Escola Vivencial MCC – Bilac – 09/10/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Sábado, 09.12.2017, com a graça de Deus, mais uma vez estivemos reunidos para a confraternização, num ambiente harmonioso, mas não deixamos de lembrar que estamos no tempo do ADVENTO, ou seja, de vigília e espera da vinda gloriosa de Nosso Senhor Jesus Cristo, razão maior da nossa fé, da nossa caminhada e da nossa alegria.

Que em 2018, ano especialmente dedicado ao Laicato na Igreja Católica, Nossa Senhora e São Paulo Apóstolo roguem a Deus por nós, para que sejamos, ainda mais, perseverantes na missão de cristãos junto à igreja e sociedade. Com olhares luminosos e corações sábios, gerando luz e sabor, como Jesus Cristo em seu evangelho, conforme sugere nosso querido e estimado papa Francisco.

Que ninguém se perca pelo caminho, para que possamos estar juntos mais vezes, orando, meditando, ensinando, aprendendo, trabalhando e comemorando.

Jesus continua contanto com todos nós! Certamente, todos nós continuamos contando com a sua Graça!

Sigamos em frente!

Saudações De Colores!

Feliz e Santo natal e um ano novo de realizações para todos!

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 28/11/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 28.11.2017, na Escola Vivencial na última reunião do corrente ano, discutimos os assuntos tratados na XXIV Assembleia Diocesana do Movimento de Cursilho da Cristandade da Diocese de Araçatuba, ocorrida em 19.11.2017, na casa São Paulo, visando aprimorarmos ainda mais os nossos trabalhos para 2018, seguindo sempre os preceitos dos documentos da Igreja Católica.

IMG_20171128_194813700

Na sequencia, fizemos uma breve reflexão sobre o tema: JESUS VAI VOLTAR?

A espera que Jesus vai voltar é dúvida de crentes e não crentes:

A história da salvação acontece em diversas etapas. Deus criou e organizou o homem na face da Terra, depois escolheu um povo a partir de Abraão. Com essa escolha, o Senhor passa a ter um povo sobre a Terra. Logo depois, o Seu povo, por meio de Moisés, recebe a Lei, ou seja, o modo como viver neste lugar. Tudo isso apontava para o dia mais importante da nossa salvação: a chegada de Jesus.

Paulo descreve em Gálatas:

“Chegada a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho nascido de uma mulher” (Gl 4,4).

Jesus vem, cumpre Seu papel de revelar o Pai, redime a humanidade morrendo na cruz, forma Sua Igreja enviando o Espírito Santo e estabelece um tempo para essa Igreja até que Ele volte.

Portanto, a espera da segunda vinda de Cristo é renovada todos os dias, no mundo inteiro, na liturgia eucarística, pela Igreja, ao dizer

“todas as vezes que comemos deste pão e bebemos deste cálice, anunciamos Senhor a vossa morte, enquanto esperamos a vossa vinda”.

Nenhum teólogo ou igreja cristã tem dúvida se Jesus vai voltar. Quando os primeiros cristãos perguntaram se era o momento de Jesus restaurar Jerusalém – como encontramos no livro dos Atos dos Apóstolos -, Ele respondeu:

“não cabe a vós saber o dia e a hora, não cabe a vós vos preocupardes com este momento” (At 1,7-8).

Porém, Jesus não negou esse momento, Ele não disse que a Igreja não deveria se preocupar com esse assunto.

Vejamos: a Igreja acabara de nascer, tinha, agora, a missão de levar o Evangelho até os confins da terra como descrito no versículo 8 de Atos dos Apóstolos:

“Descerá sobre vós o Espírito Santo, que lhes dará força e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, na Judeia e na Samaria e até os confins da terra.”

Os primeiros cristãos estavam preocupados com a segunda vinda de Jesus

A preocupação central da Igreja recém-nascida era levar a mensagem da salvação ao mundo inteiro. Para isso, seria revestida da força do Espírito Santo e não deveria preocupar-se tanto com a segunda vinda do Senhor.

Mas apesar de os primeiros cristãos estarem focados em levar o Evangelho até os confins da terra, suas pregações traziam a visão escatológica. O capítulo 3 de Atos dos Apóstolos narra o milagre realizado por Pedro e João a caminho do templo. Esse fato assombrou o povo, que, atônito, acercou-se dos dois.

Pedro, então, aproveita o momento para anunciar Jesus e convidá-los a crerem n’Ele, a se arrependerem e a se converterem, a fim de que os pecados lhes fossem apagados. Imediatamente, fala-lhes da segunda vinda do Senhor quando afirma:

“Então enviará Ele o Cristo, que vos foi destinado, Jesus, a quem o céu deve acolher até os tempos da restauração de todas as coisas, das quais Deus falou pela boca de seus santos profetas” (At 3,20b-21).

Também o apóstolo Paulo, na primeira das diversas cartas que escreveu, no livro mais antigo do Novo Testamento, já demonstrava preocupação com a segunda vinda do Senhor, como podemos constatar no capítulo 5, 23 da primeira epístola aos Tessalonicenses:

“O Deus da paz vos conceda santidade perfeita; e que o vosso ser inteiro, o espírito, a alma e o corpo sejam guardados de modo irrepreensível para o dia da Vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”

Tanto Pedro, o apóstolo dos judeus, como Paulo, o apóstolo dos gentios, trabalharam esse tema em suas pregações e escritos. Ao lermos em Mateus:

“e este Evangelho do Reino será proclamado no mundo inteiro como testemunho para todas as nações. E então virá o fim” (Mt 24,14).

Ali percebemos que há um tempo estabelecido para a vinda do Senhor. Este tempo está compreendido entre o início da propagação do Evangelho e a chegada dessa mensagem ao mundo inteiro.

Os anjos afirmam sobre a volta de Jesus

Em Atos, os anjos afirmam que, do mesmo modo que viram Jesus subir, o verão descer dos céus:

“Os anjos disseram: ‘Homens da Galileia, por que estais aí a olhar para o céu? Este Jesus que foi arrebatado dentre vós para o céu, assim virá do mesmo modo como o vistes partir para o céu’” (At 1,11)

Também no final dos Evangelhos vemos Jesus dizendo de sua segunda vinda gloriosa e dos diversos sinais que antecedem esse evento.

Os primeiros cristãos cumpriram a missão de levar o Evangelho e advertiram a Igreja sobre a vinda gloriosa do Senhor. Cabe à Igreja dos dias atuais – ao identificar os diversos sinais precursores e constatar que o Evangelho está chegando aos confins da terra – se deter sobre este assunto com mais profundidade.

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 26/11/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Tarde de domingo, 26.11.2017, os cursilhistas do MCC de Bilac promoveram e participaram do café comunitário no Lar São Vicente de Paula, da nossa cidade, juntamente com outros grupos e pastorais.

IMG_20171126_131956260

Fomos recepcionados pelos moradores e colaboradores com carinho e alegria, onde compartilhamos momentos de emoção, acompanhado de animadas musicas.

