Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 04/06/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 04/06/2018, nossa irmã Cleusa, nos falou sobre: “A HISTÓRIA DO MCC“.

WhatsApp Image 2018-06-05 at 16.27.02

Começou explicando que a palavra “Cursilho” deriva do espanhol e significa pequeno curso, é um encontro vivencial em que leigos e sacerdotes, testemunham sua vivência como cristãos.

O Movimento de Cursilhos de Cristandade, teve seu início na Espanha, na Diocese de Mallorca, nas décadas de 1930-1940. No início os Cursilhos eram só para jovens, mais tarde abriu-se para os homens e algum tempo depois para as mulheres.

O Movimento de Cursilhos chegou ao Brasil, através de alguns sacerdotes da Missão Católica Espanhola, que estava em franca atividade e fez com que , na Semana Santa de 1962, acontecesse o primeiro Cursilho de Cristandade do Brasil, realizado na cidade de Valinhos, estado de São Paulo.

No ano de 1968, com a chegada do cursilhista Jeová Oliver, na região de Araçatuba, foram dados os primeiros passos para o Movimento de Cursilhos na Diocese de Lins.

O marco inicial do Movimento, foi a realização, no período de 16 a 19 de julho de 1969 do primeiro Cursilho de Homens, cuja equipe, era formada por cursilhistas de São José do Rio Preto e de São Paulo, aconteceu no colégio Nossa Senhora de Fátima, na cidade de Guararapes.

Em 1973, quando ainda pertencíamos a Diocese de Lins, inaugurou-se a Casa de São Paulo, onde os cursilhos acontecem até hoje.

Em novembro de 1994, foi criada a Diocese de Araçatuba, o primeiro Cursilho de Homens realizado na Diocese de Araçatuba, aconteceu no período de 19 a 24 de abril de 1995 e o de Mulheres no período de 07 a 10 de junho de 1995.

Até maio de 2018, já realizados em nossa Diocese: 43 Cursilhos para Homens, 44 Cursilhos para Mulheres e 15 Cursilhos para Jovens.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 28/05/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 28/05/2018, recebemos na Escola Vivencial de Gabriel Monteiro, João Mauro (coordenador do GED), sua esposa Claudia e Adriano Valente (coordenador do setor de Birigui). Neste dia Claudia nos falou sobre: “O MATRIMÔNIO: UM JURAMENTO NÃO IMPROVISADO“.

20180528_213037

Sabemos que o Sacramento do Matrimônio esta intimamente ligado na decisão dos noivos, pois são eles que selam a indissolubilidade, proclamando o seu SIM, diante de Deus e da Igreja.

Ao ministro cabe ser a principal testemunha, abençoar e oficializar de modo ritual o que a consciência e o coração dos noivos confirmarem.

Com isso podemos afirmar que o SIM do homem à mulher e o SIM da mulher ao homem, é resultado de um caminho percorrido no conhecimento e no discernimento, feito com maturidade, sem atropelos e nem improvisações.

O casamento tem que ser algo pensado, planejado, assumido pela nossa livre vontade e por amor, um sim dado um ao outro no mais profundo do nosso coração, da nossa consciência e da nossa liberdade.

Em Efésios 5,25-33 diz:

“Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. Da mesma forma, os maridos devem amar cada um a sua mulher como a seu próprio corpo. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo. “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne.” Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à igreja. Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito.”

“Quanto mais próximo um casal estiver de Deus, mais próximo estarão um do outro”.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 27/05/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

101_2066

Noite de 27/05/2018, depois do encerramento 44º Cursilho para Mulheres, a recepção das neo-cursilhistas, com a presença do Padre Robson, sempre muito atencioso com o MCC.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 21/05/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 21/05/2018, o casal Carlos (mais conhecido como Cacá) e Ana Paula, nos falaram sobre: “ALAVANCA“.

20180521_201843

No Movimento de Cursilhos de Cristandade encontramos a Alavanca como a união de esforços entre aqueles que se dispõem a realizar uma atividade de coração (que exija um esforço pessoal ou coletivo) em prol do próximo (que muitas vezes) sequer conhecemos.

Não se trata de uma assistência social, mas uma entrega em oração (ou pequenos sacrifícios), para que Nosso Senhor ouça o nosso pedido e o atenda na medida do que for possível e necessário.

