Escola Vivencial MCC – Bilac – 25/07/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 26.07.2017,  fizemos a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, no final dessa semana, pedindo orações em alavancas, para o bom êxito de todos. Invocamos a presença do Espírito Santo e partilhamos o evangelho de Mt, 20,20-28 (liturgia do dia).

IMG_20170725_193814262_HDR

Os jovens Fabrício e Beatriz, da cidade de Araçatuba, frutos do 15° cursilho de Jovens, realizado no último final de semana, na casa São Paulo, em visita a parentes em Bilac, visitaram a nossa Escola Vivencial, sendo recebidos com alegria e carinho. Os dois testemunharam os momentos de espiritualidade vividos durante o período que permaneceram em retiro, como também as suas perspectivas para o 4° dia.

Na sequencia, a cursilhista Sandra, acompanhada do seu esposo Nino, mais os filhos Laura e João Pedro, falou-nos sobre o tema: ESPERANÇA e um belo testemunho de sua vida.

A fé é aliada à esperança e mesmo diante da dor, de sofrimento e dos momentos difíceis que enfrentamos na vida, ela nos dá a certeza que tudo é passageiro. O nosso crescimento pessoal e espiritual, nos aproxima mais de Deus e nos faz acreditar, cada vez mais, na sua misericórdia.

No mundo conturbado e desesperançoso dos tempos atuais, é um desafio para o cristão viver a esperança.

Leitura do texto “O caminho é Jesus” na revista o Mílite

O treinamento: Como cristãos devemos praticar aquilo que Jesus nos ensinou, acreditamos e desejamos viver: Fazermos uns com os outros até que eles também descubram o grande ideal que nos motiva e pode transformar o mundo – Jesus.

Reflexão do Papa Francisco:

Os rios não bebem da própria água; as árvores não comem seus próprios frutos. O sol não brilha para si mesmo; e as flores não espalham suas fragrâncias para si. Viver para os outros é uma regra da natureza. (…). A vida é boa quando você está feliz; mas a vida é muito melhor quando os outros estão felizes por sua causa.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo
31° cursilho para homens – Diocese de Araçatuba

Escola Vivencial MCC – Bilac – 23/07/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Domingo à noite, 23.07.2017, após a santa missa, familiares e cursilhistas, dirigiram-se ao salão paroquial para recepcionar a Lívia e o Thiago, frutos do 15° cursilho para jovens, da Diocese de Araçatuba, realizado na casa de São Paulo.

IMG_20170723_210135895

Foram compartilhados momentos alegres, fraternos e de muita espiritualidade, com direito a bolo, doces e salgadinhos. Como de costume, nosso pároco padre Paulinho, também se fez presente, cumprimentando os neo-cursilhistas por esse importante momento de suas vidas.

Os jovens testemunharam seus sentimentos vividos durante o período que permaneceram no retiro, como também a perspectiva de cada um para o 4° dia.

IMG_20170723_210551623

Pedimos a intercessão de São Paulo Apóstolo e Nossa Senhora, para que sejam sempre perseverantes e produzam bons frutos para o reino de Deus.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo
31º Cursilho para homens da diocese de Araçatuba

Escola Vivencial MCC – Bilac – 18/07/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 19.07.2017, fizemos a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações e alavancas, para que todos tenham êxitos em seus objetivos evangelizadores, especialmente o 15° cursilho para Jovens da diocese de Araçatuba.

Invocamos a presença do Espírito Santo, partilhamos e comentamos o evangelho do dia (Mt 11, 20-24).

Na sequencia, fizemos um balanço das coisas boas realizadas no primeiro semestre de 2017, como também comentamos sobre as nossas atividades agendadas para o segundo semestre do corrente ano.

Falamos também sobre o assunto abordado na reunião das Escolas Vivencias do GED, na casa São Paulo, em 15.07.2017, que teve como tema: ESCOLA VIVENCIAL EM ESPIRITUALIDADE.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Escola Vivencial MCC – Bilac – 11/07/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça–feira, 11.07.2017, com alegria, recebemos a jovem Cris, seus pais Beto e Beth, da cidade de Piacatu, exemplo de família cristã e cursilhistas perseverantes.

Iniciamos nosso encontro invocando a presença no Espírito Santo, orações do Pai Nosso e Ave Maria, leitura e comentário do evangelho do dia (Mt 9,32-38).

Na sequência a comunicadora Cris falou-nos sobre o tema: A NOSSA VIDA EM CRISTO.

WhatsApp Image 2017-07-12 at 12.56.30 (4)

A nossa vida espiritual somente é completa quando cumprimos verdadeiramente os preceitos de Cristo e colocamos em prática os Seus ensinamentos em favor do próximo, ou seja, daquele que estiver mais precisando de nós no momento.

Cremos em Jesus Cristo, mas será que damos a Ele o lugar que realmente deve ocupar em nossas vidas?

Há pessoas que veem na figura de Jesus apenas como seu salvador, o filho de Deus que morreu para nos salvar. Mas, os apóstolos, nos evangelhos e nas cartas, O apresentam primordialmente como o Senhor.

Jesus é o Senhor e, como tal, deve fazer morada em nossos corações e ocupar as nossas vidas.

“Nem todo aquele que diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade do meu Pai, que estás nos Céus.” Mateus 7:21

Temos colocado no nosso coração o desejo ardente de fazer a vontade do Pai?

Praticamos atitudes iguais às de Jesus?

A cada novo dia, precisamos encontrar um sentido para a nossa vida, mas somente a encontramos quando acreditamos que Cristo é fonte inesgotável de amor e bondade.

A expressão rica e maravilhosa de Paulo nos da certeza de que Cristo é realmente a fonte da nossa vida.

“Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados.” (Ef 2,1)

Essa mesma voz que trouxe Lázaro do túmulo nos criou em novidade de vida. Ele agora é a substância de nossa vida espiritual. É pela sua vida que vivemos; Ele está em nós, a esperança da glória, a fonte de nossas ações, o pensamento central que move todos os outros pensamentos.

“Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.” (Col 3,4)

Cristo é o sustento da nossa vida. Ele é importante para nós porque, por meio de Sua Expiação, Seus ensinamentos, Sua esperança, Sua paz e Seu exemplo, nos ajuda a mudar nossa vida, enfrentar nossas provações e seguir avante com fé em nossa jornada de volta à presença d’Ele e de Seu Pai.

A carta aos Filipenses escrita por Paulo, nos fala da vitória do servo de Deus, independente das circunstâncias ou momentos. Paulo mostra que Cristo é sua vida.

No primeiro capítulo desta carta, encontramos sete expressões de como Cristo é a vida do cristão:

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter os mesmos sentimentos que ele tem (1: 3-6)

Eu vou tratar as pessoas da mesma maneira que Cristo as trata. Alegro-me com meus irmãos, orando por eles. Cristo pensou nos outros, quando morreu na cruz. Paulo pensou o mesmo, amando os irmãos. Amor sincero não é escolhido.

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter os mesmos interesses de Cristo (1:12-18). 

As minhas ambições pessoais serão ligadas a Cristo, para a honra e glória de Deus. Ninguém ficava com Paulo, sem ouvir o evangelho.

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter o mesmo Espírito de Cristo (1:19). 

Se eu desejo o mesmo Espírito de Jesus, devo ter os mesmos ideais, alvos e interesses dele.

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter Cristo como a minha preocupação suprema (1:20). 

Podemos perder algumas coisas, até a própria vida, mas Cristo é tudo: a esperança e a certeza da vitória.

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter Cristo como a parte mais querida da vida (1:21-26). 

Estar com Cristo é incomparavelmente melhor. Significa trabalhar por sua causa.

Se Cristo é a minha vida, eu vou ter uma conduta que combina com a vida de Cristo (1:27). 

Se Cristo é minha vida, não devo viver como o mundo. Se Cristo é a minha vida, lutaremos juntos, firmes em um só espírito. Muitos querem a Cristo como salvação, mas não querem responsabilidades.

Se Cristo é a minha vida, eu vou mudar a atitude dos outros para comigo (1:28-30). 

Cristo entrando em nossa vida, haverá mudanças, resultando em alegrias. Ao redor do seguidor de Cristo, haverá pessoas contra a nossa fé. A salvação em Cristo é um privilégio, algo que o mundo não compreende, e sofrer por Cristo é uma graça.