Foi uma ação simples, porém, bastante feliz, pois era visível a satisfação no semblante de cada um dos presentes.

Todo gesto de amor e solidariedade, mesmo aparentemente pequeno, torna-se grandioso para quem o recebe e faz a diferença para quem o pratica.

Jesus conta conosco!

Paz e bem!

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 21/11/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 21.11.2017,  nos reunimos para adoração ao Santíssimo, em agradecimento a Deus pelos trabalhos realizados e a perseverança dos cursilhistas, durante o ano que está chegando ao fim.

WhatsApp Image 2017-11-21 at 21.35.29

Diante do Jesus ressuscitado foram proferidas profundas mensagens religiosas e palavras evangelizadoras, onde todos compartilharam momentos de fé e espiritualidade, respeitando a individualidade de cada um, pois, perante Deus somos todos iguais, mas também pecadores, necessitando sempre da Sua infinita misericórdia.

Pedimos ao Senhor, que não deixe apagar a chama que impulsiona a nossa caminhada, concedendo-nos o dom da sabedoria para continuarmos anunciando e testemunhando a palavra como fermento, sal e luz.

Onde há uma vontade, há um caminho. Onde há boa vontade e Fé, há muitos caminhos.

Que possamos a cada novo dia, descobrir e cultivar nossa missão de cursilhistas, na escuta, no acolhimento e na resposta ao chamado de Deus com alegria, coragem e ânimo.

Senhor, fazei que pratiquemos a caridade não apenas em ocasiões especiais, mas no cotidiano da vida e que nos aproximemos com maior fervor de Cristo, luz da humanidade.

Que  os nossos objetivos e ações, sejam sempre guiados pelas mãos protetora do Pai!

Saudações De colores!

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 17/11/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Sexta-feira, 17.11.2017, os cursilhistas resolveram se reunir novamente, agora na residência da cursilhista Graça, pessoa bastante identificada com as atividades do MCC de Bilac, porém, devido a problemas particulares, não vem participando das reuniões da escola vivencial.

WhatsApp Image 2017-11-18 at 09.32.31 (4)

Com fé e espiritualidade, rezamos o Santo Rosário, pedindo a intercessão de Nossa Senhora junto a Jesus, e este ao Deus-Pai, para que ela passe por esta fase e volte a caminhar normalmente conosco.

Rezamos também pelas intenções apresentadas e por todas aquelas trazidas no coração de cada um.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Escola Vivencial MCC – Bilac – 14/11/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 14.11.2017, através do método Lectio Divina, refletimos a palavra da Sagrada Escritura do capítulo 23 do evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas. Uma escala de quatro degraus espirituais: Leitura, Meditação, Oração e Contemplação.

IMG_20171114_211238992

Acusações contra Jesus – Mesmo sendo humilde, verdadeiro e mensageiro da paz, as autoridades desejam a morte de Jesus, acusando-O  de subversivo, ou seja, ensinamento provocador de revolta entre o povo, fazer aposição ao pagamento de tributos e de intitular-se rei, apresentando-o ao governador de Roma, que o declara inocente.

O silêncio de Jesus – O respeito ao protocolo acaba com as divergências entre Pilatos e Herodes, mas Jesus, conhecendo as intenções e provocações dos interrogatórios de ambos, permanece em silêncio.

Jesus é um homem perigoso – Diferentemente dos chefes, sacerdotes e doutores da lei, Herodes e Pilatos não entendiam que as palavras e ações de Jesus representavam perigo maior para os privilégios das autoridades do que o criminoso Barrabás, condenado legalmente pela prática de seus crimes.

Chorar por Jesus? – A ação de Simão Cirineu nos mostra que para sermos verdadeiros discípulos é necessário que estejamos empenhados no projeto de Jesus para a implantação do reino de Deus. Ninguém está livre do peso da cruz, devendo carregá-la com alegria, amor e esperança de salvação. Jesus pede para não chorarmos por ele, mas, por nós mesmos, quando rejeitamos seus preceitos e deixamos de praticar seus ensinamentos.

A realeza que dá a vida – Jesus, exemplo de honestidade, defensor dos humildes, mensageiro da paz recebe várias acusações sem ter prático crime algum. Na presença de muitos curiosos, antes da execução da sua morte é zombado pelos chefes e soldados, porém, num gesto de espiritualidade divina perdoa os seus algozes.

Lembra-te de nós! – Mesmo tendo todos os motivos possíveis para odiar o mundo, Jesus demonstra que em seu coração somente há espaço para o amor. Demonstrando misericórdia e compaixão, perdoa a todos e promete o paraíso ao malfeitor arrependido. Através desse gesto, Ele deixa claro que qualquer um pode alcançar o céu, basta ter fé e se arrepender dos pecados.

A morte do justo – Em seu último suspiro, Jesus entrega seu espírito ao Pai e junto todo o pecado da humanidade, para que todos sejam libertos das trevas e tenham vida nova pautada no amor e na confiança de que Deus está no comando e jamais abandona seus filhos.

Fim do caminho? – Ao contrário do que pensavam aqueles que condenaram Jesus de que tudo estava terminado, o Mestre venceu a morte, subiu ao céu e está a direita do Pai, onde reinará para sempre.

Oração:

Senhor, que a cruz que cabe a cada um carregar, não seja motivo de lamentação, mas sim de alegria, pois através dela seu filho amado, Jesus Cristo, venceu a morte, garantindo a vitoria a todos nós.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 07/11/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 07.11.2017, fizemos a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, recomendando orações em alavancas, para que os objetivos evangelizadores de todos eles sejam alcançados com êxitos.

Partilhamos e comentamos o evangelho do dia (Lucas 14,15-24), invocamos a presença do Espírito Santo e rezamos as orações do Pai Nosso e Ave Maria.

Na sequencia, o Senhor Lauro, membro ativo da nossa Escola Vivencial, falou-nos sobre o tema: A PALAVRA DE DEUS E A EUCARISTIA.

IMG_20171107_195453726 - Cópia

Prólogo do evangelho de São João.

Jesus é a palavra que revela Deus aos homens – No começo a Palavra já existia: a Palavra estava voltada para Deus, e a Palavra era Deus.

No começo ela estava voltada para Deus.

Tudo foi feita por meio dela, e, tudo o que existe, nada foi feito sem ela.

Nela estava à vida, e a vida era a luz dos homens.

Essa luz brilha nas trevas, e as trevas não conseguiram apagá-la.

Eucaristia – Ver também Comunhão

A eucaristia é o coração é o ápice da vida da Igreja, pois nela Cristo associa sua Igreja e todos os seus membros a seu sacrifício de louvor e ação de graças oferecidos uma vez por todas na cruz a seu Pai; por seu sacrifício Ele derrama as graças da salvação sobre o seu corpo, que é a Igreja.

