania, que oferece atendimento público e gratuito a vítimas e seus familiares, identificando os problemas enfrentados por eles e os encaminha o tratamento no próprio centro ou nas instituições parceiras do programa (rede de instituições).

Foram apresentadas estatísticas sobre violência e como elas se apresentam. Recebemos várias informações sobre o trabalho que o CRAVI realiza em Araçatuba e também sobre as instituições parceiras (o material utilizado consta do anexo 1 abaixo).

Tamires relatou algumas experiências do seu trabalho no CRAVI. Tamires e Cláudia deixaram como mensagem a necessidade de nos colocarmos no lugar do outro, não ignorarmos seu sofrimento e suas necessidades emocionais. Não devemos deixar a vítima de violência sozinha, devemos encaminhá-la à instituição que a ajude, para tanto informou alguns contatos:

CRAVI - contatos - 1

Informou a importância de utilizar-se o “Disque 100” para denúncias.

CRAVI - contatos - 2

Muitas vezes julgamos que a violência sofrida por uma pessoa não nos diz respeito. Mas não devemos proceder com indiferença. É dever de cidadãos que somos fazer algo pela pessoa vítima de violência. Essa pessoa é aquela que está próxima de nós: criança, jovem, mulher, idoso, com necessidade especial e outras mais.

Concluindo, afirmamos que é necessário conhecermos o que existe na comunidade para a superação da violência e, como cidadãos e cristãos comprometidos, fazer nossa parte, com ânimo, para implantar a paz no nosso ambiente e comunidade.

Item Material Utilizado LINK
ANEXO 1 Slides do Powerpoint Nova-Apresentação-CRAVI 3 (1)

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 27/02/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Nesta terça-feira, 27/02/2018, recebemos com muita alegria a presença de Pe Charles da paróquia Santo Antônio de Pádua, que celebrou a Santa Missa, a qual oferecemos em Ação de Graças e Alavanca aos cursilhos que acontecerão no próximo fim de semana, no Brasil e no mundo, bem como lembramos dos aniversariantes da semana.

WhatsApp Image 2018-02-27 at 10.55.34 PM

Pe Charles assistido por Alice

Na sala de mensagens, Luis Henrique lembrou dos eventos que se aproximam:

  • 10/03 – Ultreya na cidade de Guararapes
  • 10/03 – Tarde Sertaneja, na fazenda Crsito redentor, em prol do Albergue Noturno.
  • 08/04 – Almoço do setor de Araçatuba

Na sequência, a comunicação ficou com Pe Charles, que nos falou sobre a Quaresma com enfoque na Campanha da Fraternidade da CNBB de 2018 – com o tema “Fraternidade e superação da violência”, tendo como lema “Em Cristo somos todos irmãos” (Mt 23,8).

Pe Charles, lembrou que estamos no tempo da Quaresma, que possui tema central no Mistério Pascal, período de suma importância para Igreja, o qual que nos primórdios, servia de preparação do batismo dos primeiros cristãos, sendo adultos, depois de três anos de catequese e, precisamente, na noite de vigília da Páscoa.

Já na atualidade, a vigília é quando os cristãos renovam seu batismo.

O sacerdote lembrou que a liturgia que envolve a Pascoa, possui 1/4 do ano, ou seja, 40 dias que antecede com a Quaresma e 50 dias após, até chegar a Pentecostes, totalizando 90 dias.

WhatsApp Image 2018-02-27 at 10.57.05 PM

Na bíblia, temos que o nº 40 está associado a preparação.  O tempo da Quaresma se apoia em três pilares básicos: Oração, Esmola e Jejum.

campanha-da-fraternidade-2018

Com fundamento nos três pilares acima, o sacerdote apresentou a CF/2018:

Objetivo Geral: 

  • “Constituir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência”

Objetivos Específicos:   

  1. Anunciar a Boa-Nova da fraternidade e da paz, estimulando ações concretas que expressem a conversão e a reconciliação no espírito quaresmal;
  2. Analisar as múltiplas formas de violência, especialmente as provocadas pelo tráfico de drogas considerando suas causas e consequências na sociedade brasileira;
  3. Identificar o alcance da violência, nas realidades urbana e rural de nosso país, propondo caminhos de superação, a partir do diálogo, da misericórdia e da justiça, em sintonia com o Ensino Social da Igreja;
  4. Valorizar a família e a escola como espaços de convivência fraterna, de educação para a paz e de testemunho do amor e do perdão;
  5. Identificar, acompanhar e reivindicar políticas públicas para superação da desigualdade social e da violência;
  6. Estimular as comunidades cristãs, pastorais, associações religiosas e movimentos eclesiais ao compromisso com ações que levem à superação da violência;
  7. Apoiar os centros de direitos humanos, comissões de justiça e paz, conselhos paritários de direitos e organizações da sociedade civil que trabalham para a superação da violência. 

Mais informações podem ser obtidas no link: 

https://mccaracatuba.wordpress.com/2018/01/08/campanha-da-fraternidade-2018-cartaz-oracao-hino/

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 20/02/2018

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

DSC02499

A escola vivencial iniciou os trabalhos do ano de 2018

27972786_1793964660625830_4131431232483735199_n.jpg

Marcelo, Priscila e  Benício.

Ontem, 20/02/2018, iniciamos os trabalhos da escola vivencial do MCC de Araçatuba, na capela interna da Casa de São Paulo, oferecendo a oração do Terço em Alavanca aos cursilhos que acontecerão na próxima semana, no Brasil e no mundo.  Lembramos dos doentes, dos aniversariantes e do Benício filho de Priscila e Marcelo, netinho de Silvia e Osvaldo Sakamoto.

Na sala de mensagens, a primeira comunicação do ano, coube a Luis Henrique que falou sobre “Formação, Educação permanente na fé“.

O objetivo da mensagem foi apresentar aos cursilhistas como é realizada uma mensagem no retiro “Cursilho 3 ou 2 dias”, baseada no livro “O Cursilho por dentro“. 

DSC02500

Luis Henrique

Neste contexto, Luís passou que é muito importante na mensagem do cursilho ser esta carreada com testemunho de vida, lembrando São Francisco de Assis:

Pregue sempre o evangelho, quando necessário utilize palavras.” 

Luis, também, reforçou que a formação deve ser permanente, para que possamos a qualquer momento discutir com segurança a fé que proclamamos.

Esta formação essencial a todo cristão possui três fontes:

  • 1ª – A Bíblia 
  • 2ª – A Igreja
  • 3ª – A história através dos  sinais dos tempos

Os meios disponíveis na atualidade:

  • sites católicos
  • youtube
  • blog – inclusive – blog do MCC da diocese de Araçatuba
  • canais de TV
  • Curso de teologia
  • Escola Vivencial do Movimento de Cursilhos de Cristandade 

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 28/11/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!” Salmo (Daniel 3)

Nesta terça feira, 28/11/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com a celebração da Santa Missa em agradecimento aos frutos colhidos pelo trabalho no Movimento de Cursilhos neste ano e em intenções dos Cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo, e aos aniversariantes da semana.