Assim, no capítulo 1 de Filipenses, notamos Cristo como a vida do cristão. E se você ainda não recebeu Jesus Cristo, é chegada a hora de confessá-lo como Senhor e Salvador de sua vida.

Quando as sábias e inquestionáveis lições de Jesus Cristo adentram a nossa mente e, enche os nossos corações, modificam toda a nossa estrutura íntima.

A presença de Cristo em nossa vida tem a força de nos fazer mais pacientes e tolerantes para enfrentarmos os desafios e as barreiras naturais que tentam impedir a concretização dos nossos ideais.

A presença de Cristo em nossa vida é capaz de ampliar a nossa visão, ao ponto de conseguirmos observar as dores e as aflições alheias e de nos motivar a procurar por recursos e mecanismos capazes de curá-las.

Estamos em Cristo, “somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (Romanos 8:37) e podemos nos alegrar em nosso Salvador, o qual torna todas as coisas possíveis!

Em Cristo somos amados, perdoados e temos a promessa de salvação. Em Cristo somos adotados, justificados, redimidos, reconciliados e escolhidos. Em Cristo somos vitoriosos, somos cheios de alegria e paz, e temos o verdadeiro sentido para a vida. 

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 04/07/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 04.07.2017, iniciamos com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações em alavancas, para o bom êxito de todos eles, invocação do Espírito Santo, leitura e comentário do evangelho do dia (Mt 8,23-17).

Na sequência, a estudante de medicina Raquel, que é fruto do 12° Cursilho para Jovens, da Diocese de Araçatuba, falou-nos sobre o importante tema: Prevenção e Controle do Câncer de Mama e de Próstata.

IMG_20170704_195151350

Renata, fruto do 12º Cursilho para Jovens  

CÂNCER DE PRÓSTATA:

Introdução:

  • A próstata é uma glândula que só o homem possui e localiza-se na parte baixa do abdômen. Ela é bastante pequena, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto.
  • No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Acomete homens entre 60-70 anos.

Prevenção:

  • Dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integral, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis.
  • No mínimo de 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado, diminuir o consumo de álcool e não fumar, também previne o câncer de próstata.
  • A idade é um fator de risco importante para o câncer de próstata, a incidência como a mortalidade, aumenta significativamente após os 50 anos.
  • No caso de pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos, pode aumentar o risco de se ter a doença de 3 a 10 vezes, comparado à população em geral.

Sintomas:

  • Em sua fase inicial à evolução silenciosa.
  • Quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata: dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.
  • Fase avançada à dor óssea, sintomas urinários e, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Rastreamento:

  • O que é rastrear?
  • Rastreamento é a realização de testes ou exames diagnósticos em populações ou pessoas assintomáticas, com a finalidade de diagnóstico precoce.
  • Como rastrear o câncer de próstata? 
  • Toque retal e dosagem de PSA.

CÂNCER DE MAMA:

Introdução:

  • Câncer mais comum em mulheres no mundo e no Brasil.
  • Importante lembrar que: o câncer de mama também acomete homens, é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.
  • O câncer de mama é raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente.
  • Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros não. A maioria dos casos tem bom prognóstico.

Prevenção:

  • A alimentação, nutrição e atividade física reduzem em até 28% o risco de a mulher desenvolver câncer de mama.
  • Controlar o peso corporal e evitar a obesidade, por meio da alimentação saudável e da prática regular de exercícios físicos e evitar o consumo de bebidas alcoólicas, são recomendações básicas para se prevenir o câncer de mama.
  • A terapia de reposição hormonal (TRH), quando estritamente indicada, deve ser feita com rigoroso controle médico e pelo mínimo de tempo necessário.
  • A amamentação também é considerada um fator protetor.
  • Ambas as enfermidades ainda não podem ser prevenidas, mas as ações preventivas e a realização de exames específicos permitem que elas sejam diagnosticadas precocemente, aumentando a possibilidade de cura e com menor grau de sofrimento.

VERSÍCULO DO AMOR PRÓPRIO

O amor de Deus por cada um de nós é imensurável. Ele nos conhece como ninguém e tem grandes planos para as nossas vidas. Sabendo isso, devemos nos amar e cuidar de nós próprios da melhor maneira possível.

A vida é uma dádiva, um dom de Deus para nós. Devemos ser gratos por isso todos os dias e ter cuidados na área da saúde, higiene e bem-estar. No entanto, o nosso maior cuidado deve ser em relação ao nosso coração e caráter, porque Deus vê e sonda o nosso coração e pensamentos.

O amor próprio não é uma desculpa para você se achar melhor do que os outros. Nós somos chamados a amar o nosso próximo como a nós mesmos.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 27/06/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 27.06.2017, iniciamos nosso encontro com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações em alavancas, para que todos tenham êxitos em suas propostas evangelizadoras.

IMG_20170627_195457621

Toninho e seu testemunho de cursilhista na evangelização

Na sequência, o irmão Toninho, cursilhista muito atuante nos trabalhos da escola vivencial falou-nos sobre o tema: PRIMEIRO TENHO QUE SER EVANGELIZADO PARA DEPOIS PODER EVANGELIZAR.

A comunicação realizada teve base o depoimento sobre a importância do cursilho em sua vida, fator determinante no seu crescimento pessoal, espiritual, do seu envolvimento com a Igreja e da preparação evangelizadora que lhe permite ser anunciador do evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Não somos discípulos de Jesus apenas para segui-Lo, mas também para ajudar os irmãos a encontrá-Lo e caminharem conosco.

Primeiro temos que conhecer Jesus profundamente, viver os seus ensinamentos, para depois anunciarmos a Boa Nova em todos os cantos da terra.

Papa Francisco – A alegria do evangelho: Exortação Apostólica, 2013.

Os cristãos têm o dever de anunciar o evangelho, sem excluir ninguém, e não como quem impõe uma nova obrigação, mas como quem partilha uma alegria, indica um horizonte estupendo, oferece um banquete apetecível. A Igreja não cresce por proselitismo, mas “por atração”.

A preparação para a pregação é uma tarefa tão importante que devemos dedicar a ela um tempo prolongado de estudo, oração, reflexão e criatividade pastoral.

Um evangelizador que não se prepara não é “espiritual”; ele é desonesto, irresponsável com os dons que recebeu.

Oração:

Senhor Jesus, ajudai-nos a não querermos ser admirados pelas coisas que fazemos e livrai-nos do medo ou vergonha de vivermos como Vos nos ensinais.  Ajudai-nos a sermos verdadeiros discípulos e anunciadores do evangelho, numa linguagem compreensível para todos. Amém.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 20/06/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

No dia 20.06.2017, terça feira, a nossa comunicação teve como tema: O CAMINHO DO CORAÇÃO, realizada por Fabiana que estava acompanhada do seu esposo Alberto, casal muito querido na comunidade de Bilac e bastante atuante nos trabalhos da igreja.

WhatsApp Image 2017-06-20 at 21.46.32

O amor esteve entre nós… Ele nos ensinou o caminho e deixou a semente do seu amor em cada coração.

Mas, o homem esqueceu disso… Complicou e desviou a rota buscando do lado de fora.

Mas quando ele retorna vê que Deus estava todo tempo dentro dele… Nosso próprio coração é seu templo. Não há necessidade de filosofias complicadas.

Tudo começa com a transformação do coração, quando eu me curo, curo o mundo e vou expandindo luz pelo caminho. O amor é teu guia teu Mestre, siga teu coração, a voz de Deus a lhe conduzir.

O Amor é o maior professor. De amor, seja amor e tudo mais vos será acrescentado. E todo bem que fizeres a vos será retornado.

E de nada adianta ter todo bem material, toda sabedoria, toda riqueza, felicidade passageira e não ter amor…

Reflita nos grandes Mestres da Vida!

Francisco de Assis, Madre Tereza, todos estes tem algo em comum. Eles se entregaram ao Mistério Divino, caminharam com Cristo!

Seguiram o Amor, propagaram o Amor e se tornaram o Amor e nada lhes faltaram, compreenderam que os bens são todos temporários.

A vida aqui deste lado é apenas uma estação da nossa evolução…

Quando você simplesmente AMA independente do que aconteça, permite que o Amor resplandeça. Passara a sintonizar na frequência da tua essência. Que é AMOR, Essa energia poderosa que contagia.