A celebração Eucarística comporta sempre: a proclamação da palavra de Deus, a ação de graças a Deus Pai por todos os seus benefícios sobre tudo pelo dom do seu Filho, a consagração do pão e do vinho e a participação no banquete litúrgico pela recepção do Corpo e do Sangue do Senhor. Estes elementos constituem um só e mesmo ato de culto.

A Eucaristia é o memorial da páscoa de Cristo, isto é, a obra da salvação realizada pela Vida, Morte e Ressurreição de Cristo, obra esta tornada presente pela ação litúrgica.

É Cristo mesmo, sumo sacerdote eterno da nova aliança, que agindo pelo ministério dos sacerdotes, oferece o sacrifício Eucarístico. E é também o mesmo Cristo, realmente presente sob as espécies do pão e do vinho, que é a oferenda do Sacrifício Eucarístico.

Somente os sacerdotes validamente ordenados podem presidir a Eucaristia e consagrar o pão e o vinho para que se tornem o Corpo e o Sangue do Senhor.

Os sinais essenciais do Sacramento Eucarístico são o pão de trigo e o vinho de uva, sobre os quais é invocada a benção do Espírito Santo, e o sacerdote pronuncia as palavras da consagração ditas por Jesus durante a última Ceia:

Isto é o meu Corpo entregue por vós. (…) Este é o cálice do meu Sangue (…)”.

Por meio da consagração opera-se a transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue de Cristo. Sob as espécies consagradas do pão e do vinho, Cristo mesmo, vivo e glorioso, está presente de maneira verdadeira, real e substancial, seu Corpo e Seu Sangue, sua Alma e Divindade (Conc. Trento, DS 1640).

Enquanto Sacrifício, a Eucaristia é oferecida também em reparação dos pecados dos vivos e dos defuntos, e para obter de Deus benefícios espirituais e temporais.

Eucaristia – Os seus Frutos.

Aumentar a nossa união  e tornarmos intimo de Cristo. Pois o Senhor diz:

“Quem como da minha Carne e bebe do meu Sangue permanece em mim e Eu nele” (Jo 6,56).

Conserva, aumenta e renova a vida da graça rebebida do batismo.

Separa-nos do pecado. O Corpo de Cristo que recebemos na comunhão é “entregue por nós”, e o Sangue que bebemos é “derramado por muitos para remissão dos pecados”.

É por isso que a Eucaristia não pode unir-nos a Cristo sem purificar-nos ao mesmo tempo dos pecados cometidos e sem preservar-nos dos pecados futuros:

”Toda vez que o recebermos, anunciamos a morte do Senhor” (1 Cor 11,26).

Fortalecer a caridade que, na vida diária, tende a arrefecer; e esta caridade vivifica apaga os pecados veniais (Conc. De Treno, DS 2638).

Preserva-nos dos pecados futuros.

Uni-nos mais intimamente a Cristo e renova, fortalece e aprofunda esta incorporação à igreja, realizada já pelo batismo.

Termos mais comprometimentos com os pobres. Para receber na verdade o Corpo e o Sangue de Cristo entregues por nós, devemos reconhecer Cristo nos mais pobres, nossos irmãos (Mt 25:40).

Fonte:

  • O Catecismo da Igreja Católica responde de A a Z
  • Prof. Felipe de Aquino.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 31/10/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 31.10.2017, através do método Lectio Divina, refletimos as palavras da Sagrada Escritura, descritas no capítulo 22 do evangelho de Jesus Cristo, segundo São Lucas.

IMG_20171031_211833385

Uma escala de quatro degraus espirituais: Leitura, Meditação, Oração e Contemplação.

O confronto com o satanás: Os chefes dos sacerdotes e os doutores da lei sempre procuraram eliminar Jesus, pois a Sua popularidade os incomodavam. Desta feita, contaram com a ajuda de Judas que fazia parte do seleto grupo dos doze, escolhidos para ajudar na missão para o qual o Pai Lhe enviou que, movido pela ação do diabo, não resistiu à tentação da oferta do dinheiro para trair o mestre, entregando-O nas mãos dos inimigos para levá-lo à morte.

A lembrança da libertação: Quando nos permitimos ser conduzido por Deus, fazemos a Sua vontade e somos guiados por caminhos que nos levam ao lugar especialmente preparado para nós. Para que isso aconteça, temos que ter fé, perseverar e acreditar que o Senhor está sempre no comando, mesmo nos momentos que parece fazer sentido.

A instituição da Eucaristia: Jesus realiza seu desejo e celebra a última ceia pascal, oferece o pão e o vinho, em sinal de entrega do seu corpo e sangue aos homens, libertando-os de uma vida marcada pelo mal do egoísmo, construindo uma Nova Aliança,  fundamentada no dom de si para o bem de todos.

Autoridade é serviço: A hierarquia nos trabalhos para Deus, não representa sinal de poder, mas sim de servidão:

mas entre vocês não deverá ser assim. Pelo contrário, o maior entre vocês seja como o mais novo; e quem governa, será como aquele que serve. (versículo 26).

A missão de Pedro: Ninguém está livre da tentação, mesmo os de corações bons, porém esses quando praticam algo que não condiz com a vida do cristão, terão mais forças para superar esses momentos de fraquezas e voltarem renovados para o caminho da santidade, com desejo ardente de fortalecer os irmãos na fé.

A hora do combate: Jesus jamais pregou a violência e pede para fazemos o mesmo, pois as nossas armas em prol da causa do Reino de Deus deverá ser o amor, o diálogo, o serviço, a paciência e a convicção da Fé.

Jesus obedece ao Pai: A oração é o momento de dialogo com Deus e nos ajuda sermos firmes na fé e comprometidos com os seus preceitos até o fim. Assim como fazia Jesus, devemos orar sem cessar.

“Estejam sempre alegres, rezem sem cessar.” (1 tessalonicenses 5, 16-17).

A hora do poder das trevas: A traição faz parte da fraqueza humana e acontece até mesmo no meio daqueles que seguem Jesus, porém, a exemplo do Mestre, não devemos combater os traidores com violência, mas sim com amor.

“E um deles feriu o empregado do sumo sacerdote, cortando-lhe  a orelha direita. Mas Jesus ordenou: parem com isso! e tocando a orelha do homem, o curou.” (Lucas 22, 50-51)

Pedro cai na tentação: A fraqueza de Pedro demonstra que, mesmo quando vivemos na santidade, em alguns momentos tomados pelo medo negamos a Jesus e deixamos de testemunhar os seus preceitos. Quando isso acontece, a perseverança e a fé são fundamentais para nos livrarmos das trevas e voltar a receber a luz Divina, nos fortalecendo ainda mais para anunciar a palavra de Deus.

Quem é Jesus: Por mais que não fosse aceito pelas autoridades, Jesus  é filho de Deus, enviado com a missão de apresentar ao Boa Nova aos homens para formar uma nova e grande família em torno do Pai.