WhatsApp Image 2017-11-28 at 23.47.18

Padre Fernando celebra a Santa Missa de encerramento dos trabalhos de 2017.

Na homilia, padre Fernando diz que à luz das leituras bíblicas da liturgia podemos chegar à conclusão de que todos os reinos e esplendor humanos um dia acabam. Fez várias citações históricas para comprovar a fugacidade de tudo, das coisas boas e ruins. No Evangelho, as pessoas pediam sinais a Jesus. Hoje temos de ficar atentos os sinais, nos acontecimentos do mundo e pessoais. Citou o papa Francisco, que se encontra num país onde existe perseguição religiosa, onde os grupos religiosos maiores massacram os menores. Apontou que este é um sinal para que o mundo olhe o sofrimento daquele povo que é perseguido. Mas não devemos ficar apenas nos fatos mundiais, temos de olhar ao nosso redor, perceber as necessidades do outro, principalmente olhar para as crianças ao nosso redor, suas necessidades e dores. Elas, as crianças, são nossos sinais.

Na sala de mensagens, Rodrigo comunicou que as atividades da Escola Vivencial retornarão no dia 20/02/2018.

WhatsApp Image 2017-11-28 at 23.52.03

Na comunicação sobre o tema social extraído do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus, capítulo 25, versículos 31 a 46, Rodrigo nos recordou a bula papal Misericordiae Vultus (O Rosto da Misericórdia), que proclamou o Jubileu Extraordinário da Misericórdia (2015).

O texto do Evangelho nos traz a Caridade como principal foco. Sendo a Caridade um tema teologal infundida em nós pelo Batismo, torna-se missão vivencial do cristão. Ou seja, negar a Caridade ao longo da vida é negar o próprio Sentido Maior da Vida que é o Reino de Deus.

Na linha do tempo do percurso de vida de cada um, somos chamados à Caridade. O cerne deste chamado é a nossa resposta e a nossa vivência na verdade.

As obras de Misericórdia são corporais e espirituais. No Evangelho de Jesus Cristo acima citado e que foi proclamado por Rodrigo no início da sua comunicação Jesus nos dá o ensinamento das obras de Misericórdia corporais.

A Igreja, continuadora de Cristo na história humana, extraiu de passagens bíblicas e do ensinamento do Mestre as obras de Misericórdia espirituais.

As obras de Misericórdia são como uma receita para nós. Elas nos conduzem passo a passo para nossa salvação. Jesus é o Senhor da nossa vida, em todos os sentidos. Devemos buscar a Verdade e a Vida Eterna. Deus deve estar em primeiro lugar, este é o sentido da vida.

Os testemunhos de Rodrigo nos mostraram que devemos ultrapassar todas as barreiras, irmos em frente, praticando as boas obras para as pessoas e instituições que precisam de nosso trabalho. Não podemos dizer não Àquele que nos deu a vida.

WhatsApp Image 2017-11-28 at 23.54.15 (1)

Na sequência, os participantes da Escola Vivencial fizeram a leitura e breve explicação das Obras de Misericórdia Corporais e Espirituais (texto anexo).

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Item Material Utilizado Link
1 material no word As obras de Misericordia

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 21/11/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“Todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.” (Lc 11, 50)

Nesta terça feira, 21/11/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com orações, leitura e partilha do Evangelho de Jesus cristo em Lucas 11, 46-50 – oferecidos em alavanca aos cursilhos que se realizam no Brasil e no mundo nesta semana e aos aniversariantes. Rezamos, também, para cursilhistas falecidos.

aulao_de_revisao

Na sala de mensagens, Luís Henrique informou que:

  • comunicação do dia seria avaliação da Escola Vivencial,
  • Prestação de contas do Setor Diocesano de Araçatuba, ano 2017.

Na próxima semana:

  • Comunicação que será feita por Rodrigo José de Athayde, com o tema social baseado no evangelho de Mateus, capítulo 25, versículos 31 a 46.
  • Após a comunicação, haverá uma pequena confraternização para encerramento das atividades do ano.

Em powerpoint, foram apresentadas as comunicações realizadas na Escola Vivencial do segundo semestre. Em seguida, preenchemos uma ficha de análise e sugestões para as comunicações do ano 2018.

Luís Henrique falou sobre a reunião de revisão e orientações para a EV 2018, a ser realizada com o GED e Setores Diocesanos, no dia 09/12/2017.

Disse que os representantes da EV devem comparecer, assim como todos os demais interessados do Setor.

Também foi apresentado no telão o balancete financeiro do Setor, as receitas e despesas, com ênfase nos pagamentos efetuados ao GED, sinalizando que o setor está em dia.

O assunto seguinte foi a Assembleia Diocesana realizada no último domingo (19/11), com divulgação do calendário 2018 do GED e das propostas do Setor Araçatuba para o próximo ano. Sílvia, coordenadora do Setor, apresentou os compromissos assumidos na Assembleia, com relação ao Método do Cursilho em seus três tempos: Pré, Cursilho e Pós.

A oração do leigo, referente ao Ano Nacional do Laicato que se iniciará no próximo dia 26, e a Ave-Maria encerraram as atividades do dia.

Oração do leigo no Ano Nacional do Laicato

Ó Trindade Santa, / Amor pleno e eterno, / que estabelecestes a Igreja como vossa ‘imagem terrena’:

Nós vos agradecemos / pelos dons, carismas, / vocações, ministérios e serviços / que todos os membros do vosso povo realizam / como “Igreja em saída”, / para o bem comum, / a missão evangelizadora / e a transformação social, / no caminho vosso Reino.

Nós vos louvamos / pela presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil / sujeitos eclesiais, testemunhas de fé, / santidade e ação transformadora.

Nós vos pedimos, que os batizados / atuem como sal da terra e luz do mundo: / na família, no trabalho, / na política, e na economia, / nas ciências e nas artes, / na educação, na cultura e nos meios de comunicação; / na cidade, no campo e em todo o planeta, / nossa “casa comum”.

Nós vos rogamos que todos contribuam / para que os cristãos leigos e leigas / compreendam sua vocação e identidade, / espiritualidade e missão, / e atuem de forma organizada na Igreja e na sociedade / à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres.

Isto vos suplicamos / pela intercessão da Sagrada Família, / Jesus, Maria e José, / modelos para todos os cristão / Amém!

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Item Material Utilizado Link
1 material no word Oração do leigo no ano nacional do laicato

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 14/11/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“Somos servos inúteis, fizemos o que devíamos fazer.” (Lc 17, 10)

Nesta terça feira, 14/11/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com orações, leitura e partilha do Evangelho de Jesus Cristo em Lucas 17, 07-10 – oferecidos em alavanca aos cursilhos que se realizam no Brasil e no mundo nesta semana e aos aniversariantes.