Não o detenha. Não tenha medo de ofertá-lo. Ele é fonte inesgotável… Viemos aqui para AMAR e nosso coração não descansa enquanto não Ama.

Somos o Amor, viemos aqui para aprender a amar e depois voltar para casa…

Cabeça e coração

A boca fala do que o coração está cheio. A grande diferença entre o que diz e o que se faz, está em Viver pela mente ou pelo coração.

Quando se vive o que diz significa que já foi alimentado das palavras e estas nutriu o coração. A partir de então a vida se torna uma mensagem em ação, não precisando mais convencer ninguém, pois a presença de quem faz essa experiência é o próprio exemplo que se expressa.

Só se vê bem com o coração.

Muitas vezes olhamos a vida com os olhos, mas se aprendermos enxergá-la com o coração, veremos que é bem mais bonita.

É a partir do amor que temos a compreensão maior da beleza que se encontra ao nosso redor, somos capazes de ver uma mãe a cuidar de seu filho, a natureza abundante do maravilhoso planeta que vivemos, podemos ver um sorriso, um abraço. São atos tão simples, mas que destituídos do amor, não observamos.

Quando saímos do sentimento do coração vemos a corrupção, a ganância vista como uma regra social. Competimos para sermos melhores, pelo sucesso e por tudo aquilo que alimenta o ego. Esquecemo-nos do amor e caímos na matriz do comportamento social que nos conduz aos vícios morais, que nos prendem ao nosso próprio egoísmo e que mais uma vez levará ao sofrimento.

Mas no amor, temos um olhar compassivo, ficamos ancorados em nosso coração, que nos mostra a verdade. E a verdade maior não é a maldade do ser humano, o egoísmo, a ganância, mas sim a busca pelo preenchimento interior que só o amor é capaz de construir, a caridade de alma. O amor é a força mais poderosa e curativa do mundo, ele cura o corpo e a alma.

Gandhi:
A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis, se eu sou amável. Que as pessoas são tristes, se eu estou triste. Que todos me querem, se eu os quero. Que todos são ruins, se eu os odeio. Que há rostos sorridentes, se eu lhes sorrio. Que há faces amargas, se eu sou amargo.

Que o mundo está feliz, se eu estou feliz. Que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva que as pessoas são gratas, se eu sou grato.

A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta. A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim

“Quem quer ser amado, ame.”

Oração

Que o Amor seja a minha voz, o meu sentir, o meu pensar, o meu agir.

Que o Amor seja meus passos, minha direção, minha provisão, minha proteção.

Que o Amor seja o meu escudo, minha espada, minha expressão.

Que eu seja o Amor em tudo o que fizer, a todo instante.

Você acredita em anjos?

Eles não estão apenas no céu. Existem muitos espalhados pela Terra. Os anjos do céu abrem as nossas asas e os anjos da Terra abrem os nossos corações.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 13/06/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 13.06.2017, os cursilhistas se juntaram à comunidade de Bilac no bairro do Taquari para participar da santa Missa, da procissão e das comemorações festivas em homenagem ao seu padroeiro, Santo Antônio.

Assim, transcorreu a atividade de nossa escola vivencial.

Santo Antonio, intercedei junto a Deus por nós, para que, seguindo seu exemplo, sejamos perseverante e firmes na fé.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo

Escola Vivencial MCC – Bilac – 06/06/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 06.06.2017, refletimos as palavras da Sagrada Escritura pelo método Lectio Divina

  • Leitura.
  • Oração.
  • Meditação.
  • Contemplação.

WhatsApp Image 2017-06-07 at 09.29.56

No capitulo 19 do evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas, temos: 

O Rico também pode salvar-se: Não importa a condição social ou a beleza física, o reino é para todos. O importante é a bondade que brota do coração; são as boas ações e os testemunhos de fé.

Qualquer um que vive no pecado pode alcançar a salvação, como no exemplo de Zaqueu, porém, esse processo passa primeiro pelo arrependimento, pelo desejo de conversão e o anseio de conhecer intimamente Jesus, acolhê-lo em sua casa, nas pessoas dos pobres, dos excluídos, dos necessitados e dos marginalizados, completando com a prática da partilha e devolução com juros de tudo que foi acumulado ilicitamente.

A espera ativa: Frutificar os talentos recebidos é comprometer-se com o reino de Deus, na esperança de receber a recompensa divina e trabalhar para uma vida melhor para todos. Guardar esses talentos e nada fazer é tornar-se servo preguiçoso e inútil, não comprometido com messe de Senhor.

O Rei-Messias: Jesus, acompanhado de seus discípulos, mesmo montado num jumentinho, animal símbolo de trabalho e simplicidade, entra triunfalmente em Jerusalém, demonstrando  simplicidade, diferente dos governantes daquele tempo que faziam questão de impor os seus poderes.

Com essa atitude, Jesus demonstra ser diferente, pois o seu reinado não se resumia em grandes batalhas, como muitos imaginavam, mas o Rei dos pobres, da paz e serviço ao povo mais humilde.

Jesus é aclamado pela multidão que O recebe com alegria e esperança, pois acreditavam na Sua proposta de uma nova vida, libertas dos abusos e da opressão que imperavam naquela época, incomodando os fariseus que, temendo perder o poder, acusaram-No de impostor levando-O a ser condenado à morte na cruz.

Jesus chora sobre Jerusalém: mesmo sendo ovacionado pela multidão, Jesus não se alegra, pois Jerusalém estava dominada pela perdição e Seu propósito de paz, salvação e vida de santidade, não foi aceito pela maioria do povo, principalmente os poderosos.

O centro da exploração e opressão: Aqueles que usavam o templo para comércio e exploração do povo foram expulsos por Jesus, pois o lugar era sagrado e tratava-se de uma casa de oração, de igualdade e de encontro íntimo com Deus e os irmãos.

Oração: Jesus livra-nos do desejo de acumular riquezas materiais que nos afasta de Deus, cumulando-nos de fé e sabedoria, para multiplicarmos os dons divinos que gratuitamente recebemos, colocando-os a serviço da Igreja e evangelização das comunidades de fé, ou qualquer ambiente em que estivermos presentes.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 30/05/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça feira, 30.05.2016, iniciamos nosso encontro com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semema, pedindo orações em alavancas, para que todos alcancem os objetivos propostos.

Invocamos a presença do Espírito Santo, proclamamos e comentamos o evangelho de Jesus Cristo, Jo 17,1-11a.

Na sequência, Luiz Otávio, fruto do 13° cursilho para jovens da Diocese de Araçatuba, falou-nos sobre o tema: A CONVERSÃO FAZ BEM PARA A ALMA, ALEGRA O CORAÇÃO E DESPERTA O DESEJO DE ESTAR PRÓXIMO DE DEUS.

WhatsApp Image 2017-05-31 at 13.01.50Na Exortação Apostólica do Evangelli Gaudium, o Papa Francisco diz que a alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que encontram com Jesus. Quando se deixam salvar por Ele são libertos do pecado, da tristeza, do vazio interior e do isolamento. Com Jesus Cristo renasce sem cessar a alegria.

Alinhado com os pensamentos do Pontífice e dos preceitos da Igreja, a missão do MCC é evangelizar ambientes e apresentar a alegria do evangelho aos afastados de Deus, despertando neles o desejo de trabalharem  para a messe do Senhor.

Servir o Senhor nunca será em vão. O nosso papel aqui na Terra, não é somente viver o que a sociedade e as obrigações cotidianas nos impõem, mas, sim, algo maior que é nossa missão de cristão, apresentando-nos como sal e fermento para o mundo.

Vale a pena trabalhar para o Senhor?

Com certeza vale muito, pois através da evangelização, a semente é plantada em algum coração que, no futuro breve, produzirá bons frutos para o Senhor.

“O amor de Cristo nos absorve completamente” (2 Cor 5,14);

“ai de mim, se eu não evangelizar!” (1 Cor 9,16).

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 23/05/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça feira, 23.05.2017, com alegria recebemos a mensageira Isaide da cidade de Gabriel Monteiro, acompanhada do seu esposo Osmar, da Dona Maria e do jovem Juliano, todos cursilhistas perseverantes.