Oração:

Senhor, fazei que sejamos firmes na fé para não fraquejarmos na nossa missão evangelizadora, mas se isso vier acontecer, que sejamos fortes e mais preparados espiritualmente para voltarmos para  junto de Ti e seguirmos no caminho da santidade, anunciando a construção do novo reino, onde impera o amor, a fraternidade, o respeito, a igualdade e justiça para todos.

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 24/10/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça feira, 24.10.2017,  fizemos a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, recomendando orações em alavancas, para o bom êxito espiritual de todos eles.

IMG_20171024_212049012

Invocando a presença do Espírito Santo, orações do Pai Nosso e Ave Maria, proclamação e breve comentário do evangelho do dia (Lucas 12,35-38).

As neo-cursilhistas Marlene, Luci, Maria Sidnei e Roseneide, frutos do 43° cursilho para mulheres da Diocese de Araçatuba, participaram pela primeira vez da escola vivencial, compartilhando com todos os presentes seus sentimentos vividos durante o período que permaneceram em retiro, como também a perspectivas de cada uma para o 4° dia.

A Josie que trabalhou pela primeira vez na cozinha, também falou da sua emoção em retornar a casa São Paulo, desta feita na nobre condição de serva, retribuindo a inesquecível acolhida calorosa e amorosa que ela teve quando fez o cursilho.

As  sementes foram lançadas no solo sagrado de Deus. A colheita cabe a elas, no dia a dia, regarem e adubarem, para que germinem e cresçam e produzam bons frutos que servirão de alimentos espirituais para a conversão daqueles que também desejam ter um encontro com o Cristo vivo ressuscitado.

É sempre bom relembrar momentos sublimes que acontecem em nossas vidas. Assim, utilizamos esse encontro para que os demais cursilhistas também pudessem externar seus sentimentos sobre o que significou e continua significando o MCC em suas vidas.

Que o cursilho desperte a todos o desejo de anunciar o evangelho e colocar em prática os ensinamentos do mestre Jesus.

E Jesus disse-lhes:

“Ide por todo mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” (Mc 16,15).

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 22/10/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Domingo a noite, 22.10.2017, preparamos mais uma surpresa para as neo-cursilhistas Marlene, Luci, Roseneide e Maria Sidnei, frutos do 43° cursilho para mulheres da Diocese de Araçatuba.

IMG_20171022_212042645

Ao chegarem da casa de São Paulo encontraram familiares e cursilhistas reunidos no salão paroquial, onde foram recepcionadas ao som da musica do MCC “De Colores.”

Cada uma testemunhou seu sentimento vivido durante o período que permaneceu em retiro, como também a sua perspectiva para o 4° dia.

Nosso pároco padre Paulinho, esteve presente.

Em seguida, num ambiente festivo, compartilhamos momentos alegres e de bastante espiritualidade, com direito a bolo, doces e salgadinhos, tudo preparado comunitariamente com carinho.

Pedimos a intercessão de São Paulo Apóstolo e Nossa Senhora da Conceição, para que sejam sempre perseverantes e não deixem apagar a chama que se acendeu em seus corações.

Paz e bem a todos!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 17/10/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 17.10.2017, iniciamos nosso encontro com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, destacando o 43° cursilho para mulheres da nossa diocese de Araçatuba, pedindo orações em alavancas, para o bom êxito de todos eles.

IMG_20171017_195327834_HDR (Copy)

Após a oração do Espírito Santo, este que vos escreve, falou sobre o tema: Dízimo, Compromisso, Partilha e Gratidão.

No dicionário a palavra “dízimo” significa:

A décima parte de algo; décimo. [Religião] Contribuição dada pelos fiéis à igreja que, geralmente, corresponde à décima parte de seus rendimentos. [Antigo] Imposto que, pago pelos fiéis à igreja, correspondia à décima parte da colheita, renda, salário etc.

Nos tempos atuais, todo batizado deve comprometer-se em fazer doação regularmente, proporcional a sua renda, pois tais recursos são destinados para fazer frente às despesas para o bom funcionamento da Igreja e oferecer o mínimo de conforto aos fiéis.

O dízimo é um ato de fé, de esperança, de amor e caridade, que nos leva a colaborar com o projeto de Deus neste mundo.

O Dízimo não exclui ninguém, mesmo quem não tem renda poderá oferecer seus dons, colocando-se a disposição da comunidade para os trabalhos voluntários, oferta esta de muita valia, pois há grande carência de pessoas para ajudar nas diversas pastorais e ministérios da igreja.

Todos nós somos convidados a participar, mas fazendo doação que brota do coração, pois do contrário se torna obrigação e esmola que não tem nenhum valor para Deus.

“Jesus viu algumas pessoas ricas colocando suas ofertas na caixa de contribuições do templo. Viu também uma viúva pobre colocando lá duas moedas pequenas. Então, disse: Digo a verdade a vocês: Esta viúva pobre deu mais do que todos os outros. Todas as outras pessoas fizeram as suas ofertas dando do dinheiro que tinham sobrando; ela, porém, na sua pobreza, deu tudo o que tinha para viver.” (Lucas 21,1-4)

Paz e bem a todos!!!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 10/10/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 10.10.2017, recebemos a Beth da cidade de Piacatu, acompanhada do seu esposo Beto, casal exemplo de caminhada na igreja em família, de perseverança, de fé e amor, também grande dedicação aos trabalhos do MCC.

Fizemos a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações em alavancas, para que as propostas evangelizadoras de todos eles sejam alcançadas com êxito. Invocamos a presença do Espírito Santo, rezamos as orações do Pai Nosso e Ave Maria, proclamamos e comentamos o evangelho do dia (Lc 10,38-42).

IMG_20171010_195440383

Na sequencia, Beth emocionou todos os presentes com a mensagem: A MATERNIDADE DE MARIA e testemunho da manifestação de Nossa Senhora em sua vida.

Desde a anunciação do anjo Gabriel (Lc 1,26-38), as ações de Nossa Senhora são exemplos para todos os cristãos que desejam seguir os passos de Jesus e um dia merecer um lugar no céu e desfrutar da vida eterna.

A fé católica em Nossa Senhora fundamenta-se nos quatros DOGMAS MARIANO, presentes na bíblia e reconhecidos pela igreja.

1 – Maternidade Divina: A maior glória de Nossa Senhora foi a de ter sido escolhida para ser mãe de Deus, do verbo encarnado. Jesus nasceu de forma humana, sem deixar de ser divino. O CIC ao falar da escolha de Nossa Senhora diz que, desde a eternidade, Deus já havia escolhida para ser a mãe do seu filho (488).

2 – A Imaculada Conceição, não teve pecado original. Santo Agostinho disse: Não se deve tocar na palavra pecado ao se tratar de Maria; e isso por respeito aquela de quem mereceu ser a mãe de Jesus e que a preservou de todo o pecado por sua graça.