Através de Alavancas pedimos que a Graça de Deus atue nas pessoas, para que toda atividade humana que se desenvolve no MCC (em especial no retiro 3 ou 2 dias) tenha sempre a presença do Espírito Santo.

As orações com um profundo sentido eclesial tornam realidade o mistério da comunhão dos santos no corpo místico de Cristo.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 14/05/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 14/05/2018, nossa Irmã em Cristo Carina, nos falou sobre o: “ANO NACIONAL DO LAICATO“.

101_2016

Cristãos leigos e leigas, sujeitos na “Igreja em saída”, a serviço do Reino.

Sal da Terra e Luz do Mundo (Mt 5, 13-14)

Período de 26 de novembro de 2017, Solenidade de Cristo Rei, à 25 de novembro de 2018.

O Ano Nacional do Laicato deseja fazer crescer “a consciência da identidade e da missão dos leigos na Igreja” (Papa Francisco).

Quanto mais o evangelho é vivido e testemunhado, maior é o anúncio e presença do Reino de Deus em nossa presença. Isto leva o cristão leigo a tornar-se, de fato, um missionário na família, na comunidade, no trabalho, onde estiver vivendo.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 07/05/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

101_1929

Nesta segunda-feira, 07/05/18, realizamos em nossa Escola Vivencial, sessão cinema, como estamos no mês de maio, mês dedicado a Maria na Igreja Católica, escolhemos o filme: “O MILAGRE DE FÁTIMA“.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 30/04/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 30/04/18, a jovem Patrícia nos falou sobre: “Comunicação entre pais e filhos na era digital“.

101_1922

Uma pesquisa realizada nos EUA, apresentou uma conclusão:

  • Sete entre dez pais utilizam as mídias sociais para se comunicarem e se relacionarem com seus filhos.

Verdade que não é preciso nenhuma pesquisa para verificar na atualidade que a juventude curte a comunicação digital, com frases curtas e em qualquer momento.

Então, muitos pais descobriram que precisam se ajustar a esse comportamento e se conectar aos filhos, por três razões:

  • Relacionamento
  • Reputação
  • Segurança

Em outras palavras:

  • Relacionar-se com os filhos no ambiente (físico e virtual) em que eles frequentam rotineiramente;
  • Avaliar a reputação e imagem online dos filhos, ou seja, de que forma se comportam no universo online;
  • Verificar com quem os filhos estão se relacionando.

Na atualidade, um dos grandes desafios das famílias é manter-se unida entre si, pois existem tantas outras coisas no mundo (real e virtual) que as afastam.

Percebe-se que não só os filhos, mas os pais também estão se ausentando de seus lares. Às vezes, os pais estão dentro de casa, mas suas mentes e corações estão focados em qualquer outro lugar do mundo (internet) que não seja o seu lar.

É evidente que vivemos numa sociedade que possui a marca na ausência de comprometimento, pois a amizade de verdade e o amor necessitam de nosso tempo e doação. Mas, muitas vezes esses dois itens faltam neste mundo, onde “o tudo” é para “o agora”.

Hoje, os filhos recebem um turbilhão de informações vindas das redes sociais da internet e seus problemas/alegrias acabam por não ser mais discutidos/partilhados com seus pais.

Em face dessa falta de diálogo entre pais e filhos, nós como cristãos, devemos resgatar esses vínculos e olhar de verdade pra quem realmente amamos (sem intermediações), pois toda tecnologia nunca poderá substituir o contato face a face, pois é com essa relação que nos aproximamos verdadeiramente da nossa essência, da prática do amor de Deus.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 23/04/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 23/04/18, Márcio Fortin, da cidade de Birigui, apresentou a mensagem: “REZAR NO CONTEXTO DO PAI NOSSO”.

101_1888

Márcio, iniciou com alguns questionamentos:

Como anda a nossa vida de oração?

Como anda a nossa intimidade com Deus?

Temos vivido a nossa oração na prática, com os nossos testemunhos?

Sabemos e temos consciência que na vida do verdadeiro cristão, precisamos valorizar a intimidade com Deus?

E como valorizar?