Apresentamos as novas cursilhistas Ana Bini e Bruna para os membros da escola vivencial, pois muitos não estavam presentes na recepção preparada para elas no domingo a noite, quando retornaram da Casa São Paulo.

WhatsApp Image 2017-05-24 at 16.01.33 (6)

Na sequência, com bastante clareza, experiência e segurança, a Isaide falou-nos sobre o tema: A PRESENÇA DE JESUS NO NOSSO COTIDIANO.

WhatsApp Image 2017-05-24 at 16.01.33 (13)

Jesus, filho unigênito de Deus, foi enviado ao mundo para a salvação da humanidade.

Na sua condição humana, passou por todas as humilhações e sofrimentos possíveis, carregando em seus ombros todo o peso dos nossos pecados.

Pregou o Amor e a Misericórdia, mas mesmo assim foi morto e crucificado pelos poderosos que não compartilhavam com os seus preceitos.

Mesmo diante de infinitas evidências do Amor de Deus, muitas vezes somos fracos na fé e, no primeiro obstáculo e dificuldade, colocamos em dúvida a Sua existência.

Jesus sempre orava antes de iniciar as suas ações: jejuou e orou no deserto, antes da escolha dos doze apóstolos; ajoelhou e orou no jardim do Getsêmani, antes de empreender a sua redenção.

A oração não é um substituto da ação, mas sim o seu fundamento. É impossível pensar em alguém que se diz ser apóstolo que não tenha como princípio a oração. Cristo exige ação, mas que ela seja alicerçada na oração.

Sejamos, pois, apóstolos de Cristo, em primeiro lugar pela oração e, depois, pela ação.

Devemos trabalhar seriamente, mas rezar com mais seriedade ainda, para que no final podemos repetir o que disse o apóstolo Paulo:

“Eu vivo, mas já não sou eu, é Cristo que vive em mim; a minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gal. 2,20).

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 21/05/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Noite de domingo, 21.05.2017, após o encerramento da celebração da santa missa na Igreja Matriz, cursilhistas, parentes e amigos se dirigiram ao salão paroquial para recepcionar as neo-cursilhistas Bruna, Ana, Bini e Ana Marta, frutos do 42° cursilho para mulheres da diocese de Araçatuba.

086Bastante emocionadas, elas compartilharam com os presentes as experiências vividas na casa São Paulo, como também a expectativa de cada uma para o 4° dia.

Preparamos comunitariamente, com amor e carinho, uma pequena confraternização, com direito a salgadinhos e refrigerantes, para festejar com alegria esse momento importante do MCC, pois acreditamos no êxito das sementes lançadas.

Que as novas cursilhistas sejam perseverantes e não deixem apagar a chama que se acendeu na vida de cada uma, fazendo brilhar os ambientes onde elas se fizerem presentes.

Paz e bem!!!

Saudações De Colores!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 16/05/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 16.05.2017, iniciamos nosso encontro com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, com destaque especial para o 42° cursilho para mulheres da nossa diocese de Araçatuba, pedindo orações em alavancas, para que todos alcancem os objetivos desejados.

Proclamamos e comentamos o evangelho de Jesus Cristo (Jo 14,27-31).

IMG_20170516_202744020

Na sequência, este que vos escreve, falou sobre o tema: VELHO ou ANTIGO: Quem vale mais?

No dicionário, encontramos:

  • Velho” significa: aquilo que se deteriorou ou gastou pelo uso, desatualizado, obsoleto.
  • Antigo” significa: algo que existe há muito tempo, que vem de longa data e que se conserva.

Na família:

  • Velho” está relacionado a várias coisas reprovadas por Deus, como a discórdia,  a opressão, a violência, o desentendimento, a ofensa e abandono, atitudes que provoca a separação; portanto, devem ser esquecidas e deixadas no passado.
  • Antigo” é exatamente o oposto, alegra o coração do Senhor, ou seja, está relacionado ao amor, a generosidade, o entendimento, o diálogo, o carinho e acolhimento, atributos que fortalece a união;  portanto, devem continuar sempre norteando nossas vidas.

Na vida social, em nossas casas, mesmo que esporadicamente, é normal fazermos limpezas das coisas velhas que se tornaram inúteis e não servem mais para nada, com o objetivo de liberarmos espaços para as coisas novas. Essa providência se faz necessária, pois do contrário, no futuro poderemos ter problemas de locomoção em nossas próprias moradias.

Na vida espiritual, também não é diferente, temos que estar sempre atento com relação as nossas atitudes, examinar as nossas consciências, entrar no nosso interior e arrancar as coisas velhas, como o rancor, a raiva e o egoísmo, liberando espaço para o novo; o perdão, o amor e a solidariedade, atributos que enaltece nossas almas e faz de nós melhores cristãos.

Na bíblia, o novo testamento somente pode ser completamente entendido quando é visto como cumprimento dos eventos, personagens, leis, sistema de sacrifício, alianças e promessas do antigo testamento, como exemplifica o capitulo 53 do livro de Isaías, que relata a vinda do Messias.

Nos tempos atuais, com o avanço da tecnologia, as coisas se tornam velhas com muita facilidade, o que era última geração ontem, hoje já está superado e tornou-se obsoleto (velho). Neste contexto, com as facilidades de compras oferecidas, muitas pessoas pelo desejo de estarem supostamente atualizadas, ou apenas por uma questão de aparência social, mesmo não sendo necessário, são levadas pelo impulso a adquirirem algo supérfluo, contraindo dívidas acima de suas possibilidades econômicas.

deste modo podemos dizer que os pensamentos de Jesus são antigos, mas continuam e continuarão eternamente sendo novos.

Reflexão: Muitos empregados querem ser empresários, muitos empresários querem ser políticos, muitos políticos querem ser reis, muitos reis querem ser deuses, mas para espanto das ciências humanas, o único homem que foi chamado de filho de Deus queria ser servo. Augusto Cury.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Escola Vivencial MCC – Bilac – 09/05/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 09.05.2017, como de costume, iniciamos o nosso encontro com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de sema. Invocamos a presença do Espírito Santo, proclamamos  e comentamos o evangelho do dia ( João 10,22-30).

Na sequencia, o senhor Lauro, um dos cursilhistas mais experientes e muito perseverante de nossa escola vivencial, falou-nos sobre o tema: SER MISSIONÁRIO.

IMG-20170510-WA0055

O nosso maior exemplo de missionário é o próprio Jesus que, nas limitações do Seu tempo, visitou vários lugares, perdoando pecados, visitando doentes e apresentado à boa nova de Deus para todos, passando posteriormente essa missão aos discípulos, com a seguinte recomendação:

Ide por todo mundo, pregai o evangelho a toda a criatura. (Mc 16, 15)

Nós cristãos (e como cursilhistas), membros da Igreja, somos os seguidores dos discípulos e, como tais, temos a missão de apresentar o reino de Cristo e de Deus no trabalho, na escola, na comunidade e todos os lugares por onde passarmos.

No contexto evangelizador, o papa Francisco pede uma igreja “em saída”, onde todos nós somos chamados a esta nova mentalidade missionária. Cada cristão e cada comunidade há de discernir qual o caminho que o Senhor lhe pede, mas todos são convidados a aceitar esta chamada: sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do evangelho.

“Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!” (1 Coríntios 9:16)

Paz e bem a todos!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 02/05/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 02.05.2017, refletimos as palavras da Sagrada Escrituras, através do método: Lectio Divina:

  • Leitura 
  • Oração
  • Meditação
  • Contemplação

379

Estudo do capítulo 18 do evangelho de Jesu Cristo, segundo São Lucas:

Perseverança na oração: Jesus ensina os discípulos e também a nós que quando oramos fervorosamente com fé, reconhecemos as nossas fraquezas, o nosso apego aos bens materiais e os nossos pecados.

Deus, na sua misericórdia e bondade, atende nossos pedidos, mas, desde que, na Sua avaliação Divina, Ele entenda que seja realmente o que precisamos no momento; às vezes o nosso tempo e a nossa vontade são diferentes do tempo e da vontade de Pai Celeste.

A justificação é dom de Deus: Alguns que por praticarem a justiça, jejuarem e darem o dízimo julgam-se superiores aos outros, porém, para Deus o mais importante é a simplicidade do coração, o reconhecimento da condição de pecador e o desapego aos bens matérias; para Deus quem se eleva, será humilhado, e quem se humilha será elevado.