Na sala de mensagens, Luís Henrique:

  • Enfatizou a importância da participação de todos na Assembleia Regional do MCC, a ser realizada no próximo domingo, dia 19, quando estaremos refletindo sobre nossa caminhada e decidindo as atividades a serem realizadas em 2018. Pediu a colaboração de todos para o café a ser servido, com a doação de bolos.
  • Comunicou que a próxima comunicação será a avaliação da Escola Vivencial do Setor de Araçatuba.

Na sequência, a comunicadora Dayane Mayume trabalhou o texto da 1ª Carta de São Paulo aos Coríntios, capítulo 12, versículos de 12 a 27.

WhatsApp Image 2017-11-14 at 10.34.55 PM

Na dinâmica proposta por ela, solicitou a silêncio absoluto e que nos dirigíssemos até a imagem de Nossa Senhora das Graças, que fica no pátio da Casa. Disse que lá fizéssemos um círculo em volta da imagem e que pedíssemos, na oração da Ave-Maria, que no coração de cada um Maria colocasse uma mensagem de amor. O tempo para ir até a imagem e voltar para a sala de mensagens seria cronometrado.

Ao voltarmos, percebeu-se que alguém não voltara com o grupo; então, alguns participantes voltaram até a imagem para trazer quem ficara para trás. Essa dinâmica propiciou a reflexão de que somos colocados à mercê do tempo, temos de cumpri-lo, porém sem deixar ninguém para trás, pois somos um grupo.

Assim deve acontecer no Movimento de Cursilhos: cada um tem sua função, todos trabalham por um objetivo comum. O MCC deve ser entendido como um todo, cada um desenvolvendo seu serviço, ajudando para conseguirmos o resultado pretendido.

Dayane perguntou,  qual foi a reação de vocês ao realizar a dinâmica?

  • Medo do escuro?
  • Medo de escorpião no meio das folhas secas?
  • Medo de cair?
  • Que outras preocupações tiveram?
  • Com relação ao tempo que foi cronometrado, qual foi sua reação?
  • Chegar primeiro?
  • Não se atrasar?
  • Cumprir com rapidez o pequeno percurso?
  • Mostrar prontidão?

O importante é ter a consciência de equipe, de grupo que trabalha para conseguir o objetivo, uns ajudando aos outros.

O texto bíblico nos fez refletir que dissemos “SIM” a Jesus, dissemos “SIM” porque tivemos esta oportunidade num retiro do Movimento de Cursilhos de Cristandade.

Seguir Jesus é escolha pessoal, mas devemos lembrar porque fizemos parte de um grupo que encontrou Jesus e agora fazemos parte do Seu Corpo – Igreja.

Não devemos nos considerar incapazes, todos temos habilidades que são agregadas ao grupo, aos movimentos da Igreja.

Cabe a cada um um saber como usar as suas habilidades pessoais. É necessário valorizarmos o outro, colocarmos nosso olhar sobre ele, principalmente aos cursilhistas que se juntam na caminhada.

Os mais jovens necessitam da nossa ajuda para compreenderem e integrarem-se ao que o Movimento de Cursilhos tem por objetivo, e nós precisamos deles, de suas novas capacidades, do sua vontade de serviço. Não podemos deixar ninguém para trás.

Na sequência da dinâmica, foram formados três grupos para analisarem as perguntas propostas por Dayane:

  • De que forma posso ser útil ao MCC?
  • Existe alguma dificuldade em acompanhar o nosso Movimento? Quais? E como podemos diminuir essas dificuldades?
  • Como podemos incentivar e fortalecer aqueles que se encontram afastados do nosso Movimento?

Na plenária, os grupos apresentaram suas ideias/propostas de ação:

  • Colocar-se à disposição de todos para o serviço;
  • Acolher e reconhecer as habilidades de cada um;
  • Organizar caronas para auxiliar os cursilhistas a frequentarem a Escola Vivencial;
  • Trabalhar com os novos cursilhistas uma metodologia que os leve à formação sobre o Movimento;
  • Sensibilizar-se e estar próximo daqueles que apresentam alguma dificuldade para a frequência à Escola Vivencial, Ultreias e outros eventos (dificuldades de horário de trabalho ou estudo, saúde de familiares, comunicação ineficiente);
  • Refletir nos outros a imagem de Igreja;
  • Fortalecer o pós-cursilho;
  • Estabelecer uma comunicação mais eficiente;
  • Reativar a ação “Anjo da Guarda” – amparar os cursilhistas em suas necessidades, rezar por eles;
  • Incentivar a participação, ir ao seu encontro, procurar conhecer cada um, saber como o afastado está e não simplesmente deixá-lo para trás.

Finalizando, Dayane Mayume apresentou um vídeo em que um casal de cursilhista de Penápolis dá uma mensagem sobre a amizade, cantando uma música intitulada “Amigo de Fé”. 

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 07/11/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“Feliz o homem que come o pão no Reino de Deus” (Lc 14, 15)

Nesta terça feira, 07/11/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com orações, leitura e partilha do Evangelho Jesus Cristo em Lc 14, 15-24, oferecidos em alavanca aos cursilhos que se realizam no Brasil e no mundo nesta semana e aos aniversariantes.

A mensagem do Evangelho é que o Pai quer que todos participem do seu banquete, todos são convidados para viver em conformidade com o Reino de Deus e não podemos recusar ao seu convite.

WhatsApp Image 2017-11-07 at 10.37.44 PM

Na sala de mensagens,  Luís Henrique:

  • Reiterou a realização da Ultreia Diocesana, no dia 11 de novembro, com o tema “Advento – tempo da Igreja Missionária e Peregrina”, mensagem que será apresentada pela Vera Lúcia Martinez, de Araçatuba. Para essa ultreia, já está formada uma caravana de irmãos e irmãs do Setor Araçatuba, que irá de ônibus até Castilho, saindo da Casa São Paulo, às 17 horas do próximo sábado.
  • Comunicou que a Assembleia Diocesana do MCC será no dia 19 de novembro, quando estaremos analisando nossa caminhada e decidindo as atividades para 2018.
  • A próxima comunicação será “Estudo Bíblico”, feita por Dayane.

Sendo assim, a comunicação da Escola Vivencial de hoje será sobre o VER do Setor.

Para o VER do Setor Diocesano de Araçatuba, foram feitos 03 grupos que analisaram as perguntas formuladas pelo GED:

Considerando o que foi proposto no AGIR da Assembleia Diocesana do ano 2016, o que o Setor Diocesano ou Núcleo do MCC em sua cidade realizou para:

Melhorar a indicação e seleção de candidatos para os cursilhos?

Convocar responsáveis para os cursilhos?

Seguir as orientações específicas do GED com relação:

3.1 ao Pré-cursilho

3.2 ao Pós-cursilho

3.3 à formação para a metodologia do MCC, fundamentada no livro Ideias Fundamentais do MCC, nos documentos da Igreja e nos subsídios do Grupo Executivo Nacional.