Através da Eucaristia, da Palavra de Deus e da oração. Se praticarmos esses três exercícios, esses três compromissos de fé, com certeza seremos pessoas transformadas e transformadoras.

Quando rezamos ficamos próximos de Deus, por isso temos que rezar constantemente, em todas as situações.

Mas precisamos ter fé em Deus, pois sem fé, a oração não tem valor, não tem sentido e não tem poder nenhum.

Porém se tivermos fé, toda e qualquer oração terá poder em nossa vida, poder de sermos curados, libertados, perdoados, transformados e fazer milagres em nossa vida.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 16/04/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

No dia 16/04/18, recebemos em nossa Escola Vivencial os neo-cursilhistas Marcos e Juninho, que participaram do 43º Cursilho para Homens e nossa irmã Adriana, da cidade de Piacatu, que nos falou sobre “A PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO(Lucas 10, 25-37).

101_1833

Esta parábola nos mostra que o próximo é quem se aproxima do outro para dar uma resposta as suas necessidades. Nesta tarefa prática o amor não leva em conta barreiras de raça, religião, classe social, o próximo é aquele que encontramos no caminho.

O especialista em leis, estabelecia limites para o amor. Quem é o meu próximo?

Que possamos praticar a mesma misericórdia de Deus. Está parábola nos revela a ação de Deus, que cuida do ser humano e o sentido da missão de Jesus.

Jesus passou fazendo o bem e é o próprio Jesus que nos convoca:

“Vá e faça a mesma coisa.” (Lc 10, 37)

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 15/04/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Recepção dos neo-cursilhistas, no salão paroquial, no domingo à noite, 15/04/2018, no retorno do 43º Cursilho para Homens, com acolhida do Padre Robson.

“O encontro com o Ressuscitado é que lhes abriu a mente para compreenderem o alcance da Escritura, que falava de um Servo Sofredor que ressuscitaria ao terceiro dia. Para compreenderem, afinal, que a Escritura falava da missão deles mesmos: missão de testemunhar a todos a vida nova que vem do Mestre que sofreu e ressuscitou. Vida nova que se testemunha anunciando a conversão e o perdão dos pecados a todos.” (Lc 24, 35-48)

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 09/04/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

No dia 09/04/18, em nossa Escola Vivencial, Joana realizou a reflexão do evangelho de Lucas 1, 26-38.

101_1799

“Maria era uma representante da comunidade dos pobres que esperam pela libertação. E dela nasce Jesus o Messias o Filho de Deus. O fato de Maria conceber sem ainda estar casada com José, indica que o nascimento do Messias é obra da intervenção de Deus.”

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 02/04/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 02/04/18, recebemos em nossa Escola Vivencial, nossa irmã em Cristo, Dayane e seu esposo e Silvia, da cidade de Araçatuba.

101_1759

Dayane nos falou sobre: “1ª Carta de São Paulo aos Coríntios“.

Iniciou com uma dinâmica, para refletirmos sobre as nossas atitudes do dia-a-dia e na sequência, explicou um trecho da 1ª Carta de São Paulo aos Coríntios 12, 12-27.

Em seguida dividiu os presentes em grupos e para reflexão entregou algumas questões, depois apresentadas em plenário.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC- Gabriel Monteiro – 12/03/2018

Escola Vivencial MCC- Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 12/03/18, recebemos com muita alegria, em nossa Escola Vivencial, Frei Claudemir, que nos apresentou a seguinte mensagem: “‘SEGUINDO AS PEGADAS DO SENHOR, CAMINHAREMOS PARA A PÁSCOA“.

101_1673

Frei Claudemir falada Páscoa de Cristo  

A primeira Páscoa que temos que ter em mente é a Páscoa de Jesus.

Páscoa significa passagem, desta vida, para a vida eterna.

Deus não nos criou para a morte, Deus nos criou para a vida.

O Batismo nos dá essa consciência de que um dia também nós viveremos a nossa Páscoa, a nossa passagem.

A data da Páscoa não é fixa é móvel, marcamos a Páscoa a partir do calendário Europeu, é marcada na primeira lua cheia, depois da primavera, nosso calendário é Lunar. No Sábado de Aleluia é lua cheia, simbolizando que a Luz sempre vence as trevas.