O Reino pertence aos pobres: A simplicidade e pureza das crianças são condições essenciais para merecermos entrar no reino Deus. Quem Não receber como criança o Reino de Deus, nunca entrará nele.

O Reino é dom e partilha: Para merecermos o Reino de Deus é necessário conhecermos e praticarmos os mandamentos, mas também renunciarmos da vida desregrada e do apego aos bens matérias que nos afasta da prática da solidariedade e da partilha. Quem renuncia a tudo para seguir Jesus, receberá a sua recompensa aqui na terra e no mundo futuro receberá a vida eterna.

O filho do Homem: Juiz e salvador: Jesus, envidado de Deus, na sua condição humana foi torturado injustamente, sofreu todos os tipos de humilhação e sua condição de juiz e salvador, acontece na hora de sua morte e ressurreição.

Fé e segmento: A persistência do cego em querer ver de novo, simboliza que quando temos fé e acreditamos na proposta divina, Jesus vem ao nosso encontro e nos resgata para uma vida nova e de olhos abertos para vermos e agirmos diante à nova realidade que inclui seguir os Seus passos.

Oração: Senhor, Vós que conheces as necessidades de cada um, atenda o os pedidos dos Vossos filhos segundo preceitos divinos, acumulando-os de bens espirituais para que, alicerçados na fé, tenham força e sabedoria para se afastarem das tentações que os desviam do caminho da salvação.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 25/04/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça feira, 25.04.2017, com alegria recebemos a Ana Paula, da cidade de Gabriel Monteiro, acompanhada do esposo Kaká e da contagiante Rafaela, filhinha do casal.

Iniciamos o encontro com a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações em alavancas, para que todos eles alcancem os objetivos propostos. Invocamos e presença do Espírito Santo e proclamamos e comentamos o evangelho de Jesus Cristo do dia em Mc 16,15-20.

Na sequência, Ana Paula, com experiência de quem vivenciou a manifestação profunda de Deus em sua vida, falou-nos sobre o tema: ORAÇÃO NA PLENITUDE DOS TEMPOS.

IMG_20170425_195233113

Ana Paula fala sobre “Oração na plenitude dos Tempos

“Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, Deus enviou o seu filho. Ele nasceu de uma mulher, submetido à lei”. (Gl 4,4)

O significado de plenitude é pleno, completo ou cheio.

Portanto, a oração na plenitude do tempo é a oração por completo, ou seja, a nosso oração filial a Deus.

A oração é a elevação da alma a Deus.

De onde nós falamos, quando estamos rezando?

Das alturas do nosso orgulho e vontade própria?

Ou das profundezas de um coração humilde e contrito?

O capítulo 18, versículo 14, do evangelho de Lucas, destaca claramente que a humildade é o fundamente de tudo, inclusive da oração.

A humildade é a disposição para receber gratuitamente o dom da oração.

A maravilha da oração se revela à beira do poço, na busca por água, donde Cristo vem ao encontro de todo ser humano  e pede de bebe; Jesus tem sede de nós.

A oração, saibamos ou não, é o encontro entre a sede de Deus e a nossa sede. Deus tem sede de que nós tenhamos sede D’Ele.

A oração nos é plenamente revelada no Verbo que se fez carne e habita entre nós.

Quando procuramos compreender a Sua oração por meio daquilo que seus testemunhos nos anunciam através dos evangelhos, aproximamos do Santo Senhor Jesus.

O Filho de Deus que se tornou Filho da Virgem aprendeu também a rezar segundo seu coração de homem. Aprendeu as fórmulas de oração com sua mãe, que conservava e meditava em seu coração todas as grandes coisas feitas pelo Todo Poderoso.

Jesus aprendeu a orar primeiro com sua mãe, dentro da sua casa.

Aprendeu nas palavras e ritmos da oração de seu povo, na sinagoga de Nazaré e no Templo, aprendeu também com sua comunidade. Mas sua oração brota de uma fonte bastante secreta, como deixa prever com a idade de doze anos quando diz aos seus pais, que O procuravam desesperadamente:

“Eu devo estar na casa de meu Pai” (Lc 2,49)

Aqui começa se revelar a novidade da oração na plenitude dos tempos: a oração filial, que o Pai esperava de seus filhos, será enfim vivida pelo próprio Filho único em sua humanidade, com os homens e para os homens.

O Pai desejava de nós essa oração filial, e nos mandou seu filho para viver essa oração com nós e para nós.

O evangelho segundo são Lucas destaca a ação do Espírito Santo e o sentido da oração no ministério de Cristo. Jesus ora antes dos momentos decisivos de sua missão: antes de o Pai dar testemunho dele por ocasião do Batismo e da Transfiguração e antes de realizar por sua Paixão o plano de amor ao Criador.

Ora, também, antes dos momentos decisivos que darão início a missão dos Apóstolos: antes de escolher e chamar os Doze, antes que Pedro o confesse como “Cristo de Deus” e para que a fé do chefe dos Apóstolos não desfaleça na tentação. A oração de Jesus antes das ações salvíficas que realiza a pedido do Pai é uma entrega, humilde e confiante, de sua vontade humana à vontade amorosa do Pai.

Em fim, Jesus mesmo sendo enviado de Deus, em sua condição humana, sempre buscava forças junto ao Pai através das orações.

Assim, a exemplo de Jesus, nós através da oração, dialogamos com Deus, para escutá-lo, louvá-lo, dar-lhe graças e pedir-lhe aquilo que necessitamos, porém, Ele na sua bondade e misericórdia nos concede o que é mais conveniente para a nossa salvação.

Paz e bem a todos!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 18/04/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 18.04.2017, na Escola Vivencial, por conta do aniversário de nossa cidade, fizemos a leitura e comentamos o evangelho do dia (Jo 20,11-18).

IMG_20170418_202956154 (Copy)

Aproveitamos, ainda, para relembrar o cursilho, onde todos falaram dos momentos vividos durante o período em que permaneceram na casa São Paulo, como também das influências que o movimento proporcionou na vida espiritual de cada um.

Naquele tempo, Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.

Os anjos perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: “Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”. Tendo dito isto, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus. Jesus perguntou-lhe: “Mulher, por que choras? A quem procuras?” Pensando que era o jardineiro, Maria disse: “Senhor, se foste tu que o levaste dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”.

Então Jesus disse: “Maria!” Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: “Rabuni” (que quer dizer: Mestre). Jesus disse: “Não me segures. Ainda não subi para junto do Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor!”, e contou o que Jesus lhe tinha dito.

Segundo Bento XVI, a história de Maria de Mágdala recorda a todos uma verdade fundamental: discípulo de Cristo é quem, na experiência da debilidade humana, teve a humildade de pedir-lhe ajuda, foi curado por ele, e lhe seguiu de perto, convertendo-se em testemunha do poder de seu amor misericordioso, que é mais forte que o pecado.

Senhor, fazei que, a exemplo de Maria Madalena, tenhamos fé e perseverança para proclamarmos ao mundo que Jesus Cristo foi ressuscitado e vive no meio de nós!

José João Ricardo

Escola Vivencial MCC – Bilac – 11/04/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 11.04.2017, não teve atividade na escola vivencial. Como cristãos cursilhistas, participamos da procissão de encontro de Nossa Senhora das Dores com  Nosso Senhor dos Passos.

Os andores com o Filho e com a Mãe, saíram da capela do Lar São Vivente de Paula e da igreja matriz, conduzidos pelos homens e mulheres, respectivamente, tendo o encontro emocionante ocorrido na confluência da Avenida Coriolano Pompeu Filho com a rua Walter Orsati, seguindo lado a lado até a capela São Benedito, bairro Jardim Paulista, onde ocorreu a encerramento com a celebração da Santa Missa.

O padre Paulo, em sua homilia, falou-nos sobre a dor no coração e a angustia de Nossa Senhora em ver seu filho passar por tanto sofrimento.

Ela presenciava tudo no silêncio e não entendia muito bem o que se passava, pois o mistério da ressurreição lhe era revelado paulatinamente, ou seja, aos pouco.

Hoje, muitas mães passam pela mesma situação ao verem seus filhos doentes, envolvidos em drogas, encarcerados e as portas fechadas no mercado de trabalho.