3 – Virgindade Perpétua de Maria: Maria é sempre virgem, ou seja, antes do parto, durante o parto e depois dele. O papa João Paulo II disse: Não queira entender pela medicina, porque isso é um milagre. Eis que conceberás a Luz e dará à Luz (Isais 7:14).

Segundo James:

A luz não passa no vidro sem quebrá-lo?

Então, porque Deus não poderia gerar Jesus no ventre de Maria sem rasgar as paredes?

“Para aquele que é extraordinário, todos os fatos são excepcionais.” (Santo Agostinho).

4 – Assunção de Nossa Senhora: Maria foi levada ao Céu de corpo de alma. A igreja sempre acreditou nisso. Mas o papa Pio XII disse: A virgem Maria é mãe de Deus e Imaculada. Ao término da vida terrena, foi levada de corpo e alma para o Céu.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 03/10/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 03.10.2017, com alegria, recebemos o casal cursilhista Pedro Alves e Nilda, da cidade de Birigui.

IMG_20171003_195558785_HDR

Como de costume, iniciamos nosso encontro com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, recomendando orações em alavancas, para que todos eles sejam abençoados por Deus e alcancem os objetivos evangelizadores propostos.

Após a invocação do Espírito Santo, orações do Pai Nosso, Ave Maria e proclamação e breve comentário da liturgia do dia (Lucas 9,51-56), Pedro falou-nos sobre o tema: SENHOR, O QUE QUERES QUE EU FAÇA?

Em Atos 22-10, Saulo também pergunta:

Senhor, o que devo Fazer?

Quando fazemos também essa pergunta ao Senhor, a Sua resposta é simples e objetiva, como são as coisas celestes. Basta conhecer e colocar em prática os ensinamentos dos mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe (Lucas 18:20).

Negue a si mesmo (Lucas 9:23). Seja uma nova pessoa, livra-se do orgulho, do egoísmo, da vaidade e todas as amarras que o impede de seguir Jesus e colocar os seus ensinamentos e ações em prática, como a solidariedade, a humildade, a partilha, o perdão e o amor ao próximo.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 26/09/20127

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira feira, 26.09.2017, com alegria, mais uma vez, recebemos o ministro da palavra Paulinho, da cidade de Birigui, para concluir a reflexão sobre as palavras do evangelho de Jesus Cristo, segundo São Mateus.

Momentos impar na vida religiosa de cada um que teve a oportunidade de estar presente e entender um pouco daquilo que Deus fala através da Sagrada Escritura.

IMG_20170926_195304048

Alguns destaques da reflexão:

PLANO GERAL DO EVANGELHO DE MATEUS

  • Evangelho da Infância de Jesus: Mateus narra infância de Jesus para proclamar que Ele é o Herdeiro das promessas feitas a Abraão e a David (Genealogia), é o descendente de David anunciado pelos Profetas, reúne os traços de Salomão, o sábio, e de Moisés, o salvador do povo. Os pagãos vêm a Ele com presentes, como o tinham anunciado os profetas.
  • Anúncio do Reino do Céu: Mateus mostra-nos o princípio do Reino dos Céus: Jesus é anunciado e proclamado como Filho de Deus, nas tentações cumpre a vontade do Pai como verdadeiro Filho e no sermão ensina-nos a cumprir essa mesma vontade de Deus, para podermos receber o Reino dos Céus e ser também filhos de Deus.
  • O poder do Reino dos Céus; Cristo é Aquele que tem esse poder e demonstra-o fazendo milagres e perdoando os pecados, no mesmo tempo que expulsa os demônios; mas logo a seguir, transmite este poder aos Doze, de modo que esse poder se perpetue na Igreja.
  • Cristo é a realização de tudo o que fala o Antigo Testamento; dito de outra maneira, Mateus contempla todos os personagens do Antigo Testamento como figuras de Cristo, enquanto que Cristo é a realidade, na qual tudo se cumpre. É como se tudo o que dizia a Sagrada Escritura até então, fosse algo vazio que agora se enche, ou como um desenho que agora tem de se terminar de pintar.
  • Mateus fala frequentemente do “Reino de Deus”, ou do “Reino dos Céus”, dando preferência a esta última expressão, sem fazer aparentemente distinção entre as duas formas. Os outros evangelistas, ao contrário, usam mais a primeira. É notável a frequência com que Mateus se refere ao Reino: enquanto Mateus refere-o 50 vezes, Marcos refere-o somente 14 e Lucas 39.

Deve-se recordar que a “Boa Nova” consiste em Deus que vem reinar sobre o seu povo. O Reino dos Céus não é algo que está exclusivamente do outro lado (no Céu), mas sim, que vem a este mundo: Deus vem exercer a sua função de Rei, transformando tudo, tanto o mundo, como os homens. O Reino dos Céus vem a este mundo, começa a ganhar forma na terra, e terá a sua consumação nos Céus.

  • Mateus preocupa-se em mostrar que a boa nova da chegada do Reino dos Céus dá-se na pessoa de Jesus Cristo. O Reino dos Céus anunciado e preparado no Antigo Testamento já está presente em nós, porque Jesus é o cumprimento de todas as profecias. Jesus forma uma comunidade, na qual se começam a manifestar os sinais da presença do Reino. Mateus é o único evangelista que dá o nome de “Igreja” a esta comunidade..
  • Objetivo: O objetivo principal deste Evangelho é que Mateus quer responder a duas perguntas, que com certeza os cristãos se colocavam depois da vida, morte e ressurreição de Jesus:
  • Quem é Jesus? (conhecer). Jesus é o Emanuel, o Deus conosco, o Filho de Deus!;
  • Como seguir Jesus Cristo? (fazer o que Ele mandou). Mateus mesmo dá o exemplo. Jesus o chama: Segue-meE ele, levantando-se, o seguiu!
  • Destinatários: Mateus escreve aos judeus que se converteram ao cristianismo, por isso utiliza muito o AT e usa muitos termos hebraicos. Mas a mensagem de Jesus é universal e por isso o Evangelho termina afirmando: “fazei que todas as nações se tornem discípulos meus....

Visão Pastoral do Evangelho de Mateus

O Evangelho de Mateus nasce da resistência de pequenas comunidades de pessoas fiéis a Jesus, sinais da presença salvadora de Deus e de seu reino. Através desse evangelho podemos enxergar comunidades que estão definindo sua identidade.

  • Trata-se de comunidades que estão se fortalecendo para resistir ao controle da sinagoga e do império romano e superar as divergências internas e externas.
  • As comunidades de Mateus acreditam em Jesus como o Messias, em oposição ao messias rei poderoso e defensor da Lei, esperado pelos fariseus . É o messianismo dos excluídos contra o messianismo do rei..
  • Ele é o Messias anunciado pelos profetas, e a sua vida e prática eram cumprimento do plano determinado por Deus.
  • Jesus é o verdadeiro intérprete da Lei: Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas. Não vim revogá-los, mas dar-lhes pleno cumprimento, porque em verdade vos digo que, até que passem o céu e a terra, não será omitido nem um só i, uma só vírgula da Lei, sem que tudo seja realizado”..
  • Jesus é o único e verdadeiro Mestre da Lei: A Lei deve estar a serviço da vida e não condicionada à lei do puro-impuro que acabou se transformando numa observância mecânica e lucrativa, excluindo muitas pessoas, especialmente os pobres.