A Quaresma institui três pilares do exercício Quaresmal:

  • Jejum
  • Oração
  • Esmola

Cada domingo do tempo da Quaresma tem o objetivo de catequizar.

Precisamos entender que esses quarenta dias, é como se fosse um grande retiro para toda a comunidade. É importante que nós, sobretudo neste tempo, possamos reavaliar a caminhada, colocar a nossa vida em Cristo.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 05/03/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 05/03/2018, nossa irmã em Cristo, Isaide, fez a comunicação da CAMPANHA DA FRATERNIDADE.

101_1649

Fraternidade e superação da violência é o tema de 2018. O Evangelho de (Mt 23, 8) inspira o lema: Vós sois todos irmãos.

O objetivo da Campanha é:

“Construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da palavra de Deus, como caminho de superação da violência.”

O esquecimento do mandamento do amor e da ética fazem despertar a violência. Os descaminhos, no entanto, podem ser superados com à volta às origens, com a reconciliação e a misericórdia.

A vida cotidiana é uma contínua transformação para que todos possam viver como irmãos.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 19/02/2018

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Neste dia 19/02/2018, tivemos Missa em Ação de Graças ao início dos trabalhos da Escola Vivencial do Movimento de Cursilhos de Cristandade, para o ano de 2018.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

101_1563

Padre Robson celebra a Santa Missa no início das atividades da escola vivencial no corrente ano 


Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 03/12/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Neste domingo, 03/12/2017, realizamos em nossa cidade o tradicional “ALMOÇO DOS IDOSOS“. Esse almoço foi idealizado pelo saudoso Padre Tiago José Buner, em 1984 e continua sendo realizado até hoje.

101_1420

O objetivo era oferecer um pouco de divertimento aos idosos, pois a maioria morava na zona rural e na época não havia nenhuma atividade voltada para esse público.

Desde o princípio Padre Tiago contou com a ajuda dos cursilhistas para a realização deste evento. Os cursilhistas são responsáveis por toda a organização, mas a comunidade ajuda com doações.

É uma data esperada por todos, é gratificante ver a alegria deles.

Este ano tivemos a honra da presença de nosso bispo Dom Sérgio Krwyzy, participando conosco deste momento, juntamente com Frei Claudemir.

101_1454

Bispo Dom Sérgio Krzywy e frei Claudemir

Dom Sérgio, após saudar a todos com palavras de carinho, fez oração de graças antes do almoço. Também entregou uma lembrança para a idosa mais experiente, a senhora Mitsu Takahashi, que está com 105 anos.

101_1460

Que Deus abençoe a todos.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 20/11/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 20/11/17, tivemos a participação do Frei Claudemir, em nossa Escola Vivencial.

101_1330

Com a comunicação: “EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ

Por que Jesus foi para a cruz?

Foi por AMOR EmojiEmojiEmoji

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 13/11/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

No dia 13/11/17, em nossa Escola Vivencial, realizamos Estudo Bíblico.

101_1295

Nos organizamos em 5 grupos, cada grupo refletiu sobre um trecho bíblico.

  • Grupo 1 – Lc 11, 5-13 (Pedir com confiança)
  • Grupo 2 – Lc 18, 1-8 (O juíz e a viúva)
  • Grupo 3 – Lc 18, 9-14 (O fariseu e o publicano)
  • Grupo 4 – Mt 6, 2-15 (Relação com o próximo e com Deus “Pai Nosso”)
  • Grupo 5 – Mt 21, 18-22 (Fé na oração)

Ao final cada grupo partilhou seu aprendizado e respondeu as seguintes perguntas:

Qual o ensinamento de Deus para nós?

Como posso aplicar na minha vida, no meu dia-a-dia?

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 06/11/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 06/11/2017, recebemos na Escola Vivencial, o casal Tudi e Nelson, da cidade de Araçatuba. Nelson nos falou sobre a: “PRIMEIRA CARTA DE SÃO JOÃO“.

101_1267

Nelson começou explicando sobre a importância da palavra de Deus, e citou alguns parágrafos do Catecismo da Igreja Católica, tais como §103, §104, §131, §141 e §2653.

Em seguida deixou claro quem é São João Evangelista para não se confundir com João Batista.