Da mesma forma, o sofrimento de Jesus pelo peso da cruz é imposto a vários irmãos que, não suportando a carga, acabam caídos pelo caminho.

Senhor, que o nosso jugo seja suave e o fardo leve, para que possamos permanecer de pé e caminhar ao Seu lado!

Paz e bem!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 09/04/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

O MCC- Movimento de Cursilhos de Cristandade, juntamente com o ECC- Encontro de Casais com Cristo ornamentaram a igreja matriz de Bilac para as celebrações das missas de domingo de ramos.

A organização da missa de manhã ficou sob a responsabilidade do MCC, que iniciou com a procissão representando simbolicamente a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, tendo a frente o filho de Deus montado em uma jumentinha, acompanhado dos doze apostos, todos cursilhistas.

Na homília, o padre Paulo chamou a atenção dos fiéis sobre a acusação injusta de Jesus pelo povo da época, condenado inocentemente, pois não cometeu crime algum que justificasse tal ato; pelo contrário, passou pelo mundo praticando somente o bem.

Hoje não é diferente, situações análogas ocorrem com frequência, onde a população condena e lincham pessoas inocentes, sem nenhum julgamento prévio, induzidas por vídeos ou notícias falsas postadas nas redes sociais por alguns inconsequentes.

Senhor, vós que vieste para perdoar e não condenar, fazei  com que a humanidade pratique  esse conceito, para um mundo melhor e mais justo para todos.

José João Ricardo

Escola Vivencial MCC – Bilac – 05/04/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Nesta terça-feira, 04.04.2017, com  fé e espiritualidade, refletimos as palavras da Sagrada Escritura descritas no capitulo 17 do evangelho de São Lucas, através do método: Lectio Divina.

  • Leitura;
  • Oração;
  • Meditação;
  • Contemplação.

IMG_20170404_194133335

Atitude dos discípulos: Jesus repreende a prática do escândalo e condena quem o produz, pois para este seria melhor a morte do que escandalizar os pequeninos, impondo conceitos aos que não tem discernimento para avaliar determinadas coisas, aceitando ideias formadas, ou se deixam influenciarem por elas, mesmo que não sejam as mais adequadas.

O perdão deve ser uma prática constante, não pelo fato de quem perdoa ser bom e a outra pessoa merecer ser perdoada, mas simplesmente porque Jesus que é misericordioso pede para que isso seja repetido quantas vezes forem necessárias. 

Antes de pedir para aumentar a fé, primeiro é preciso crer e ter fé, pois mesmo essa sendo do tamanho de uma semente de mostarda já é o suficiente para receber as manifestações de Jesus.

A obrigação, seja ela qual for, deve ser bem realizada pelo simples fato de ter que fazer. Os elogios são consequências e, caso venham acontecer, mostra que houve acerto e serve como estimulo para  constante melhora, incluindo a vida e os trabalhos religiosos.

Fé e gratidão:  A graça da cura deve ter como contrapartida a gratidão, pois somente assim se realizada plenamente a manifestação do Senhor, que salva glorifica a vida.

A presença do reino de Deus: Não adianta procurar sinais misteriosos do reino de Deus, pois eles estão em todos os lugares com a presença de Jesus.

A vinda do filho do homem: Jesus compara o fenômeno visível do relâmpago que se manifesta de forma repentina, com o retorno do filho do homem que virá de forma instantânea e perceptível para todos, não deixando dúvidas sobre os acontecimentos passados, mas antes que isso acontece Ele deixa claro que primeiro deveria sofrer muito, ser rejeitado e morto.

Nos dias de Noé até a vinda do dilúvio, as pessoas levavam a vida de forma desregrada, não atentavam para as coisas de Deus e, como consequência, enfrentaram um julgamento. Isso acontecerá também nos dias do filho do homem que, na sua volta, fará o julgamento final e decisivo, onde os injustos serão destruídos e os justos receberão a salvação eterna. Serão salvos somente aqueles que, como Jesus, faz das suas vidas dom para os outros.

Jesus nos adverte para não cairmos em tentação como aconteceu com a esposa de Ló que chegou muito perto da salvação: E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal. (Gênesis 19).

O mestre diz também que no dia da sua vinda ninguém terá lugar no céu somente pelo simples fato de estar próximo de pessoa salva; a salvação virá pela conduta e ações divina.

Em resposta a pergunta dos discípulos que querem saber quando acontecerá isso, o Messias diz que o cadáver atrai os abutres, o que leva a entender que da mesma forma a morte espiritual atrai o julgamento.

Senhor, que o nosso espírito seja sempre voltado para a caridade, o amor, o perdão e a gratidão, para que na vinda de Jesus estejamos preparados para recebermos o julgamento dos justos.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 28/03/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 28.03.2017, dando continuidade ao estudo de metodologia do Movimento de Cursilhos de Cristandade, com alegria, recebemos nosso irmão Luiz da cidade de Piacatu que, com experiência, sabedoria e segurança, falou-nos sobre o tema: PÓS-CURSILHO.

  • Tempo decisivo;
  • Carisma realiza;
  • Razão do MCC.
IMG_20170328_195240503

Luís Navachio fala de Pós Cursilho

CARISMA DO MCC.

Possibilitar a vivência do fundamental cristão, visando criar núcleos de cristãos que fermentem de evangelho os ambientes, ajudando-os a descobrir e realizar a vocação pessoal.

PÓS  CURSILHIO: VERDADEIRO TRABALHO

  • Que seja uma ajuda para manter vivo no (na) cursilhista o espírito de uma conversão progressiva.
  • Que esteja orientado a que os (as) cursilhistas façam de sua vida uma convivência com irmãos e irmãs, tanto na comunidade eclesial como no mundo onde devem realizar sua missão específica como leigos e leigas.

PÓS CURSILHO: É ponto de chegada no “ponto de largada”. Isso mesmo: é o ponto de largada para uma longa caminhada rumo ao Reino definitivo. É o tempo para construir, tecendo, fio a fio, dia a dia, a própria perseverança.

Hora do cultivo, que exige paciência, zelo, empenho, dedicação para o amadurecimento de si mesmo e tempo de preparar novas mudas, novas sementes que exige preparação de novos terrenos.

A dinâmica do MCC, é a dinâmica de uma Igreja em saída, em estado permanente de missão! Daí a coragem, de se adaptar ao que a Igreja quer e pede em cada tempo e lugar.

O que se espera do Pós-cursilho é o que se espera de qualquer leigo na Igreja: que construa a Igreja no mundo, caminho para a santidade.

DUAS DIMENSÕES EM UM SÓ OBJETIVO:

  1. CONTINUIDADE DA CONVERSÃO iniciada no cursilho. Promove a vivência da fé numa dimensão: PESSOAL e COMUNITÁRIA;
  2. Adequada organização dos cristãos em grupos/N.C.A., pequenas comunidades de fé (PCF).

São pequenas comunidades de fé porque se alimentam: da Palavra de Deus; oração e sacramentos, e prestam atenção a tudo o que está acontecendo no seu ambiente para atuar como Fermento, Sal e Luz. (Porque acreditam em CRISTO).

O Pós cursilho vislumbra uma vida inteira dedicada e comprometida com o plano de Deus.

ACOMPANHAMENTO:

  • Principalmente comunidade do cursilhista.
  • Padrinhos ou grupo/núcleos.
  • Equipes de Pré e Pós-cursilho.
  • Coordenar do cursilho e sua equipe.

Reflexões do papa Francisco:

“Evangelizar os ambientes do terceiro milênio cristão: “Um desafio” para os cursilhos de cristandade”. (III ultréya mundial, Roma 2000).

“Eu não quero uma igreja tranquila. Quero uma igreja missionária”.

“A obra dos cursilhos de cristandade tem contribuído generosamente com a igreja. Nosso serviço de anunciar Cristo, sendo testemunhos nos ambientes cotidianos, é vivenciar, renovar de forma concreta o Batismo que recebemos”.

ESTRATÉGIAS DA AÇÃO EVANGELIZADORA DO MCC

  • Atuar por meio de núcleo de cristão e auxílio dos encontros dos núcleos: ultréias;
  • Ulteya: Reunião das Reuniões de Grupos/Núcleos;
  • Ultréya Diocesana.