A prática de Jesus pobre, humilde e misericordioso corresponde à justiça de Deus . Ele vem ao encontro do ser humano, perdoa e salva. A sua prática é baseada no amor e na misericórdia. Uma justiça solidária.

A correção fraterna contra o legalismo e o rigorismo da sinagoga . É preciso sair e ir ao encontro da pessoa que errou

  • Essa comunidade proclama que, em Jesus, Deus está conosco: “Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles”. Sempre: “E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 19/09/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 19.09.2017, com alegria redobrada, recebemos o ministro da Palavra Paulinho (cidade de Birigui) e os dois neo-cursilhistas Osvaldo e Francisco, frutos do 42° cursilho para homens da diocese de Araçatuba, que compartilharam com a escola vivencial os sentimentos vividos no período de retiro e as suas perspectiva para o 4° dia.

IMG_20170919_194607302_HDR

Fizemos a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações em alavancas, para o bom êxito de todos eles.

IMG_20170919_195550987

Na sequencia, o Paulinho, com conhecimento profundo da Sagrada Escritura, refletiu sobre as palavras do Evangelho de Jesus Cristo de São Mateus (que terá continuidade  na próxima terça-feira), uma verdadeira aula de espiritualidade, acompanhada atentamente por todos os presentes, importantíssima para a vida religiosa de cada um.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba – abril/2012

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 12/09/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Nesta terça-feira, 12.09.2017, fizemos a reunião preparatória com os candidatos ao 42° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba, que será realizado entre os dias 15.09 e 17.09.2017.

WhatsApp Image 2017-09-12 at 21.17.50

Chegamos ao final da 67° edição da festa da padroeira de Bilac, Nossa Senhora da Conceição. Mais uma vez, graças ao empenho da comunidade católica e cursilhistas, esse grandioso evento foi um sucesso.

Todos que nos visitaram nesses dias festivos, foram recebidos com alegria e carinho, num ambiente especialmente preparado para encontro de amigos e famílias.

WhatsApp Image 2017-09-12 at 21.20.16 (1)

Na missa de encerramento, nosso pároco, padre Paulinho, agradeceu a todos pela dedicação, enaltecendo a importância do trabalho voluntário de cada um pelo bom êxito alcançado.

Após a celebração Eucarística, aconteceu uma linda festa de confraternização, especialmente preparada para os festeiros.

Com a graça de Deus, as intercessões de Maria e São Paulo apóstolo, na próxima terça feira, dia 19.09.2017, retornaremos as atividades normais.

Paz e bem a todos!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 05/09/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Nesta terça feira, 05.09.2017, a escola vivencial se juntou a toda a comunidade católica nos trabalhos para a realização da 67° festa em louvor a Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade de Bilac, que será realizada entre os dias 06.09 a 10.09.2017.

IMG_20170906_115829064_HDR

Além da qualidade dos alimentos servidos, o evento contará com atrações diversas.

Padre Paulo, pároco local, ressalta que a festa do padroeira aumenta a religiosidade e espiritualidade de todos a comunidade, lembrando aos paroquianos os momentos mais sublimes das festividades, especialmente no louvor e graça a Maria, que com seu amor maternal, sempre intercede a Deus por todos aqueles que a ela recorre.

Estaremos de braços abertos para recebermos a todos.

Paz e bem!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba

Escola Vivencial MCC – Bilac – 29/08/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 29.08.2017, através do método Lectio Divina, refletimos as palavras da Sagrada Escritura, descritas no capítulo 21 do evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas, uma escala de quatro degraus espirituais: Leitura, Meditação, Oração e Contemplação.

IMG_20170829_194424714_HDR

A verdadeira atitude religiosa: Para Deus não importa o tamanho da oferta, mas o significado da doação, a entrega, o sacrifício e o sair de si para ir ao encontro dos irmãos necessitados. Uma oferta volumosa nem sempre demonstra que o coração do ofertante está em sintonia com o Senhor, principalmente quando esta está relacionada à sobra do que se possui em abundância, ou conseguido através de ações ilícitas.

O fim ainda não chegou: A valorização das coisas mundanas e a idolatria que afasta do verdadeiro Deus, serão motivos de destruição de templos, conflito entre nações, fenômenos que poderão destruir vidas, mas não significa o fim do mundo e tão pouco o fim da relação entre Deus e os homens.

”Não terás outros deuses além de mim. Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas e debaixo da terra”. (Êxodo 20:3-4)

A coragem do testemunho: Seguir Jesus não é condição de conforto, pois os que O anunciam são perseguidos, injuriados, difamados, odiados, levados as prisões e até mesmo a morte, mas aqueles que permanecem firmes na fé não se abalarão e terão como recompensa a vida eterna, onde reina a paz e não há sofrimento.

Fim da separação: Jesus alerta sobre a proximidade da destruição de Jerusalém e ordena que ninguém permaneça ou entre na cidade. Quem crer receberá a salvação, porém os incrédulos serão dizimados pelos inimigos.

A história e o fim dos tempos: Jesus fala de sua vinda gloriosa, mas adverte que antes que isso ocorra, diversos fenômenos vão acontecer no mundo e causar muitos sofrimentos, mas aqueles que O reconhecem como o único salvador e vivem os ensinamentos evangélicos não tem o que temer, pois entenderão que as palavras são edificadoras e mantém a esperança de libertação.

Estejam atentos: Os sinais anunciados por Jesus, muitos já acontecendo em todos os cantos do mundo, inclusive ao nosso redor, não devem ser motivo de medo, mas sim de coragem, perseverança na fé e oração permanente, para que estejamos preparados espiritualmente quando o filho de Deus voltar para restaurar definitivamente o seu reino no meio de nós.

Senhor, fazei que não façamos das nossas ofertas motivos de elevação e superioridade, que não reconhecemos falsos deuses, que não tenhamos medo de testemunhar Jesus, que não caímos nas armadilhas mundanas para que, no tempo do julgamento final, possamos estar de pé diante do filho do homem e sermos recompensados com a morada eterna.

Paz e bem a todos!

Saudações De colores!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 22/08/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 22.08.2017, com alegria, recebemos a cursilhista Claudinha, da cidade de Birigui, acompanhada do casal João e Neide.

IMG_20170822_195353263

Iniciamos o encontro com leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações em alavancas, para que todos alcancem os objetivos evangelizadores. Invocamos a presença do Espírito Santo, proclamamos e comentamos o evangelho do dia (Lc 1,26-38).

Na sequência, Claudinha falou sobre o tema: A Fé e Seus Falsos Conceitos.