Após a dinâmica, os grupos apresentaram em plenária as reflexões feitas. Elaborou-se uma síntese, que será encaminhada ao GED e apresentada na Assembleia Diocesana do MCC do próximo dia 19.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 31/10/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Porque onde estiver vosso tesouro, aí também estará vosso coração. (Mt 6, 21)

Nesta terça feira, 31/10/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com a reza do Terço oferecido aos cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo, e aos aniversariantes da semana. O Terço também foi intencionado à recuperação da saúde de pessoas que se encontram enfermas.

Na sala de mensagens, Maira:

  • Reiterou a realização da Ultreia Diocesana, no dia 11 de novembro, com o tema “Advento – tempo da Igreja Missionária e Peregrina”, mensagem que será apresentada pela Vera Lúcia Martinez (de Araçatuba).
  • Para a ultreia, passada uma lista para as pessoas manifestarem o interesse em irem de ônibus.
  • Comunicou que a Assembleia Diocesana do MCC será no dia 19 de novembro, quando estaremos analisando nossa caminhada e decidindo as atividades para 2018.
  • A próxima comunicação da Escola Vivencial será sobre o VER do Setor e análise da Escola Vivencial neste ano.

A comunicação do dia foi feita pela Ana Paula Batajelo de Atayde.

WhatsApp Image 2017-10-31 at 11.49.48 PM

Na dinâmica apresentada por ela, os participantes, sentados em círculo, foram conduzidos para silenciarem, para adentrarem no seu íntimo e rememorarem o que acontecera de bom ou de ruim na vida de cada um, e para analisarem os acontecimentos da vida, da fase atual passando pela adolescência e infância.

Depois, em processo inverso, todos avançaram para a velhice e refletiram o que fariam se Deus anunciasse que tinham somente cinco minutos de vida.

Continuando a dinâmica, uma vela foi passada de um para outro, e cada um expôs o que faria se tivesse vivendo os últimos cinco minutos da sua vida.

Na sequência, o participantes foram divididos em quatro grupos para refletirem dois textos bíblicos: O Salmo 01 e o Evangelho de Jesus em Mt 6,19-24.

Houve a partilha dos grupos:

Salmo 01: devemos deixar a vida injusta para viver conforme o justo. Aquele que assim procede será como uma árvore à beira da água corrente que produz frutos, suas folhas não caem e tudo o que fizer prosperará. O injusto, todavia, são como as folhas secas que o vento espalha.

Mt 6, 19-24: devemos ter a virtude da humildade, não nos apegarmos às coisas materiais, pois o importante é juntar tesouros no céu.

Após a partilha da Palavra, Ana Paula pediu que todos refletissem sobre o que faríamos na vida inteira que temos pela frente.

Novamente a vela passada de um para outro, e cada um partilhando sobre suas limitações, angustias, anseios e alegrias e propondo uma mudança de vida.

A dinâmica propiciou a participação de todos, inclusive alguns reconhecendo sua timidez e colocando seu desejo de superá-la.

Ao final, rezamos a oração do Beato Papa João XXIII (adaptação) e o Pai Nosso, a Ave Maria e Glória.

Coração de Maria, abismo de humildade, rogai por nós.

Oração: Os Dez Mandamentos da Serenidade, do Papa João XXIII

1 – Só por hoje… Tratarei de viver exclusivamente este meu dia, sem querer resolver os problemas da minha vida, todos de uma vez.

2 – Só por hoje… Terei o máximo cuidado com o meu modo de tratar os outros: Delicado nas minhas maneiras; Não criticar ninguém; Não pretenderei melhorar ou disciplinar ninguém, senão a mim mesmo.

3 – Só por hoje… Me sentirei feliz com a certeza de ter sido criado para ser feliz, não só na vida eterna, mas também neste mundo.

4 – Só por hoje… Me adaptarei às circunstâncias, sem pretender que as circunstâncias se adaptem todas aos meus desejos.

5 – Só por hoje… Dedicarei dez minutos do meu tempo a uma boa leitura, lembrando-me de que assim como é preciso comer para sustentar o meu corpo, assim também a leitura é necessária para alimentar a vida da minha alma.

6 – Só por hoje… Praticarei uma boa ação sem contá-la a ninguém.

7 – Só por hoje… Farei uma coisa que não gosto e, se for ofendido nos meus sentimentos, procurarei que ninguém o saiba.

8 – Só por hoje… Farei um programa bem completo do meu dia. Talvez não o execute perfeitamente, mas, em todo caso, vou fazê-lo. Guardarei bem duas calamidades: a pressa e a indecisão.

9 – Só por hoje… Ficarei bem firme na fé de que a Divina Providência se ocupa de mim, mesmo se existisse somente eu no mundo e ainda que as circunstâncias manifestem o contrário.

10 – Só por hoje… Não terei medo de nada em particular; Não terei medo de desfrutar do que é belo e; Não terei medo de crer na bondade.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 24/10/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” (Mc 16, 15)

Nesta terça feira, 24/10/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com as orações e partilha do Evangelho da liturgia do dia (Lc 12,35-38) oferecidas aos cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo, e também aos aniversariantes da semana. A mensagem de Cristo nos exorta a sermos vigilantes e a estarmos preparados para recebermos ao Senhor.

Após a reflexão, rezamos uma dezena do terço e na sequência foram apresentadas quatro novas cursilhistas do 43º Cursilho para Mulheres, encerrado no último domingo.

WhatsApp Image 2017-10-24 at 11.05.47 PM

Na sala de mensagens, Luís Henrique anunciou:

  • Próxima comunicação será “Dinâmica” a ser feita por Ana Paula Batagelo de Atayde.
  • Próxima Ultreia será em Castilho, no dia 11 de novembro, com o tema “Advento – tempo da Igreja Missionária e Peregrina”, mensagem que será apresentada pela Vera Lúcia Martinez, de Araçatuba.
  • A Assembleia Diocesana do MCC será no dia 19 de novembro, quando estaremos analisando nossa caminhada e decidindo as atividades para 2018.

WhatsApp Image 2017-10-24 at 11.11.15 PMA comunicação “A Igreja e a Internet” foi feita pela Carla Sabino, que iniciou lembrando Padre Orivaldo, em uma comunicação da Escola Vivencial, quando disse que somos o prolongamento dos braços do sacerdote, pois em muitos lugares ele não pode estar e somos nós, os leigos, que entramos com nossa missão de evangelizar. Por isso, a importância da internet para a Igreja e para os leigos, pois ela é uma ferramenta da evangelização.

Fundamentou sua comunicação no livro “A Igreja e a Internet”, do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais. Não apenas a internet é de interesse da Igreja, mas todos os Meios de Comunicação Social, quando colocados para bens religiosos e para o bem comum.

Todos nós somos evangelizadores; depende de cada um de nós fazer o Cristo chegar às pessoas, aos ambientes em que estivermos. Para muitas pessoas, podemos ser o “único Evangelho que muita gente lê”.

O importante é fazermos bom uso da internet e das redes sociais existentes, sabendo discernir o que é para o bem e descartando tudo o que existe de mal.