ESTRUTURA DO MCC

  • Assembleia: Diretrizes para o trabalho

ESCOLA VIVENCIAL (encontro semanal)

  • Mola mestra do MCC;
  • Deve ser planejada;
  • Avaliação periódica –  todos devem opinar;    
  • Formação do discípulo para ser missionário;    
  • Indica responsáveis p/ trabalhar nos Cursilhos.

A Escola Vivencial é o coração do movimento, pois ela é fonte de formação, informação, partilha e fraternidade. A Escola Vivencial é o lugar do encontro de irmãos e irmãs que buscam fé e coragem através da Oração, Estudo e Ação para realizar, cada qual, sua missão batismal.

O que foi semeado no cursilho precisa ser regado, cuidado no Pós Cursilho p/ crescer e produzir frutos e que permaneçam.

Esta é a Missão Primordial da Escola Vivencial: promover a conversão integral e progressiva daqueles que se dispuseram a buscar mais. Perseverar até o fim é ser fiel até o fim.

Perseverar até o fim, sem dúvida, não é um projeto do tipo “faça você mesmo” ou “já fiz minha parte, agora é problema seu”. “NÃO”. Um projeto de perseverança é pautado na certeza que uma longa caminhada está por ser feita.

Dom Hélder Câmara dizia:

“É graça divina começar bem. Graça maior persistir na caminhada certa. Mas graças das graças é não desistir nunca”.

A Escola Vivencial é fonte de formação para uma vida comprometida com o Plano de Deus.

Deve ser uma escola com espiritualidade, não improvisa, mas se prepara, traça um caminho, sabe de onde vai partir, por onde vai passar e onde quer chegar. Isso é planejamento.

UM BOM EVANGELIZADOR PRECISA:

  • Ter a experiência da salvação;
  • Zelo pelo evangelho;
  • Sabe Discernir com olhos de Deus (julgar) – análise da realidade (VER);
  • Vive o evangelho.

São Paulo, nosso patrono, com essas 4 características nos diz:

“Sejam meus imitadores, como eu mesmo o sou de CRISTO”. (1Cor 11,1)

Conclusão:

CHEIOS DE COMPROMISSOS E SEM TEMPO, ESTAMOS TODOS. MAS JÁ OUVIMOS DIZER QUE “TER TEMPO É QUESTÃO DE PREFERÊNCIA”.(E AONDE ESTÁ SUA PREFERÊNCIA?)

A responsabilidade pela evangelização nos ambientes, é de todos nós.

“Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos!”

 “Quem sai da igreja por causa de pessoas, nunca entrou lá por causa de Jesus”.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 21/03/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 21.03.2017, a cursilhista Silvia, componente da nossa Escola Vivencial, falou-nos sobre o tema: CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017.

IMG_20170321_195448294

Em 1961, três padres responsáveis pelas Caritas Brasileira idealizaram uma campanha para arrecadar fundos para atividades assistências com a finalidade de torná-la autônoma financeiramente. Foi chamada de Campanha da Fraternidade, sendo realizada pela primeira vez na quaresma do ano de 1962, na cidade de Natal/RN e em outras três dioceses, apoiado financeiramente por bispos norte-americanos; em Natal, porque tinha como administrador apostólico Dom Eugênio Sales.

Em 1963, foi realizada somente no nordeste. Em dezembro de 1963, sob o impulso do Espírito Santo do Concílio Vaticano II que estava acontecendo naquele momento, a campanha foi lançada em âmbito nacional e realizada pela primeira vez na quaresma de 1964.

Em 1965, tanto a Caritas como a Campanha da Fraternidade que estavam sob a responsabilidade do Secretariado Nacional de Ação Social, foram vinculadas diretamente a CNBB.

Em 1970, a C.F. ganhou um especial e significado apoio: a mensagem do Papa, transmitida em rede nacional através de rádio e televisão, na 4° feira de cinzas; abertura da campanha.

Objetivos:

  • Despertar o espírito comunitário e cristão do povo de Deus;
  • Educar para a vida em fraternidade, com justiça e amor, exigência central do evangelho.
  • Renovar a consciência do cristão que todos devem evangelizar e sustentar a ação evangelizadora e libertadora da igreja.

Vários foram os temas da campanha da fraternidade até os dias atuais:

  • 1° fase ( 1964 a 1972): Renovação interna da igreja e do cristão: fraternidade, doação, participação, serviço e vocação.
  • 2° fase ( 1973 a 1984): A igreja se preocupa com a realidade social do povo, denunciando o pecado social e promovendo a justiça: repartir o pão, saúde e trabalho.

3° fase ( 1985 até hoje): A igreja se volta para situações existenciais do povo brasileiro. Dá ênfase a situações que causam sofrimento e morte em meio ao povo brasileiro: juventude (drogas), família (fome, preconceito) e ecologia.

Gesto concreto da C.F.: coleta da solidariedade realizada no domingo de Ramos (envelopes)

  • 60% Fica na diocese, para atender projetos locais, através do Fundo Diocesano de Solidariedade.
  • 40% Encaminhado para a CNBB, para projetos sociais, através do Fundo Nacional de Solidariedade.

A C.F. deve primeiro, acontecer nas famílias, nos grupos e nas CEBs.

Atitudes durante a Campanha da fraternidade:

  • divulgar;
  • motivar sucessivos gestos concretos de fraternidade
  • participar na coleta.

Depois da Campanha da Fraternidade.

Criar ações para que este gesto seja permanente.

“Todo cristão deve defender incondicionalmente a vida, não apenas do homem, mas também de toda criação, porque um crime contra a natureza é um pecado contra Deus”. Papa Francisco.

  • Abordagem deste ano (2017).
  • Lema: “Cultivar e guardar a criação”. (Gn 2,15)
  • Tema: “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”.

Objetivos.

  • Conhecer os seis (06) biomas brasileiros.
  • Comprometer-se a re-encantar com a natureza, cuidando e defendendo-a.
  • O Papa Francisco diz: como podemos dar glória a Deus se não cuidamos da natureza.

Assistimos um vídeo auto explicativo, com as características de cada  biomas e os problemas causados pela ação do homem.

  • Amazônia.
  • Caatinga
  • Cerrado
  • Mata atlântica.
  • Pantanal.
  • Pampa.

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 14/03/2015

Escola Vivencial MCC – Bilac

Terça-feira, 14.03.2017, com muita alegria, recebemos a Fabiana da cidade de Birigui, acompanhada do esposo Elder e da filhinha Mariana.

IMG_20170314_200047953

Fabiana, uma das responsáveis pelo Pré-cursilho no GED 

Fizemos a leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações em alavanca, para que todos eles se realizem num clima de paz e espiritualidade e alcancem bom êxito nas suas propostas evangelizadoras.

Invocamos a presença do Espírito Santo, rezamos as orações do Pai Nosso e Ave Maria, proclamamos e comentamos o evangelho de Jesus Cristo do dia em Mt 23,1-12.

Na sequencia, a Fabiana fez referência sobre à importância do PRÉ-CURSILHO, pois através dele somos apresentantes (cartão de visita) do MCC e suas propostas evangelizadoras, iniciando o “namoro” dos futuros candidatos (as), usando sempre da cordialidade e misericórdia, para que sejamos sal e fermento nos ambientes onde se estamos presentes.

Como ser um bom apresentante e selecionar candidatos para o MCC.

  • Apresentar a missão apostólica do pré-cursilho, dando testemunho daquilo que se descobriu: A BOA NOVA DO AMOR DE DEUS.
  • Ressaltar o ambiente de amizade e Amor, ser perseverante e paciente com os compromissos da Escola Vivencial, Ultréyas e Assembleias e demais eventos promovidos pelo MCC.
  • Também faz parte de uma boa preparação, convidar o candidato a participar de uma reunião da escola vivencial, desde que o tema não metodológico do MCC.

Ao selecionar as pessoas a quem convidar, deve se levar em conta:

  • Ter personalidade para se encontrar consigo própria. Encontra-se em momento e circunstância propícia para o triplo encontro: Consigo próprio, com Cristo e com os irmãos.
  • Dizer-lhe a verdade, através de gesto de amizade. Por isso e, assim sendo, devem participar quem tenha fome de satisfazer as suas inquietações.
  • Uma vez vivida a mensagem do cursilho, seja apta para comunicá-la aos outros.