O seu testemunho sobre uma graça recebida, comprova que a Fé quando brota do coração nos faz acreditar que Deus é o único remédio para os nossos males e salvação para as nossas almas e, quando a Ele recorremos, ao Seu tempo, as nossas súplicas são atendidos.

“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.” (Hb 11. 1)

A Bíblia diz que até mesmo os demônios creem: 

“Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios creem e tremem.” (Tg 2. 19)

“Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.” (Jo 20:29) 

Paz e bem a todos!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 15/08/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 15.08.2017, com alegria e respeito, recebemos a imagem representando simbolicamente a Sagrada Família de Nazaré que, em celebração a semana da família, está visitando as comunidades de nossa cidade, urbanas e rurais, levando paz aos corações do fieis.

IMG_20170815_194208257_HDR - Cópia

Invocamos a presença do Espírito Santo, proclamamos o evangelho da liturgia do dia em Mt 18, 1-5.10.12-14 e fizemos uma breve reflexão sobre a homilia do papa Francisco: Família, lugar de perdão.

IMG_20170815_192220219 - CópiaNão existe família perfeita. Não temos pais perfeitos, não somos perfeitos, não nos casamos com uma pessoa perfeita nem temos filhos perfeitos. Temos queixas uns dos outros. Decepcionamos uns aos outros. Por isso, não há casamento saudável nem família saudável sem o exercício do perdão.

O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual. Sem o perdão a família torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas. Sem o perdão a família adoece. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente e a alforria do coração. Quem não perdoa não tem paz na alma nem comunhão com Deus.

A mágoa é um veneno que intoxica e mata. Guardar mágoa no coração é um gesto autodestrutivo. É autofagia. Quem não perdoa adoece física, emocional e espiritualmente. É por isso que a família precisa de lugar de vida e não de morte; território de cura e não de adoecimento; palco de perdão e não de culpa. O perdão traz alegria onde a mágoa produz tristeza; cura, onde a mágoa causou doença.

Na sequência, assistimos um vídeo do padre Léo, abordando o tema: Buscai as Coisas do Alto.

Uma verdadeira aula de espiritualidade e exemplo de força, de superação e de fé, pois mesmo diante dos sofrimentos causados pela sua gravíssima enfermidade, jamais deixou de externar o seu amor a Deus e pregar a palavra do Santo Evangelho.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricado
31° cursilho para homens da Diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 08/08/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 08.08.2017, com alegria, recebemos o casal cursilhista Itamar e Tânia, da cidade de Birigui.

IMG_20170808_195739530Lemos a relação dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações em alavancas, para o bom êxito em suas propostas evangelizadoras. Invocamos a presença do Espírito Santo, proclamamos e fizemos um breve comentário do evangelho da liturgia do dia (Mt 14, 22-36).

Na sequencia, a Tânia, com segurança e o testemunho de quem vive o seu quarto dia, falou-nos sobre o tema: A AÇÃO NA VIDA DO CURSILHISTA.

Uma mensagem bastante oportuna, pois, muitas vezes, na tribulação do dia-a-dia, achamos que estamos fazendo as coisas corretas, que estamos no caminho certo, mas, na verdade, falta algo que nos passa despercebido, fazendo com que as nossas ações, aos olhos de Deus, não estão sendo realizadas por completas.

Mas o que entendemos por ação?

Será que é o nosso agir?

Será que é o nosso agir… com compromisso?

Vejamos o que diz a palavra de Deus, em Tiago 2,17:

“Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesmo”.

A oração, formação e ação, formam um TRIPÉ que sustenta a vida cristã do cursilhista.

Nas passagens Evangélicas, Jesus é prodigo em dar exemplos da falta de ação, ou a incoerência entre FÉ e VIDA.

“Portanto, vocês devem fazer e observar tudo o que eles dizem. Mas não imitem suas ações, pois eles falam e não praticam”. (Mt 23,3).

Em algumas situações  preferimos “ trabalhar” ao invés de “Agir” . E há entre elas uma sutil diferença:

  • Realizar um “trabalho” de rotina, fazer porque tem que ser feito.
  • Já “ Agir”, é por em prática um plano, trabalhar para executá-lo e levá-lo a conclusão.

No MCC – Movimento de Cursilho de Cristandade,  distingui-se  os diversos tipos de AÇÃO:

  1. O  Ativismo
  2. O Assistencialismo
  3. A Ação Serviço  – Obras de Misericórdia
  4. Ação dentro do M.C.C.
  5. Ação Evangelizadora
  6. E a Ação Transformadora de leigo como Leigo no mundo, em cada ambiente…

ATIVISMO

  • É  o fazer por fazer, sem preocupação do que, para que ou para quem. Atende sem duvida a necessidade de alguém, grupo ou organização, apenas como mão de obra. Não leva em conta a Palavra de Deus e da Igreja, normalmente não é uma ação precedida pela Oração. Costuma ser recompensadora para quem faz…”tipo..estou fazendo a minha parte”

 ASSISTENCIALISMO

  • Pode tornar-se uma forma paliativa e viciante de ação, pois atende uma necessidade ou pedido, o qual depois de atendido, voltará posteriormente a ser novamente solicitado, numa exigência continuada que é retro-alimentada pelo próprio assistencialismo. Muitas vezes não tem clareza das causas que geram essa necessidade.

AÇÃO SERVIÇO

  • É doação de tempo, vigor e talento, ou dispêndio financeiro para atender uma necessidade, mas é paliativa. É para atender uma situação URGENTE. Ai  se incluem as Obras de Misericórdia como esmola ou serviço prestado a entidades que dão assistência aos menos favorecidos
  • Essa ação Jesus nos confiou…e tem uma passagem em Lucas 9,11-13 .

AÇÃO DENTRO DO MCC

  • Aqui esta ação é dentro da Estrutura do MCC, colocando seus dons e talentos a serviço.
  • Servindo no PRE, no CUR, ou no POS, ou no GED, no GER ou ao GEN e também nas instancias internacionais.

 AÇÃO EVANGELIZADORA

  • A missão do Cursilhista é a missão de todo cristão consciente e,  pede que,  transformando –nos (conversão) transformaremos o mundo implantando nele os critérios do Reino. A missão confiada por Jesus a todos os que acolherem a sua Pessoa, sua mensagem, e optarem por segui-lo, é fazer de todas as pessoas de todos os tempos, seus discípulos e pelo testemunho de vida, implantar e disseminar o Reino por ELE inaugurado.

 AÇÃO TRANSFORMADORA COMO LEIGOS CRISTÃOS NO MUNDO

  • Como Cursilhistas, a nossa maneira de concretizar a missão do Cristão é Evangelizar nossos ambientes. A maneira de fazer é através da ação transformadora. Essa ação deve partir da própria pessoa do cursilhista, transformando diariamente (conversão) e transbordando para as realidades nas quais imerso (ambientes): a família, a profissão, o social, a política, enfim…

Conclusão

É importante fundamentarmos as nossas ações e atitudes neste TRIPÉ: ORAÇÃO, FORMAÇÃO e AÇÃO.  