Por trás das mensagens diárias que enviamos aos amigos – “bom dia, boa tarde, boa noite” – deverá estar nossa evangelização, nossa espiritualidade, nossa vida cristã.

Alertou para alguns perigos do mau uso da internet, que nos liga ao mundo, mas nos desliga de nossa própria casa. Podemos estabelecer pontes com os de fora; mas instalamos muros com os de dentro. Nossas experiências pessoais não são mais vividas em particular, pois por meio de um clique podemos nos abrir para o mundo, mas com retorno das demais pessoas que utilizam as redes, e às vezes temos que ouvir opiniões que são diferentes das nossas.

Os discípulos não tinham os recursos que temos, para eles havia grandes desafios, como longas caminhadas de dias, ou até de anos. Mas não abandonaram a evangelização.

Hoje temos muitas facilidades e nem sempre somos perseverantes na missão de evangelizar. É necessário o nosso empenho, o anúncio da Boa Nova do Reino, levar às pessoas a palavra profética e libertadora do Evangelho.

Quando saímos do Cursilho, podemos nos sentir somo super heróis. Aos poucos vamos dando conta de que somos pedra de tropeço. Então entendemos que temos de mudar nossa vida, buscar constantemente melhorar a nossa vida e a dos outros, melhorar a convivência com as pessoas. Somos seres humanos em busca da santidade.

“Ai de mim, se eu não evangelizar” disse São Paulo.

Por nossas atitudes e exemplos de vida podemos evangelizar. Também podemos evangelizar por meio das redes sociais. Para isso, temos sites confiáveis e temos de saber discernir, não acessarmos ou divulgarmos coisas que nos afastam de Deus. Não podemos errar nosso alvo, que é Cristo. Quando agimos para errar o alvo, estamos em pecado.

A realidade virtual não substitui a presença real de Jesus Cristo em sua Igreja, nos Sacramentos e na nossa busca de santidade, de conversão constante.

Finalizada a comunicação, oferecemos a Ave-Maria para Carla e sua família.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins – abril/1988

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 17/10/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Jesus Veio para Todos

Igreja em saída.

Só se atrai as pessoas à Igreja, se sairmos e chamá-las para conhecer a maravilha de Deus.

WhatsApp Image 2017-10-17 at 10.06.12 PM (Copy)

É necessário ir ao encontro dos povos afastados – das minorias. Sobre essa “nova” atuação da pastoral – Para Francisco:

“Convido a todos serem ousados e criativos nesta tarefa de repensar os objetivos, as estruturas, o estilo e os métodos evangelizadores das respectivas comunidades. Quando se assume um objetivo pastoral e um estilo missionário, que chegue realmente a todos sem exceção, nem exclusões, o anúncio concentra-se no essencial, no que é mais belo, mais importante, mais atraente e , ao mesmo tempo, mais necessário”

Torna-se importante, assim, o amor, a tolerância, a compaixão.

Missão da Igreja – chegar a todos. Mas quem se deve privilegiar?

Esta em Lc 14, 14 – Não tanto aos amigos e vizinhos ricos, mas sobretudo, aos pobres e aos doentes, àqueles que muitas vezes são desprezados e esquecidos, àqueles que não tem como contribuir.

Esta salvação, que Deus realiza e a Igreja jubilosamente anuncia é para todos. Jesus não diz aos Apóstolos para formarem um grupo exclusivo, um grupo de elite.

Vemos um povo com muitos rostos: se a Palavra e a anunciação for bem entendida, a diversidade cultural não ameaça a unidade da Igreja. Papa Francisco:

“Quero insistir em algo que parece evidente, mas que nem sempre é tido em conta: o texto bíblico, que estudamos, tem dois ou três mil anos, a sua linguagem é muito diferente da que usamos agora. O Objetivo não é o de compreender todos os pequenos detalhes de um texto, o mais importante é descobrir qual é a mensagem principal”

Para o Papa é essencial o que ele chama de Primado do Amor (luz que guia a Sagrada Escritura)

Toda a lei se cumpre plenamente neste único gesto:

“Ama o teu próximo como a ti mesmo”. (Gl, 5,14).

O amor às pessoas é uma força espiritual que favorece o encontro em plenitude com Deus: quem não ama o irmão, que esta nas trevas e nas trevas caminha, permanece na morte e não chegou a conhecer Deus.  (Carta I João).

Desse modo, independente da classe social, opção sexual, etnia, de que país veio, ou no que acredita – o que importa é o Amor!

Nesse sentido, Papa Bento XVI diz que fechar os olhos diante do próximo torna-nos cegos também diante de Deus. Esse Papa ainda continua

“A Igreja não evangeliza, senão se deixa evangelizar continuamente. O estudo da Sagrada Escritura deve ser uma porta aberta para todos os crentes.”

Papa João Paulo II, por sua vez:

“Confessar a um Pai que ama infinitamente cada ser humano implica descobrir que assim lhe confere uma dignidade infinita. Confessar que Jesus deu o seu sangue por nos impede-nos de ter qualquer duvida acerca do amor sem limites que enobrece todo ser humano”

Assim, se Deus ama a todos dessa forma inimaginável para qualquer ser humano..como podemos excluir uma ou outra pessoa, por alguma característica diferente?

Mais uma mensagem forte: que acontece muito na família, no trabalho, mas inclusive na Igreja, muitos se acharem o dono da razão ou da sabedoria:

“Não julgueis e não sereis julgados, não condeneis e não sereis condenados. A medida que usardes com os outros será usada convosco” (Lc, 6,36).

Duas grandes questões nos dias de hoje :

  • Inclusão dos pobres
  • Dialogo Social (sociedade de hoje há falta de paciência, de escutar o próximo)

Papa Francisco alerta diante disso tudo:

“ Onde esta teu irmão? Onde esta o teu irmão escravo? Onde esta o irmão que estás matando a cada dia na pequena fábrica clandestina, na rede de prostituição, nas crianças usadas para mendicidade, naqueles que tem de trabalhar às escondidas porque não foi regularizado? Não nos façamos distraídos. Há muita cumplicidade!”

Papa Francisco escreve sobre a homossexualidade (2013):

“O ministro religioso às vezes chama a atenção sobre certos pontos da vida privada ou pública porque é condutor dos fiéis. Mas não tem direito de forçar a vida privada de ninguém. Se Deus, na criação, correu o risco de nos fazer livres quem sou eu para me meter?”

Segundo o Papa: se uma pessoa é gay, procura o Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la? Estava parafraseando de cor o CIC (Catecismo da Igreja Católica), em que se explica que essas pessoas devem ser tratadas educadamente e não devemos marginalizar. A pessoa não é definida apenas pela sua tendência sexual, não nos podemos esquecer que todos somos criaturas amadas por Deus, destinatárias de um amor infinito. Prefiro que as pessoas homossexuais venham se confessar, que fiquem próximas do senhor, que possamos rezar juntos.”