Não há nenhuma discriminação para viver a experiência do cursilho, mas alguns cuidados se fazem necessários:

  • Antes, preparar o Sacramento do batismo ou primeira comunhão na catequese que acontece na própria paróquia.

Todo cuidado ao selecionar e estudar o convidado, sempre com os olhos de Deus essas situações, pois poderão refletir no bom êxito do retiro cursilho (2 ou três dias).

Deve-se falar ao Deus dos homens, antes de falar aos homens de Deus.

Não é objetivo do PRÉ-CURSILHO levar alguém para o cursilho, mas levar alguém que conheça Jesus Cristo.

“De  madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus levantou e foi rezar num lugar deserto”. (Marcos 1,35)

Façamos nossas orações pessoais com o Pai e peçamos sabedoria, discernimento e direção, para continuarmos firmes na nossa missão evangelizadora, enviando candidatos para que possam conhecer Jesus Cristo. Amém.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 08/03/2017

Escola Vivencial MCC -Bilac

Nesta terça-feira, 07.03.2017, iniciamos o encontro saudando as cursilhistas presentes pelo dia internacional das mulheres, leitura dos cursilhos que serão realizados no Brasil e no mundo, neste final de semana, pedindo orações em alavancas para o bom êxito de todos eles e invocamos a presença no Espírito Santo, para aumento da nossa Fé.

IMG_20170307_194439937

Na sequência, refletimos as palavras da Sagrada Escritura descrita no capitulo 16 do evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas, através do método Lectio Divina, ou Leitura Orante:

  • Leitura.
  • Meditação.
  • Oração.
  • Contemplação.

Tomar uma atitude prudente: A atitude ágil e prudente do administrador para com os bens matérias demonstra a  criatividade do ser humano em buscar condições favoráveis em seu benefício próprio, a qual, mesmo não sendo honesta, é elogiada por Jesus, porém, não aprovada pelo Mestre, que na sequência o chama explicitamente de desonesto, porque este agiu com esperteza.

Entretanto, quando se trata de valores divinos, como amar o próximo e trabalhar para o bem comum de todos, ações que nos aproxima de Deus, nossa atitude é lenta, ou até mesmo inexistente.

Deus não condena o dinheiro, pois ele é necessário para a nossa sobrevivência, desde que a sua origem seja de fontes licitas, ou seja, do nosso suor e trabalho e a utilizarmos para socorrer os mais necessitados em momentos difíceis de suas vidas.

O que é condenado por Deus é a ganância desenfreada de acumularmos riquezas, mesmo que para isso utilizemos de meios ilícitos e ludibriemos nosso próximo, pois quando agimos dessa forma valorizamos as riquezas matérias e nos esquecemos das práticas espirituais que tanto nos engrandece e nos aproxima do Criador.

Jesus e a lei: Quando colocamos o dinheiro acima de tudo, sentimo-nos poderosos e interpretamos as leis conforme nos convém, julgamos ser justos, mas na verdade visamos apenas os nossos interesses próprios.

Deus, cujos princípios são Divinos, condena essa atitude e nos ensina que as leis devem ser cumpridas igualmente por todos,  dentro dos preceitos legais e éticos.

O rico e o pobre: A vida é dom advindo de um projeto divino que recebemos gratuitamente e ainda somos livres para escolhermos nossas ações, porém, temos apenas duas opções para pautar as nossas condutas: “juntos” ou “distantes” de Deus.

Junto de Deus, valorizamos os bens espirituais, como o servir e a partilha, no entanto, esse caminho é tortuoso e a porta é estreita, porém, uma vez merecedores de passarmos por ela, a recompensa é a paz eterna no paraíso.

Distante de Deus, valorizamos os bens matérias, como o dinheiro e o poder, um caminho reto e de porta larga fácil de entrar, mas no final deparamos com o fogo ardente que nunca se apaga e o sofrimento não tem fim.

Senhor Jesus, dai-nos sabedoria e perseverança para trabalharmos para o reino de Deus, livres das tentações da corrupção e do poder, para que um dia possamos entrar pela porta estreita e fazermos morada no Céu.

Feliz dia das mulheres, especialmente as cursilhistas que tanto se dedicam aos trabalhos do MCC.

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Bilac – 21/02/2017

Escola Vivencial MCC – Bilac

Nessa terça-feira, 21.02.2017, o jovem cursilhista Guilherme, membro da nossa Escola Vivencial, falou-nos sobre o tema: ERA ESTRANGEIRO E ME ACOLHESTE: REFÚGIO E DIGNIDADE HUMANA.

img_20170221_194510880

ERA ESTRANGEIRO E ME ACOLHESTE: REFÚGIO E DIGNIDADE HUMANA, tema da mensagem do jovem cursilhista Guilherme

Porque as pessoas procuram refúgio?

O que acontece de tão grave que as levam até essa situação?

Trata-se de um problema que o mundo enfrenta há bastante tempo e nos dias atuais, tem se intensificado de forma assustadora e preocupante, devido ao aumento da violência causado pelo desejo desenfreado dos poderosos de governar, segundo seus preceitos.

Conceito de refugiado, segundo a convenção de 1951, relativo ao Estatuto do Refugiado: São pessoas que se encontram fora de seus países temendo perseguições por motivos de raça, religião, nacionalidade, conflitos armados, violência generalizada, violação massiva dos direitos humanos e opinião política ou participação em grupos sociais e que não possam ou não querem voltar para as suas pátrias de origem.

A situação é mais grave do que as nossas mentes conseguem imaginar. Imagem exibidas pelos meios de comunicação mostram que o marco da guerra civil é a cidade Síria de Alepo, causada pela intolerância religiosa que tem acarretado várias formas de conflitos em todo mundo, não apenas no oriente médio, mas também no continente africano, como também nos Estados Unidos, onde os imigrantes tem enfrentado grande descaso por parte dos governantes.

O medo é o único resultado desses conflitos, despertando nas pessoas a necessidade incontrolável de se protegerem de suas causas que, na maioria das vezes, a única forma de conseguir isso é fugindo, buscando abrigo, proteção e refúgio.

O refúgio é uma forma de proteção às pessoas de condições que venham reduzir a possibilidade de exercícios dos direitos humanos, em especial os da liberdade, vida e expressão.

Os direitos humanos são situações previstas em leis internacionais que buscam assegurar que todos os membros da família humana tenham condições mínimas e dignas de vida.

Os países oficialmente procurados pelos refugiados eram o Líbano, Iraque, Jordânia e Turquia, sendo que tal condição resultou também em crise humanitária nos mesmos, pois ficaram sobrecarregados e  sem a possibilidade plena de mantê-los com as mínimas condições necessárias.

Os direitos humanos e sua ampla proteção, em especial a da dignidade da pessoa humana, carecem de diálogo e compreensão entre os povos para o fim do correto e ideal progresso da humanidade para tempos de ampla prosperidade e equilíbrio social, onde os indivíduos buscarão em comum o bem de todos e a proteção da casa comum, como bem chama o Papa Francisco em sua encíclica Laudo SI.

O Brasil assegura este direito básico à população do planeta, os recebendo, vindo de diversos locais, por razões diversas.

Vejamos o que diz o evangelho de Jesus cristo segundo Mateus, 25,31-40.

″Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me rece­bestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’. Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?’ Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo, que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vivificados e reunidos no seu espírito, caminhamos em direção à perfeição final da história humana., que corresponde plenamente ao seu desígnio de amor: :recapitular todas as coisas em Cristo, tanto as do céu como as da terra” (EF. 1,10).

À luz dessas mensagens, devemos interpretar a condição do homem contemporâneo, a sua vocação e dignidade, assim como os objetivos da sua vida: a família, a cultura, a economia, a política e a comunidade internacional.

Esta é a missão da igreja, ontem, hoje e sempre: anunciar e dar testemunho de Cristo, para que o humano, toda a família humana, possa realizar plenamente a sua vocação.

Papa Francisco: Alegria do evangelho: A comunidade missionária experimenta que o Senhor tomou a iniciativa, precedeu-a no amor; por isso, ela sabe ir à frente, tomar a iniciativa sem medo, ir ao encontro, procurar os afastados, chegar às encruzilhadas dos caminhos para convidar os excluídos (EG 24).

Para reflexão

O quanto estamos sendo sal da terra e luz do mundo? O quanto útil estamos sendo?

Paz e bem a todos!!!

José João Ricardo