Ouçamos o chamado de Deus na parábola do evangelho de Jesus Cristo em Mateus 20,1-16.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo
31º Cursilho para homens da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 01/08/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 01.08.2017, refletimos as palavras da Sagrada Escritura, descritas no capitulo 20 do evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas, através do método: Lectio Divina:

  • Leitura.
  • Oração.
  • Meditação.
  • Contemplação.

IMG_20170801_193808725_HDR

Jesus silencia as autoridades: A popularidade e a influência de Jesus incomodam as autoridades que, temendo perder o controle, preparam uma armadilha para desmoralizá-Lo diante do povo, mas são surpreendidos com o mesmo truque que os deixam calados diante da ação do filho de Deus.

Jesus acusa as autoridades: A incredulidade e a ganância dos responsáveis pela religiosidade do povo não permitiram que fossem fiéis ao projeto divino, violentando e matando os enviados de Deus que tinham a missão de conduzi-los a justiça, primeiro os representados pelos apóstolos e, por último, o Seu próprio filho, Jesus o salvador. Assim, Deus estabelece uma nova aliança com seu povo, congregando-os em torno de Jesus, pedra angular, onde os incrédulos tropeçarão, porém os que creem jamais serão abalados.

O povo pertence a Deus: Jesus não se opõe a arrecadação de tributos, desde que sejam cobrados de forma justa, ou seja: quem ganha mais paga mais, quem ganha menos paga menos e que esses recursos  sejam revertidos em benefício da população, principalmente dos mais necessitados.

Ele não discute com aqueles que planejavam prepará-lo uma cilada e manda devolver a César o que César, pois as coisas do mundo nada acrescentam para o Reino do Céu, mas não abre mão daquilo que é de Deus, seus filhos sofridos e explorados pelos poderosos que, na ânsia de acumularem riquezas, passam por cima de tudo e de todos, aprovando somente as leis que lhes são convenientes, em detrimento a miséria da grande maioria do povo.

Deus comprometido com a vida: Em resposta ao questionamento dos saduceus, Jesus esclarece que existe vida futura após a morte, mas participará dela somente os que forem julgados dignos da ressurreição dos mortos;  aquele que observar e colocar em prática os ensinamentos e os mandamentos de Deus. Paulo explica em 1Cor 15,25-58 que na ressurreição teremos corpos espirituais e nessa nova experiência não será necessário a comparação as experiências humanas, tais como o casamento.

Jesus está acima de Davi: Jesus é o único Senhor, está acima de tudo e de todos e somente Ele merece a nossa adoração. Quando não praticamos essa verdade corremos o risco de adorarmos falsos deuses e cairmos na tentação do pecado da idolatria.

“Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.” – Deuteronômio 6:4.

“Você adorará o Senhor seu Deus, e somente a ele servirá”. Lucas 4:8.

Jesus condena a dominação intelectual: Jesus falava com autoridade,  simplicidade e todas as Suas palavras correspondia o que ele vivia. Quando pregamos algo que não testemunhamos, não agimos conforme os ensinamentos de Jesus e tornamo-nos pessoas hipócritas, ou seja, não testemunhamos o que falamos. Jesus não aprova a prática da oração para justificar o pecado, como faziam os escribas quando exploravam as viúvas e roubavam as suas casas. A oração é uma prática que devemos recorrer com insistência para não cairmos na tentação do pecado.

Oração: Senhor Jesus, enviado de Deus para ensinar a verdade à humanidade, fazei que nunca duvidemos da sua existência divina e que, com humildade, amor e carinho, sejamos praticantes e mensageiros das suas palavras e ações, mostrando ao mundo o verdadeiro caminho da salvação.

José João Ricardo
31º Cursilho para homens da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 25/07/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 26.07.2017,  fizemos a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, no final dessa semana, pedindo orações em alavancas, para o bom êxito de todos. Invocamos a presença do Espírito Santo e partilhamos o evangelho de Mt, 20,20-28 (liturgia do dia).

IMG_20170725_193814262_HDR

Os jovens Fabrício e Beatriz, da cidade de Araçatuba, frutos do 15° cursilho de Jovens, realizado no último final de semana, na casa São Paulo, em visita a parentes em Bilac, visitaram a nossa Escola Vivencial, sendo recebidos com alegria e carinho. Os dois testemunharam os momentos de espiritualidade vividos durante o período que permaneceram em retiro, como também as suas perspectivas para o 4° dia.

Na sequencia, a cursilhista Sandra, acompanhada do seu esposo Nino, mais os filhos Laura e João Pedro, falou-nos sobre o tema: ESPERANÇA e um belo testemunho de sua vida.

A fé é aliada à esperança e mesmo diante da dor, de sofrimento e dos momentos difíceis que enfrentamos na vida, ela nos dá a certeza que tudo é passageiro. O nosso crescimento pessoal e espiritual, nos aproxima mais de Deus e nos faz acreditar, cada vez mais, na sua misericórdia.

No mundo conturbado e desesperançoso dos tempos atuais, é um desafio para o cristão viver a esperança.

Leitura do texto “O caminho é Jesus” na revista o Mílite

O treinamento: Como cristãos devemos praticar aquilo que Jesus nos ensinou, acreditamos e desejamos viver: Fazermos uns com os outros até que eles também descubram o grande ideal que nos motiva e pode transformar o mundo – Jesus.

Reflexão do Papa Francisco:

Os rios não bebem da própria água; as árvores não comem seus próprios frutos. O sol não brilha para si mesmo; e as flores não espalham suas fragrâncias para si. Viver para os outros é uma regra da natureza. (…). A vida é boa quando você está feliz; mas a vida é muito melhor quando os outros estão felizes por sua causa.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo
31° cursilho para homens – Diocese de Araçatuba

Escola Vivencial MCC – Bilac – 23/07/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Domingo à noite, 23.07.2017, após a santa missa, familiares e cursilhistas, dirigiram-se ao salão paroquial para recepcionar a Lívia e o Thiago, frutos do 15° cursilho para jovens, da Diocese de Araçatuba, realizado na casa de São Paulo.

IMG_20170723_210135895

Foram compartilhados momentos alegres, fraternos e de muita espiritualidade, com direito a bolo, doces e salgadinhos. Como de costume, nosso pároco padre Paulinho, também se fez presente, cumprimentando os neo-cursilhistas por esse importante momento de suas vidas.

Os jovens testemunharam seus sentimentos vividos durante o período que permaneceram no retiro, como também a perspectiva de cada um para o 4° dia.

IMG_20170723_210551623

Pedimos a intercessão de São Paulo Apóstolo e Nossa Senhora, para que sejam sempre perseverantes e produzam bons frutos para o reino de Deus.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo
31º Cursilho para homens da diocese de Araçatuba