Papa Francisco sobre as diversidades religiosas:

“Reconhecer, aceitar e conviver com todas as formas de pensar e de ser não implica renuncia de suas próprias crenças”.

Ou seja, conviver com evangélicos, espíritas cardecistas ou umbandistas,  ouvir a opinião deles é uma atitude normal de uma cristão católico.

Tudo acima nos leva ao tema da Misericórdia.

O que é?

É a atitude divina que abraça, é o doar-se de Deus que acolhe. É a carteira de identidade do nosso Deus. Deus da Misericórdia.

Não devemos olhar o outro com a ideia do filho mais velho da parábola do filho pródigo: olhar superior, da razão – Porque a misericórdia de Deus é divina.

E é bom sempre lembrar – Deus faz mais festa por um pecador que regressa ao rebanho, que por 99 justos que não precisam de perdão.

Papa Francisco – Importante: Risco de o Cristão com a psicologia dos doutores da lei apagarem aquilo que o Espírito Santo ascende no coração. Segundo o papa, há Hipocrisia: porque existe uma adesão formal às leis, na quais os homens que vivem agarrados à palavra da Lei,  e esquecem o Amor – Homens que apenas sabem fechar as portas e marcar limites.

Não sejamos assim. Devemos olhar toda a situação com o Primado do Amor.

Mauro Sabino
4º Cursilho para Jovens da diocese de Araçatuba

WhatsApp Image 2017-10-18 at 9.54.13 AM (Copy)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 10/10/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

«Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada com muitas coisas. No entanto, uma só é necessária»

Nesta terça feira, 10.10.2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com as orações e partilha do Evangelho do dia (Lc 10, 38-42) oferecidas aos cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo, e também aos aniversariantes da semana.

Na partilha da palavra, a mensagem é para que nossas ações sejam equilibradas. No serviço ao Reino de Deus, temos de ser Maria e Marta. Nelson lembrou-nos do tripé: formação – escuta da Palavra; oração – coração voltado para Jesus; ação – serviço dedicado ao Reino.

Na sala de mensagens, Maira:

  • Anunciou próxima comunicação será “Jesus veio para todos” a ser feita por Mauro.
  • Solicitou alavancas para o próximo cursilho feminino e informou que a reunião preparatória das candidatas do Setor de Araçatuba será na segunda-feira, dia 16, às 20 horas, na Paróquia Imaculado Coração de Maria.
  • Lembrou-nos da importância da participação nos atos de entrada do cursilho na 5ª feira às 19:00h e na missa de encerramento no domingo, às 19:00h.

WhatsApp Image 2017-10-10 at 22.23.08 (Copy)

Na comunicação “Os Títulos de Nossa Senhora”, Alice fez uma pergunta:

Quantos nomes tem a Mãe de Jesus?

Apenas um nome: Maria.

Todavia, na Bíblia também a encontramos com Mãe. Fez citações bíblicas onde a Mãe de Jesus é chamada de Maria e Mãe. Na Bíblia também é chamada por outros nomes: Cheia de Graça – este foi o nome que o céu lhe deu; Serva do Senhor – dado por ela mesma.

Ainda na Bíblia, é chamada por Isabel de Mãe do meu Senhor e Bendita. A partir da exclamação de Isabel, concluímos que todas as denominações dadas a Nossa Senhora não são nomes, mas títulos em função do lugar onde ela apareceu e da sua missão aqui na terra.

Os títulos são ligados às diversas formas de veneração mariana, que podem ser divididas em cinco partes: doutrinas, aparições, vida de Maria, sacramentais e ícones milagrosos.  Sobre essas partes, a mensageira fez vários esclarecimentos, bem como falou sobre os quatro dogmas marianos e sua fundamentação.

A Virgem Maria a quem veneramos com muito amor, nos aponta sempre para Deus para que o adoremos e para vivermos o mandamento maior do amor com nossos irmãos e irmãs. Embora sejam muitos os títulos com os quais a piedade popular venera nossa Mãe, não devemos nos esquecer da mais bela veneração que é imitar Maria. O maior fruto de amor a Maria é imitá-la, pois antes de um belo quadro ela é um belíssimo espelho.

Alice finalizou a comunicação apresentando dois vídeos. Os links para os vídeos são:

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 03/10/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Somos chamados a fazer todas as nossas ações passando pelas mãos de Maria Santíssima,para chegarmos ao Coração Santo de Cristo, durante os dias desse Ano Mariano. 

Nesta terça feira, 03.10.2017, iniciamos os trabalhos da escola, na capela interna da Casa de São Paulo, com as orações e partilha do Evangelho da liturgia do dia (Lc 9, 51-56) oferecidas aos cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo, e também aos aniversariantes da semana.

Na partilha da palavra, Cecília questiona que hospedeiro somos para Jesus em nosso coração: nossa acolhida é de amor ou marcada por nossos pecados? Nosso coração é preparado convenientemente para abrigar Jesus? Joaquim citou a passagem em que Jesus repreende Tiago e João, porque queriam destruir com fogo os samaritanos. A repreensão de Jesus é uma atitude de advertência amorosa, de aconselhamento para praticarmos sempre o bem e não termos pensamentos de vingança ou de poder. João Bosco comparou os recentes fatos acontecidos na Espanha e Catalunha como uma recusa em aceitar Jesus. Em nossa vida diária, é preciso que deixemos Jesus entrar em nosso coração, em nossa vida.

Em continuidade as orações foram ofertadas por todos os cursilhos que se realizarão nesta semana, pela paz no mundo, para que as pessoas sejam tocadas para evitar ações ruins, como as que estão acontecendo atualmente: lançamento de mísseis, conflitos políticos, violência urbana. Temos de fazer nossa parte, orar incessantemente e pedir a intercessão de Nossa Senhora, que nossa oração chegue ao Seu Coração e, por sua mediação, ela chegue a seu  Filho. 

Na sala de mensagens, Luiz Henrique anunciou:

  • Próxima comunicação será “Os títulos de Nossa Senhora” a ser feita por Alice Nagasaki. 
  • A pedido do GEN – Grupo Executivo Nacional, o dia 09 de outubro é estabelecido para fazermos jejum pelo Movimento de Cursilhos.
  • Orientou sobre as alavancas para o 43º Cursilho para Mulheres, ressaltando a alavanca ininterrupta, hora a hora, desde a Missa da entrada até Missa de Encerramento do Cursilho.
  • Apresentou o rendimento aproximado (R$ 6.300,00) do almoço promocional do Setor Araçatuba
  • Solicitou que sejam feitos os acertos mensais do carnê para manutenção da Casa São Paulo.
  • Indicação de mulheres para o cursilho, que as fichas poderiam ser procuradas com o Marcelo.
  • Quem não têm crachás deveriam deixar seus nomes para que sejam providenciados.

WhatsApp Image 2017-10-03 at 20.50.30

Na comunicação “O MCC em Estado Permanente de Missão – Espiritualidade”, Luiz Antônio Navacchio, de Piacatu, falou que Espiritualidade é a presença de Deus em nossa vida e que Espiritualidade Cristã é viver segundo o espírito cristão. Seguir Jesus é uma decisão que muda tudo, nossa espiritualidade é voltada à vida e à libertação das pessoas.