João Evangelista, é autor da 1ª, 2ª e 3ª Carta de São João, o Evangelho de João e o Apocalipse, é filho de Zebedeu e de Salomé, irmão de Thiago Maior e apóstolo de Jesus.

Na sequência explicou que a Primeira Carta de João era dirigida às comunidades cristãs da Ásia Menor, que passavam por séria crise, provocada por um grupo de dissidentes carismáticos. Estes propunham uma doutrina gnóstica, que afirmava que o homem se salva graças a um conhecimento religioso especial e pessoal. Eles negavam que Jesus era o Messias e se gloriavam de conhecer a Deus, de amá-lo e de estar em íntima união com ele; afirmavam-se iluminados, livres do pecado e da baixeza do mundo; não davam importância ao amor ao próximo e talvez até odiassem e hostilizassem a comunidade. O grupo fora rejeitado, mas algumas comunidades ficaram inseguras e confusas.

A carta mostra que é vazio e sem valor qualquer espiritualismo que não se traduz em comportamento prático. Não é possível amar a Deus sem amar ao próximo e sem formar comunidade: se Deus é Pai, os homens são filhos e família de Deus, e conseqüentemente todos devem amar-se como irmãos. Deus manifestou o seu amor por meio de Jesus, que tornou possível o amor entre os homens. Daí o perigo de negar que Jesus é o Messias, o Filho de Deus, que viveu e deu sua vida pelos homens. Por outro lado, somente pela fidelidade ao exemplo e mandamento de Jesus é que o homem tem vida plenamente humana.

O centro da carta é o AMOR, que traduz a fé em vida concreta.

Amar ao próximo significa conhecer a Deus, viver na luz, estar unido a Deus e aos irmãos, não pertencer ao mundo e cumprir os mandamentos. Portanto, amar a Deus é praticar a justiça, é ser filho de Deus, obter o perdão dos pecados e libertar-se do medo.

Concluiu com uma Dinâmica: Dividiu os participantes em grupos, orientou para fazer a leitura do 3º capítulo da 1ª Carta de João, fazer uma reflexão e responder a pergunta: “O QUE DEUS QUER DE NÓS?“.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 30/10/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 30/10/2017, após a oração inicial, realizamos na escola vivencial, uma sessão de cinema, com o filme: “SÃO JOSÉ MOSCATI. O AMOR QUE CURA

IMG-20171031-WA0005
IMG-20171031-WA0018

O filme mostra a história de um médico que se tornou santo.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 23/10/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

Nesta segunda-feira, 23/10/17, acolhemos em nossa Escola Vivencial, as neo-cursilhistas do 43º Cursilho para Mulheres, Andréia, Carina e Edilene.

101_1153

E, também, o irmão em Cristo da cidade de Piacatu, Luiz Antônio Navacchio com seus filhos, o qual fez a comunicação: “O MCC EM ESTADO PERMANENTE DE MISSÃO – ESPIRITUALIDADE”.

101_1250

O que é Espiritualidade?

  • É a presença de Deus em nossa vida, em nossas ações.
  • É uma forma de viver, é uma característica de quem tem fé, a espiritualidade decorre da fé;
  • É deixar-se conduzir pelo Espírito.

A espiritualidade cristã é viver segundo o espírito de Cristo, seguir Jesus é uma decisão que muda tudo.

Espiritualidade é nosso modo próprio de viver o fundamental cristão, ou seja, a vivência da graça batismal.

São as nossas escolhas, nossas atitudes, nossa postura de vida, nosso jeito de ser, de pensar e de agir, com a consciência de que não viemos no mundo somente para nos auto satisfazer.

É a consciência de que somos um ser social e que tudo que somos e fazemos contribui para o bem ou para o mal de tudo e de todos que nos cerca.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro – 09/10/2017

Escola Vivencial MCC – Gabriel Monteiro

101_1087 (Copy)

Nesta segunda-feira, 09/10/17, recebemos em nossa Escola Vivencial, os irmãos em Cristo, da cidade de Birigui, casal Emerson e Cristiane com a comunicação: “MARIA UMA MULHER MODERNA“.

Jovânia Bassi da Silva
13º Cursilho para Mulheres da diocese de Araçatuba

Este slideshow necessita de JavaScript.