Apresentou alguns falsos conceitos de espiritualidade que geram falsas atitudes de vida e incoerências entre fé e vida.

Não podemos viver sem esperança. Cristo triunfou sobre o pecado e a morte. Ele ressuscitou e está presente na Eucaristia, está vivo em sua Igreja e está no meio de nós. Se não acreditarmos nisso, na sua Ressurreição e na sua presença na Eucaristia, nossa missão não tem fundamento e sequer se inicia.

Desenvolveu o tema em três momentos da Espiritualidade: no Método VER, JULGAR (DISCERNIR) e AGIR. O nosso AGIR será sempre o Seguimento de Jesus de Nazaré.

Encerrou com a reflexão:

O que fazer para que a espiritualidade cristã e cursilhista seja mais profunda e correspondente ao fundamental cristão e ao nosso carisma?

Como tornar a espiritualidade cristã e cursilhista mais visível e atraente em nosso dia a dia?

Como ser na prática o fermento, o sal e a luz no mundo?

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins

Item Material Utilizado LINK (s)
1 Material em Power Point MCC.EstadoPermanenteMissao.LuizNavacchio

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 26/09/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Documento nº 105 da CNBB – Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na sociedade

 “Aos leigos compete por vocação própria, buscar o Reino de Deus, ocupando-se das coisas temporais e ordenando-as segundo Deus. Vivem no mundo, isto é, no meio de todas e cada uma das atividades e profissões, e nas circunstâncias da vida familiar e social, as quais como que tecem a sua existência. Aí os chama Deus a contribuírem, do interior, à maneira de fermento, para a santificação do mundo, através de sua própria função; e, guiados pelo espírito evangélico e desta forma, manifestarem Cristo aos outros, principalmente com o testemunho da vida e o fulgor da sua fé, esperança e caridade.” (Conc. Vat. II, Lumen Gentium 31). 

Nesta terça feira, 26/09/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com a celebração da Santa Missa  oferecida em alavanca aos cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo, e também aos aniversariantes da semana.

WhatsApp Image 2017-09-26 at 23.35.38

Padre Orivaldo e a ministra Cecília

Padre Orivaldo, na homilia, utilizando-se das palavras do discurso que São João Paulo II, quando Papa, pronunciou em Roma, comparou os cursilhistas a grãos de milho, espalhados na terra para louvar a Deus. Grãos de milho que nutrem nosso semelhante por nosso amor e misericórdia. Também nos deu subsídios sobre a Bíblia, sobre a Memória de  São Cosme e Damião e sobre as leituras bíblicas da liturgia da Santa Missa.

WhatsApp Image 2017-09-26 at 23.42.38

Luciano José Oliver, filho de Jeová Oliver, um dos iniciadores do MCC em nossa cidade.

Após a Santa Missa, foram feitas as apresentações de um neo-cursilhista.

Também presente Luciano José Oliver, filho de Jeová Oliver, iniciador do MCC em nossa cidade, no ano de 1969, que atualmente reside em Votuporanga e nos presenteou com a doação do livro “Evolução de mim: do caos à vida” de sua autoria. 

Ainda, na capela, Luiz Henrique informou que a próxima comunicação será “O MCC em Estado Permanente de Missão” a ser feita por Luiz Antonio Navacchio, de Piacatu.

A comunicação foi feita por padre Orivaldo sobre o Documento nº 105 da CNBB, Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na sociedade.

A partir da etnologia da palavra em seu sentido denotativo, o sentido de leigo é de povo escolhido, de povo consagrado. Leigo é o que pertence ao povo. Nas diversas acepções da palavra através da história da Igreja, chegamos até o Papa Paulo VI  que diz serem os leigos corresponsáveis na obra do Senhor. O Concílio Vaticano II vem afirmar o ministério comum da hierarquia e dos leigos.

O Ano do Laicato no Brasil, que se iniciará em 26 de  novembro deste ano, vai fortalecer a comunhão, o amor e a misericórdia ao povo de Deus.

A Exortação Apostólica Christifideles Laici nos identifica como Fiéis Leigos.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho para Homens da diocese de Lins

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 12/09/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

P_20170912_210948Resumo: A comunicação tomou como eixo central o Livro dos Atos dos Apóstolos retratando a vida em comunhão e fraternidade dos primeiros Cristãos no seguimento de Jesus Cristo, tendo como missão o anúncio do evangelho a todas as pessoas de todas as partes do mundo romano. Maira, deu ênfase aos desafios que os Cristãos encontravam mas que, mesmo com as adversidades, permaneciam firmes na fé. Mostrou-nos que, assim como os primeiros Cristãos, devemos permanecer em comum união (comunhão) com Cristo, procurando sempre estarmos em oração constante em todas as decisões e serviços que vamos realizar sendo testemunhos vivos de Cristo. Proporcionou através de uma dinâmica de grupo a análise de contexto acima mediante a Leitura de trechos bíblicos dos Atos dos Apóstolos e posterior explanação da síntes e de cada Grupo.

Como desfecho presenteou-nos com a reflexão sobre a célebre e conhecida Carta a Diogneto, que é sem sombra de dúvida um dos maiores documentos históricos que retratam o ser Cristão da época de Cristo e exemplo a ser seguido por nós hoje.

WhatsApp Image 2017-09-12 at 22.40.07

Item Material Utilizado LINK (s)
1 Material em Word Carta a Diogneto

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 05/09/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

Alavanca

“Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus!” (Lc 4, 34)

Nesta terça feira, 05/09/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com as orações e partilha do Evangelho da liturgia do dia (Lc 4, 31-37) oferecidas aos cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo, e também aos aniversariantes da semana.

WhatsApp Image 2017-09-05 at 22.29.45

Na sala de mensagens, Luiz Henrique informou:

  • A próxima comunicação será “A Igreja dos primeiros cristãos” a ser feita por Maira.
  • Reunião com os candidatos de Araçatuba ao 42º cursilho será na segunda-feira, dia 11/09, às 20 horas, na Paróquia Imaculado Coração de Maria
  • Reunião preparatória dos responsáveis será no dia 09.09, às 14 horas, na Casa São Paulo.
  • Venda dos convites para o almoço do dia 24.09, promovido pelo Setor Araçatuba.

A comunicação “Alavanca” feita por Carlos Renato e Ana Paula, da cidade de Gabriel Monteiro, teve foco na Oração, no Jejum e na Caridade, ofertados ao Pai para a conversão dos corações dos que fazem o cursilho e dos que estão trabalhando no cursilho.

WhatsApp Image 2017-09-05 at 22.33.37

Com fundamento na Bíblia, no Catecismo da Igreja Católica e nas palavras do Papa Francisco, e com seus testemunhos fortemente marcados pelo amor ao próximo, desenvolveram o tema “Alavanca” impulsionando a todos para as orações pessoais e comunitárias, ao jejum e à caridade em oferecimento aos cursilhos.

Finalizada a comunicação, oferecemos a Ave-Maria ao casal e às suas filhas.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho da Diocese de Lins – Abril de 1988

Item Material Utilizado LINK (s)
1 Material em Word MENSAGEM alavanca texto
1 Material em Powerpoint ALAVANCA slides

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 29/08/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

João viu a Jesus, que vinha caminhando em sua direção, e disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (Jo 1, 29 )

Nesta terça feira, 29/08/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo, com as orações e partilha do Evangelho da liturgia do dia (Mc 6, 17-29) oferecidas aos cursilhos que se realizam nesta semana, no Brasil e no mundo, e também aos aniversariantes da semana. 

A liturgia faz memória ao martírio de São João Batista, sacrificado porque foi o profeta que anunciou a verdade. 

WhatsApp Image 2017-08-29 at 22.07.06

Na sala de mensagens, Maira informou:

  • Próxima comunicação será “Alavanca” feita por Carlos Renato e Ana Paula, da cidade de Gabriel Monteiro.
  • Solicitou que sejam preenchidas as fichas de indicação de candidatos para o próximo cursilho para homens, nos dia 15 a 17 de setembro
  • Comunicou a distribuição dos convites para o almoço promocional do Setor Araçatuba, dia 24 de setembro.

WhatsApp Image 2017-08-29 at 22.09.54

A comunicação “Conhecendo Mensagens” foi feita pela Sílvia Helena Sakamoto, enfatizando os três encontros do Cursilho:

  • Consigo mesmo;
  • Com Cristo;
  • Com a comunidade.

Em seguida, os participantes formaram cinco grupos para conhecerem e refletirem, cada um, sobre as mensagens:

  • O Pai Rico em Misericórdia;
  • Maria, Mãe de Deus e da Igreja;
  • A Semeadura e a Vinha do Senhor;
  • O Cristão Comprometido;
  • Esperança.

O trabalho continuará no próximo dia 19 de setembro, quando os grupos apresentarão o resultado do trabalho, com uma síntese da mensagem. A dinâmica visa a que os participantes da Escola Vivencial conheçam as mensagens, identificando aquela que pretende elaborar para se tornar mensageiro do Cursilho.

Finalizada a comunicação, oferecemos a Ave-Maria para a Sílvia e sua família.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho da Diocese de Lins – Abril de 1988

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Araçatuba – 22/08/2017

Escola Vivencial MCC – Araçatuba

‘Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!’ (Lc 1, 28)

Nesta terça feira, 22/08/2017, iniciamos os trabalhos do dia, na capela interna da Casa de São Paulo. Cecília fez a leitura da relação dos cursilhos que ocorrerão no final da semana, no Brasil e no mundo, oferecendo em alavanca a esses cursilhos a reza do Terço, que também foi oferecido aos doentes, ao que rezam por nós, aos que nos pedem orações, pela paz do mundo, pela conversão dos pecadores, e em especial pelo desagravo aos pecados cometidos contra o Santíssimo Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria.

Cecília também comunicou que a liturgia do dia faz memória a Nossa Senhora Rainha. Por isso rezamos os mistérios gloriosos do Terço.

Na sala de mensagens, Maira anunciou:

  • Próxima comunicação será “Fazendo Mensagem” feita pela Sílvia.
  • Solicitou que sejam preenchidas as fichas de indicação de candidatos para o próximo cursilho para homens, nos dia 15 a 17 de setembro.
  • Osvaldo Carmona comunicou a distribuição dos convites para o almoço promocional do Setor Araçatuba, dia 24 de setembro.
WhatsApp Image 2017-08-23 at 7.56.17 AM

Cristiane da cidade de Piacatu fala sobre  “A nossa vida em Cristo

A comunicação “A nossa vida em Cristo” foi feita pela Cristiane Lacerda Gomes, de Piacatu, que a iniciou questionando:

Cremos em Jesus Cristo; mas será que damos a Ele o lugar que realmente deve ocupar em nossas vidas?

Os evangelhos e as cartas dos apóstolos apresentam Jesus como o SENHOR.

Jesus é o Senhor, e esse é o lugar que Ele deve ocupar em nossas vidas.

Em Cristo, encontramos o verdadeiro significado para nossas vidas, disse Cristiane. E, por Cristo ter muito significado em sua vida, ela deu belos testemunhos de sua vivência no seguimento de Jesus: no ambiente familiar, no trabalho, com os amigos da escola, na comunidade. Testemunhos de superação, de força de vontade, de garra para praticar o bem.

São Paulo, na Carta aos Filipenses, fala da vitória dos servos de Deus, independentemente das circunstâncias e dos momentos.

São sete expressões de como Cristo é a vida do cristão, e para cada uma dessas expressões Cristiane nos incitou à reflexão. As sete expressões da Carta aos Filipenses são:

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter os mesmos sentimentos que ele tem (1:3-6) 

Eu vou tratar as pessoas da mesma maneira que Cristo as trata. Alegro-me com meus irmãos, orando por eles. Cristo pensou nos outros quando morreu na cruz. Paulo pensou o mesmo, amando os irmãos. Amor sincero não é escolhido.

 Se Cristo é a minha vida, eu vou ter os mesmos interesses de Cristo (1:12-18) 

As minhas ambições pessoais serão ligadas a Cristo, para a honra e glória de Deus. Ninguém ficava com Paulo, sem ouvir o evangelho.

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter o mesmo Espírito de Cristo (1:19)

Se eu desejo o mesmo Espírito de Jesus, devo ter os mesmos ideais, alvos e interesses dele.

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter Cristo como a minha preocupação suprema (1:20) 

Podemos perder algumas coisas, até a própria vida, mas Cristo é tudo: a esperança e a certeza da vitória.

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter Cristo como a parte mais querida da vida (1:21-26) 

Estar com Cristo é incomparavelmente melhor. Significa trabalhar por sua causa.

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter uma conduta que combina com a vida de Cristo (1:27) 

Se Cristo é minha vida, não devo viver como o mundo. Se Cristo é a minha vida, lutaremos juntos, firmes em um só espírito. Muitos querem a Cristo como salvação, mas não querem responsabilidades.

Se Cristo é a minha vida, eu vou mudar a atitude dos outros para comigo (1:28-30) 

Cristo entrando em nossa vida, haverá mudanças, resultando em alegrias. Ao redor do seguidor de Cristo, haverá pessoas contra a nossa fé. A salvação em Cristo é um privilégio, algo que o mundo não compreende, e sofrer por Cristo é uma graça.

Cristo é a vida do cristão. E se ainda não recebemos Jesus Cristo, é chegada a hora de O confessarmos como Senhor e Salvador de nossa vida.

Rezamos uma Ave-Maria para Cristiane e sua família.

Joaquim Benício Peruzzo
58º Cursilho da Diocese de Lins – Abril de 1988

Este slideshow necessita de JavaScript.